terça-feira, 25 de janeiro de 2011

JANGADA

.
.Margarida Cepêda, Morrer e renascer na grande câmara
.
.
.
Socorro-me das palavras, companheiras de sempre, para dar cor aos percursos que me atormentam.
Desta vez, como se pressentissem os alvores da terra queimada, insistem no cinzento como pano de fundo, com o medo a querer assomar das profundezas da masmorra.
Insinuam-se desenfreados galopes na caixa negra do pesadelo colectivo, e é de tal forma a intensidade do eco que este cobre toda a terra, funcionando como toque a rebate para o despertar dos velhos feiticeiros.
Enquanto, por todo o lado, se afia o gume da espada, na margem do rio o pequeno Tito prepara a jangada para a demanda da palavra primitiva.
.
.
.

119 comentários:

  1. Até que enfim vou ser a primeira a comentar!!

    Aleluia!!

    ResponderEliminar
  2. E que despertem os velhos e novos feiticeiros, talvez tragam-nos boas novas...
    Disfarçada com cor de terra queimada.

    ResponderEliminar
  3. Risos - Olá, AC. Dessa vez, corri para aparecer aqui antes que você, como sempre tão gentil e atencioso, fosse me visitar... risos.

    Olha, seu texto me passou uma ar de Idade Média... não sei... talvez a citação de feiticeiros e espadas... A Idade Média foi uma época interessante da História (e muito triste também, devido a grandes perseguições e movimentos religiosos extremamente cruéis). Mas, ainda assim, os castelos, as construções e alguns contos desta época não deixam de ser fascinantes...

    ResponderEliminar
  4. No mais, o que mais me chamou a atenção mesmo foi quando, inicialmente, você fala das palavras, "as companheiras de sempre". Porque é justamente assim que me sinto em relação a elas, sabe? Acho que eu tenho que aprender a deixar que elas curem mais as minhas feridas. Sou tão feliz quando escrevo... Mas, quando estou triste, não consigo escrever muito e nem ler muito. No entanto, é justamente nestes momentos que eu mais deveria recorrer às companheiras de sempre...

    Acho que estou aprendendo coisas novas, graças a Deus.

    Beijos no coração, amigo!!!

    ResponderEliminar
  5. o pequeno tito sabe que navegar é preciso, já viver... beijos!

    ResponderEliminar
  6. Diz lá que esperavas que escrevesse...

    Isso...

    lol

    Pronfundo e bem escrito, como sempre...

    ResponderEliminar
  7. E que toda magia seja a favor do amor, bjinhos.♫°♥º*
    °
    .•♥•
    .♫°º
    °º♫° ·.
    .•♥•
    .♫°º
    °º♫° ·.
    .•♥•

    ResponderEliminar
  8. enquanto Teeteto se pergunta:"há mesmo alguma coisa depois dessa margem..."

    ...mas que margem?! - pergunta alguém lá de trás...

    Beijos!

    Lu


    Obrigada pela presença em minha SEMENTE!!!

    ResponderEliminar
  9. A palavra é a alma do poeta, companheira de todas as horas... E você tem o dom de transformá-las com sensiblidade e emoção. Siga com sua jangada AC!
    Bjusss

    ResponderEliminar
  10. Olá, AC
    Quero lhe dizer que são as palavras amigas que têm me socorrido.
    Obrigada, por todas que depositou na minha página. Estou voltando aos poucos e feliz por estar aqui pegando essa jangada e viajando com seu texto.
    Beijos

    ResponderEliminar
  11. AC,

    sempre as palavras que nos acompanham, as ditas e não sentidas e as ditas em forma de bala.

    viajei como sempre noutro espaço.

    bj

    ResponderEliminar
  12. Quem dera ter uma paleta colorida para com ela pincelar as palavras que insistem no cinzento.
    Porque a vida é um arco-íris.
    Obrigada pela presença assídua nos meus sentidos
    ;)
    Beijo

    ResponderEliminar
  13. AC
    Um texto para reflectir, palavras sentidas com um certo aroma de amor.
    Beijo Amigo

    ResponderEliminar
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  15. Preparava a jangada para o lago de palavras, porém silenciou-se à margem depois de banhar-se em tão belo relato...

