sábado, 1 de outubro de 2011

ECLIPSE

.Hélio Cunha, Eclipse
.
.
.
Sente-se a inquietação que devasta o respirar de vales e montanhas, perturbando buscas de equilíbrio há muito escritas no livro dos assentos. Socorro-me das memórias do vento, e este sopra-me, como se houvesse forma definitiva, que a verdade vem sempre à tona d'água. Revisitam-me as histórias de serão, onde se cultivava o respeito pelas eólicas barbas brancas, mas as águas são mais de mil, tornando labiríntico o canto da conformidade.
Na ágora, cujo respirar ecoa muito para lá das colinas, vigora a apreensão. Sentem-se movimentos de barata tonta, incapazes de lidar com a desdita, mas há quem, munido de sete chaves, aproveite para aprovisionar o bunker.
Adivinha-se o apelo da rua, legítimo fôlego dos despojados. Implodido o pombal, mais não resta à pomba que enfrentar as garras do gavião e redescobrir-se em permanente partilha.
.
.
.

69 comentários:

  1. E tudo conspira nessa direção. Cabeças erguem-se para a vida.
    Um grande bj querido amigo

    ResponderEliminar
  2. Então não estamos perdidos. Que bom!

    Beijos.

    ResponderEliminar
  3. Sente-se a inquietação - "mas as águas são mais de mil, tornando labiríntico o canto da conformidade". Mas o canto da conformidade é sempre aquele que não se deve ouvir, tal como o das sereias, pois significa o fim.

    Um beijo

    ResponderEliminar
  4. Oi AC,

    Que haja a inquietação, pois dela provém mudanças.

    Beijo meu

    ResponderEliminar
  5. Às vezes passamos com demasiada pressa e a leitura ressente-se. Lídia, conformidade também é sinónimo de verdade.
    Obrigado pelo comentário, é sempre um prazer vê-la por aqui.

    ResponderEliminar
  6. Por vezes inquietações nos fazem andar pra frente...Lindo! abraços.chica

    ResponderEliminar
  7. AC
    A inquietação está cada vez mais a sofucar-nos, as memórias por vezes ainda nos sufoca mais.
    Vamos continuar a ter inquietações, umas mais dolorosa que outras e assim vamos seguindo nosso caminho inquieto.
    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  8. Entre trancos e barrancos a vida continua...dizem os chineses (antigos) que a crise é ocasião para novas oportunidades.será?
    Um abraço

    ResponderEliminar
  9. Com o tempo tudo se transforma, mas não devemos perder nossa essência.

    Um Beijo especial

    ResponderEliminar
  10. aplacar as garras com as plumas, um mister de pombas


    abraço

    ResponderEliminar
  11. OI MEU QUERIDO COMO SEMPRE BELO TEXTO! PASSANDO PARA DEIXAR UM BEIJO!

    ResponderEliminar
  12. "Conformidade" e não conformismo... Tem toda a razão. Não foi uma leitura apressada, mas sugestionda por factores exteriores ao seu texto.E, naturalmente, uma só palavra pode mudar tudo. E muda, neste caso.


    Obrigada.

    Um beijo (com as minhas desculpas)

    ResponderEliminar
  13. perturbando buscas de equilíbrio há muito escritas no livro dos assentos.

    Até o que está com tanta certeza escrito, desmancha-se.

    Beijos!

    ResponderEliminar
  14. Nós somos seres essencialmente "conformes"...agimos de acordo com as circunstâncias...e nem sempre em busca do equilibrio que gostaríamos, não fossemos seres em constante transformação...
    Abraço

    ResponderEliminar
  15. tanta verdade neste eclipse dos caminhos dos equilibrios, do respeito merecido e por direitos adquiridos das alvas barbas.
    somos perfeitas baratas tontas às garras dos gaviões...
    beijo :(

    ResponderEliminar
  16. Gostei de conhecer este espaço.
    Virei mais vezes.
    Beijo

    ResponderEliminar
  17. A inquietação anda á solta, eu sinto-a tu sentes, sentimos todos...
    Bjs

    ResponderEliminar
  18. Inquietação...
    Conformidade...
    Gosto-não gosto. Haja consciência. Haja poder para o sentido crítico.

    ResponderEliminar
  19. as pombas precisam lutar para ser pombas e nisso está a luta para se distinguir do gavião.

    abraço!