    Perfeito, querido!!!

    Beijos

    ResponderEliminar
  16. A palavra que colore...belo texto. E envolvente.
    beijos,

    ResponderEliminar
  17. Navega Tito que as cores encontrarás, ainda que disfarçadas de cinzas.
    Beijos querido amigo

    ResponderEliminar
  18. O pesadelo colectivo se desvanecerá na transparência da palavra original...

    Um beijo

    ResponderEliminar
  19. Meu queridíssimo, AC!

    Que venham os feiticeiro, sábios e sem margens!

    Bjs e linda semana

    ResponderEliminar
  20. Gostei das imagens que me trazem as palavras, mas quero saber mais. Quem é o pequeno Tito? O que é que vai acontecer depois?

    ResponderEliminar
  21. Palavras lindas e amigas sempre bem trazidas...beijos,chica

    ResponderEliminar
  22. Caro AC, como sempre, extraordinariamente telúrico.

    ResponderEliminar
  23. Que as palavras sempre estajam em sua companhia.
    Porque foi feito pra elas.
    Lindo.

    ResponderEliminar
  24. isso sim que é buscar a companhia das palavras e tê-las ao redor,


    abraço

    ResponderEliminar
  25. Oi AC...
    Palavras ditas, escritas e lidas são sempre companheiras de todas as horas. Muitas vezes denunciam o que o coração tenta esconder.Adorei o o texto poetico e intenso.
    Beijos Néia

    ResponderEliminar
  26. Parabéns pela linhas transcritas.
    Beijos, ótima semana

    ResponderEliminar
  27. Gosto da tuas metáforas.
    Gosto da tua ginga poética.
    E a d o r o você AC!

    Beijinho.
    Fernanda

    ResponderEliminar
  28. Este é um espaço (o teu) a não perder. Molda-me a sensibilidade... ou melhor... reavive-a quando se encontra adormecida. : )

    ResponderEliminar
  29. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  30. Li-te e fui ter com os romances históricos dos tempos primeiros desta era, povoados de druidas, sacerdotisas, duendes,guerreiros e... muito mistério.
    gostei.
    psssst:é por isso que o meu Misty é preto eheheh

    beijo
    ________
    eliminei o outro por causa dsa gralhas ou melhor, dos typos.

    ResponderEliminar
  31. AC, meu querido. Como sempre nos presenteando com Belos textos!
    Obrigada pela visita, pelo Carinho, abraços e Ótima Semana!

    ResponderEliminar
  32. As palavras sempre provocam magia, elas são fascinantes, e nas mãos e mente de alguém como tu, ganham cores ainda mais especiais.

    beijos, AC.

    ResponderEliminar
  33. Oi A.C.!

    Que bom que as palavras são suas companheiras, afinal com elas vc nos toca o coração... E sim, como disse a Luciana Marinho "o pequeno tito sabe que navegar é preciso, já viver..."

    Cheros e Beijos!

    ResponderEliminar
  34. Palavras companheiras que nos solucionam a vida,,,nos trazem amor, e nos fazem amar,,,abraços de bom dia pra ti amigo.

    ResponderEliminar
  35. "Socorro-me das palavras, companheiras de sempre, para dar cor aos percursos que me atormentam. Desta vez, como se pressentissem os alvores da terra queimada, insistem no cinzento como pano de fundo"

    Eu poderia ter escrito isto, se escrevesse tão bem.
    Já li o seu blog para a minha mãe, e sempre comentamos (pelo menos parece isto para nós), o quanto vocês portugueses tem uma linguagem mais rebuscada que a nossa (brasileiros). É lindo de ler.

    beijos

    ResponderEliminar
  36. As palavras ficam ainda mais mágicas em sua poesia.
    Um beijo
    Denise

    ResponderEliminar
  37. Imaginando o caminho, fiquei pensando se de fato a palavra vai ou será que apenas fica ali a deriva a esperar por nós. Não sei. bacio

    ResponderEliminar
  38. AC,

    Lindo texto reflexivo e a imagem complementando o contexto....belíssimo!!!

    Grande beijo!!!

    Reggina Moon

    ResponderEliminar
  39. AC..

    Permita que tuas metáforas socorram-me em forma de alívio tbm ...

    beijo meu'

    ResponderEliminar
  40. Posso ir junto na jangada? =)
    Lindo texto, como sempre.
    Beijo, querido!

    ResponderEliminar
  41. As palavras não só te socorrem, mas colorem tudo a tua volta, querido. Desenhas com elas cenários que embriagam e inspiram a quem passa por aqui.
    Bjo e paz, AC.

    ResponderEliminar
  42. Seus textos são sempre sugestões para desenvolvermos nossa imaginação e sempre nos remetem a reflexões paralelas... é como o início de uma história sem fim...
    Um abraço fraterno

    ResponderEliminar
  43. vc sempre escreve daquele jeito sutil, que q gente tem q ler duas vezes pra interpretar! pra captar!

    ResponderEliminar
  44. AC, belos textos como sempre palavras amigas me socorrem.

    ResponderEliminar
  45. não seja cinzento
    o pequeno Tito

    o que busca no princípio, a palavra

    seja a jangada ou não
    de pedra
    clamor de feiticeiro que mude toda a terra

    esta, que temos e demandamos

    um beijo, AC!

    manuela

    ResponderEliminar
  46. AC,

    Penso que partirei com o pequeno Tito nesta jangada em busca da palavra inicial. Deixando para trás tantos velhos feiticeiros fantasmas...
    Lindo, como sempre... Concordo com a Elaine Regina, um quê de Idade Média...

    Beijos, meu caro

    Carla

    ResponderEliminar
  47. .

    .

    . na busca in.cessante da palavra ancestral .

    . anciã é a tradução que aqui socorro à letra .

    .

    . um abraço .

    .

    .

    ResponderEliminar
  48. As palavras... elas próprias jangadas que tantas vezes nos mantêm à superfície e nos possibilitam travessias.
    Um abraço!

    ResponderEliminar
  49. que a jangada te possa levar a porto seguro
    beijos

    ResponderEliminar
  50. A mais simples de toda....Porque vive no coração....
    Adorei....
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  51. a palavra atribui sentido ao inefável :)

    beijos!

    ResponderEliminar
  52. Parece-me que invoca uma dança da guerra... mas não deixa de lançar a jangada para quem dela precisar a fim de chegar à outra margem!
    Ou, quiçá, a jangada nos levará à deriva, sem rumo... será?
    Abraço

    ResponderEliminar
  53. AC,
    Mais uma vez a ancestralidade dada pelo ambiente pictórico de Margarida Cepêda. o grito de guerra, a procura dos feiticeiros e a possibilidade da esperança na jangada que atravessa o rio faz do seu texto uma extraordinária prosa.
    Bjs :)

    ResponderEliminar
  54. AC

    E na jangada, com o verbo primeiro a servir de bandeira, levará o Tito os olhos daqueles que acreditam que depois do revolver da terra, não existirá gume de espada que a rasgue, nem medo que a consuma.

    Para ler, reler e absorver em todas as vogais e consoantes e no espaços entre elas.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  55. Agostinho,
    Este descrever cinzento não calha bem com o teu, natural e normal, optimismo. Mas que está muito bem escrito e reflecte bem um estado de alma, lá isso está. Como é apanágio de quem burila as palavras à medida dos sentimentos.
    Grande abraço, amigo.
    Caldeira

    ResponderEliminar
  56. Obrigada pelo carinho e saiba que um elogio seu é o mesmo que receber um buquê de rosas em uma linda noite de luar.
    Beijossssss amigo querido.

    ResponderEliminar
  57. AC,

    Suas palavras sempre me deixam feliz ...
    Mas bom mesmo é vir aqui te ler .
    Salve os Titos da vida !


    Bjo Grande .
    :)

    ResponderEliminar
  58. Agostinhamigo

    ... e, por vezes, muitas, muitíssimas, quão necessária é uma jangada. De pedra, não, que essa é do Saramago; das verdadeiras, das que levam quem quer que seja e o que quer que seja ao outro lado da estória. E, quase sempre, ao fim.

    Abs

    ResponderEliminar
  59. AC

    Deixo um pouco da minha ria...



    RIA





    Ria de Aveiro

    Tão pouco te tenho cantado

    Tão pouco te tenho escrito

    E tu Ria...

    Cheia de beleza

    Cheia de canais

    Com águas azuis e belas

    Vais esperando que te cante

    Que fale ao mundo

    Da tua beleza sem fim

    Dos teus barcos moliceiros

    Coloridos e acolhedores

    Do teu Rossio...

    Da tua gente...

    E da tua beleza...

    Linda Ria de Aveiro.


    LILI LARANJo

    ResponderEliminar
  60. é o eco que fala à alma...

    quanta sensibilidade...

    beijo carinhoso

    ResponderEliminar
  61. AC,
    encantada ... como sempre..
    beijo carinhoso..

    ResponderEliminar
  62. Agostinho,
    Tive uma vez um "percurso" a me atormentar, alimentei-me dele, ao invés de passar por ele, ele passou por mim e quase me matou.
    Espero que as palavras te sejam suficientes.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  63. Ac, palavras que viajam ao passado, e que agora, volta em prosa poética. Adorei!!

    Abraços.

    ResponderEliminar
  64. Olá, AC!

    Este cinzento aparece aqui carregado de tons de negro; retorno ao passado, aos tempos de adivinhos e feiticeiros: não prenuncia nada de bom. Talvez que a palavra de Tito possa ainda ser escutada...e a espada não tenha que ser usada.

    Lindamente escrito,como sempre.
    Abraço amigo.
    Vitor

    ResponderEliminar
  65. AC, tão bom saber que estas por perto, acompanhando minha alegria.
    Sempre me presenteasses com um afago bonito e uma proteção transparente.
    A maneira de me dizer que estava caminhando bem na vida com teus comentários sábios e ternos.Eu agradeço de coração por tudo.
    Fui adotada agora aos 17 anos e meus pais são tudo que eu imaginei desde pequena.
    Conheci um rapaz maravilhoso, que trabalha com crianças, e cuida delas com o maior carinho e as atende em maioria de graça,mesmo em inicio de carreira. Parece um anjo o Felipe.
    Estou muito contente e sei que isso te deixará contente também.
    Obrigada por ter cuidado de mim também, me incentivando a não perder as esperanças.

    Um beijo querido.
    Fernanda.

    ResponderEliminar
  66. Um belissimo dia pra ti amigo,,,abraços.

    ResponderEliminar
  67. Sim, sim, as palavras tem cor, mas só se harmonizam quando o pintor é dono absoluto da palheta...como você.

    Mesmo quando o texto é denso, nas suas mãos ficam leves e dizem muito nas entrelinhas.

    beijo.

    Fiquei muito feliz com seu comentário no Desassossego.Obrigada mesmo.

    ResponderEliminar
  68. Esse Tito, com a sua jangada salva-nos do "pesadelo colectivo". Salva-nos neste blog e em todos os lugares onde se encontram o Bem e o Amor.
    Obrigada AC. Um abraço.

    ResponderEliminar
  69. AC, querido amigo, só mesmo vc para escrever algo dessa magnitude. Brilhante! Lindo e sensível! Como é o seu coração...

    Beijinho :)

    ResponderEliminar
  70. Sim, sim, as palavras tem cor, mas só se harmonizam quando o pintor é dono absoluto da palheta...como você.

    Mesmo quando o texto é denso, nas suas mãos ficam leves e dizem muito nas entrelinhas.

    beijo.

    Fiquei muito feliz com seu comentário no Desassossego.Obrigada mesmo.

    ResponderEliminar
  71. Sempre transbordando emoção.

    Parabéns!

    ResponderEliminar
  72. Ac
    Por falar em terra queimada.
    Ontem veio um cheiro de queimado que não consegui identificar de onde .
    Mas na estrada tenho horror a queimadas também.
    com carinho mOnica

    ResponderEliminar
  73. AC você é de um mistério que vou te contar, fantástico! adooooooooro

    ResponderEliminar
  74. Há que se ter sempre uma jangada, nem se for para fugir da dor...

    Te aplaudo de pé, amigo.

    Beijo

    Cid@

    ResponderEliminar
  75. Suas palavras são de uma profundidade incrível... texto muito bem escrito amigo...
    Beijos...
    Valéria

    ResponderEliminar
  76. AC,

    É preciso a jangada, o feiticeiro e as palavras. Sem as mensagens que neles vêm revestidas, é página em branco a vida.

    Um abraço,

    Suzana/LILY

    ResponderEliminar
  77. Olá, amigo!
    Imagem poética sombria... mas bonita mesmo assim!
    Bom fim de semana!
    Beijinhos.
    Brasil
    •♥•..•♥•.

    ResponderEliminar
  78. Há sempre uma jangada...para deixar o que incomoda e passar para o outro lado, mesmo que ela seja construída de fios de sonho!
    Beijos,
    Manuela

    ResponderEliminar
  79. "Nunca desista de uma amizade ou de um grande amor só porque a distância os separou; seja paciente com o sol e a lua pois quando se encontram formam um dos fenômenos mais belos do universo.
    Bjs Naty

    ResponderEliminar
  80. AC,
    Obrigada por sua tão carinhosa visita,
    por motivos de saúde estive ausente,porém saudosa,estou colocando minhas visitas em dia.
    Que sua noite seja tranquila.
    Boas energias sempre
    bjs!
    Mari

    ResponderEliminar
  81. As palavras, são a melhor jangada que podemos utilizar...Levam-nos a todo o lado!
    Mesmo com pinceladas cinzentas, gostei da roupagem.
    Beijo
    Graça

    ResponderEliminar
  82. Das Dignidades...
    Que nunca falte o pão e o poema e nem teus textos lindo e bem construídos.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  83. Oi AC...

    Mais um texto intenso e profundo...como tudo que escreves...

    Fico a imaginar o que escreves...uma cena...um lugar...

    bjos AC...MINHA ADMIRAÇÃO E CARINHO SEMPRE!

    Zil

    ResponderEliminar
  84. Um belissimo final de semana pra ti amigo,,,muita poesia na alma...abraços.

    ResponderEliminar
  85. AC, suas palavras dão cor aos nossos dias. Ler e absorver cada palavra que escreves é uma delícia.bjs

    ResponderEliminar
  86. AC, meu amigo querido e mestre.
    Passando pra te desejar um fds bem lindo.
    Bjsssssss

    ResponderEliminar
  87. AC, por favor pegue sua jangada e passe no meu blog para peguar um selinho que te ofereço.bjs

    ResponderEliminar
  88. É carissimo cada dia vc, me deixa sem palavras(rs).
    Bjs, um ótimo final de semana.

    ResponderEliminar
  89. Como sempre muito bem escrito, socorres-te das palavras porque tens o dom de as saber colocar poéticamente.
    Bjs

    ResponderEliminar
  90. Quando as palavras dançam
    faz-se a melodia dos versos.
    Bjos achocolatados

    ResponderEliminar
  91. Mesmo que persigamos o "novo" , nossos pesadelos nos atormentam e nos remetem às antigas fórmulas de compensação... feliz aquele que encontra à margem do seu caminho o suporte necessário para discernir o primitivo que acrescenta magnitude ao "novo". Beijos.

    ResponderEliminar
  92. AC, não sabe quanto me tocou tuas palavras, como se fosse um eco de meus sentimentos, que maravilha poder buscar socorro em tuas palavras.
    Cada leitura um acalanto, uma viagem, sempre magnífica e única. Bjus meu amigo.

    ResponderEliminar
  93. saudades de ti...:)
    sabes bem que ando por aqui...

    hoje socorri-me das palavras de Ana Hatherly..., porque as minhas resolveram hibernar...
    hoje arrastaram-se lá do esconderijo com um olho aberto e outro fechado feitas lagarto sarapintado de missangas coloridas e vieram até aqui deixar-te meu beijo e abraço com muiiito carinho, aceitas?!
    ... não sei das palavras para... o teu poema assasante... :)
    até logo :)

    ResponderEliminar
  94. Um belissimo sabado pra ti meu amigo,,,abraços.

    ResponderEliminar
  95. As palavras são as companheiras mais íntimas, mais do que qualquer amigo pudessev ser. Ela compartilha nossas noites sem sono, nossas alegrias e pesadelos...


    Beijos pra ti

    ResponderEliminar
  96. Para mim uma das musicas mais lindas fala em jangada.
    Eu adoro andar de barco e fico frustrada quando viajo e não ando de barco.
    com carinho Monica

    ResponderEliminar
  97. Oi AC...

    Pasando pra lhe desejar um bom final de semana e tb avisar que tem selinhos pra vc.

    bjo meu!


    Zil

    ResponderEliminar
  98. Olá amigo, excelente fim de semana com planos pra uma semana de paz e alegrias, abraços.
    Deixo uma pérola.

    "Aqui está Deus no dia da criação. Ele olha para as estrelas e diz:
    . 'Todas vocês, estrelas, movam-se para este lugar e comecem a avançar neste sentido, e movam-se
    em um círculo e avancem exatamente como Eu lhes dizer até eu lhes dar outra palavra. Planetas
    levantem-se e girem e façam esta formação em meu comando, até que eu lhes dê outra palavra.'
    . Ele olha para as montanhas e diz: 'Levantem-se'. E elas lhe obedecem. Ele diz aos vales 'rebaixem-se'
    e eles lhe obedecem. Ele olha para o mar e diz 'você vai vir até aqui', e o mar lhe obedece.
    . Em seguida, ele olha para você e diz 'venha!' e você diz 'NÃO!'
    . Será que isso incomoda alguém aqui?“

    Paul Washer

    http://hanukkalado.blogspot.com
    http://valvesta.blogspot.com

    ResponderEliminar
  99. Através da força da palavra consegue-se tudo...
    o bom e o mau.
    Enquanto tivermos forças para construir jangadas...não seremos derrotados.
    Um bom texto.
    Bj.Irene

    ResponderEliminar
  100. Sempre tão bonito, seu texto! Você parece contemplar as palavras, degustar cada uma.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  101. Enquanto nos podermos socorrer das palavras para calar os nossos tormentos, os percursos serão mais suaves.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  102. A palavra como amiga, companheira!

    Sublime o seu texto!

    Um abraço

    Boa semana

    ResponderEliminar
  103. Palavra
    Um abrigo, um amparo, uma suplica, um silencio
    Um sim, um não
    Um poder transformador, que antecedi a ação, mas é no silencio da mente que nasce a emoção.
    Como a jangada que desliza sobre as águas levadas pelo silencio de um desejo seja por alguém ou mesmo pela intempérie.

    Bjinhos e um Bom final de semana a vc.
    Ah... Gosto desta pintura e me fez lembrar um dos tantos livros sânscrito que diz:
    “Por tuas palavras serás condenado e por tuas ações serás vivificado”,
    ou seja, as intenções provem do sentimento, da essência da alma,nem mal nem bom, esta acima do mental.

    ResponderEliminar
  104. As palavras sempre fieis companheiras, as únicas que nos escutam, que nos aliviam e que, às vezes, nos curam.

    Abraço

    ResponderEliminar
  105. Tempo de pesadelos e de receios tenebrosos.O texto não tem outra leitura que não seja a do eco dos pesadelos que estamos a viver e os que receamos que cheguem. Gostei imenso, agostinho.

    ResponderEliminar
  106. Uma excelente semana pra ti meu amigo,,,abraços.

    ResponderEliminar
  107. PARA MIM É BEM O REFLEXO DOS MOMENTOS AMARGOS E PREOCUPANTES QUE VIVEMOS...

    PRIMOROSAMENTE ESCRITOS

    PASSA NOS MEUS ENSAIOS

    BEIJO:)

    ResponderEliminar
  108. Nestas palavras encontra-se o pressentimento de uma revolução colectiva, diria até necessária, para que tudo adquira a sua cor natural.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  109. A=V=I=S=O!!!!!!!!

    Malta bué da fixe

    Lá na Minha Travessa http://aminhatravessadoferreira.blogspot.com estão a decorrer duas iniciativas:

    1) Um PASSATEMPO/CONCURSO que dá prémios: livros e CDs de música portuga

    2) Uma inscrição de (per)seguidores que quando se atigirem os 600 também dá um prémio mistério.

    O convite para lá participarem fica feito aqui, com os desejos de que consigamganharalguma coisa... Boa Sorte!!!

    ResponderEliminar