    ResponderEliminar
  20. "Socorro-me das memórias do vento" - AC,mais uma vez me surpreendo com a nossa sintonia. Estou com um texto sobre o vento (sempre ele) bailando em minha cabeça. Mas como não parecer plágio depois de vir aqui e ler teu texto tão intenso?
    Um abraço,
    Magali

    ResponderEliminar
  21. "Socorro-me das memórias do vento" - AC,mais uma vez me surpreendo com a nossa sintonia. Estou com um texto sobre o vento (sempre ele) bailando em minha cabeça. Mas como não parecer plágio depois de vir aqui e ler teu texto tão intenso?
    Um abraço,
    Magali

    ResponderEliminar
  22. E nas memórias do vento, encontraremos alguma coisa que nos fará varrer a inquietação....
    Porque há uma solução....Nem sempre a melhor, mas a possível...Um ponto de partida....
    Adorei...
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  23. em conformidade com a metáfora

    digo

    as baratas, fazem crack, quando extreminadas

    despojemo-nos de tudo, menos da coragem de procurar o sol

    um beijo, AC

    ResponderEliminar
  24. Uma forma subtil e poetica de descrever a situação real do país e a nossa justa revolta. Adorei.
    Um abraço e bom Domingo

    ResponderEliminar
  25. inquietação...

    apreensão...

    desdita...

    despojos...

    ...procuremos, talvez apenas, no presente a felicidade possível.


    Bom domingo

    ResponderEliminar
  26. AC,
    Da ágora vem sempre apreensão porque de lá ecoa o poder que nem sempre é conforme os nossos desejos.
    Gostei.
    Beijo!:)

    ResponderEliminar
  27. .

    .

    . é sempre "legítimo o fôlego dos despojados" .

    .

    . o resto . serão in.quietações de quem sobre.vive . ainda que . à tona d`água . onde reside a verdade . a que de nada trouxemos . a que de nada levaremos .

    .

    . um abraço .

    .

    .

    ResponderEliminar
  28. Contigo é o dilema...

    Não sei qual a tua forma que mais aprecio...

    :)

    ResponderEliminar
  29. Lá vai o tempo...agora..é tudo tão diferente e é pena...

    ResponderEliminar
  30. Inquietudes de mim, eu sigo, na bravura das asas que sobrevoam o alto..

    Lindo, querido!!

    Beijos

    ResponderEliminar
  31. Uma forte inquietação da alma, de desejos e sonhos...abraços meu amigo e uma bela semana pra ti.

    ResponderEliminar
  32. A inquietação é inevitável, em tais casos.
    Belo texto e imagem digna de ilustrá-lo.

    Bj.

    ResponderEliminar
  33. A inquietação sente-se mas o inconformismo é uma necessidade urgente. Parabéns pelo texto. Gostei bastante. Beijinho e boa semana!

    ResponderEliminar
  34. Inquietação e apreensão neste ocultamento da luz.
    O que virá? Enfrentar as garra do gavião que está à espreita...

    Boa semana.

    Beijos :)

    ResponderEliminar
  35. AC, o importante é que o instinto de sobrevivência, a razão e a motivação não sejam eclipsadas.

    Parabéns por mais um exímio alumbramento!

    Abraços do amigo dalém mar.

    ResponderEliminar
  36. Uma bela segunda feira pra ti meu amigo, repleta de paz e muitos versos...abraços.

    ResponderEliminar
  37. Meu Anjo.
    Deus abençoe sua semana
    sou sempre grata pelo seu carinho.
    No momento quase não estou conseguindo fazer visitas.
    Porém tenho você no meu coração e pensamento.
    Estarei tentando deixar meu carinho também,
    parabenizar pelas postagens lindas que leio na sua postagem.
    Um beijo no coração .
    Já com saudades e muitas.
    Evanir

    ResponderEliminar
  38. Olá, AC!

    A nossa "desgraça" aqui disfarçada sob a forma de subtil metáfora;pois que ela não continue por muito mais tempo, porque já durou demais...

    Bem escrito, como sempre.
    Um abraço. Boa semana.
    Vitor
    Vitor

    ResponderEliminar
  39. Tudo muda o tempo todo...beijo Lisette.

    ResponderEliminar
  40. Um dia de paz e poesia pra ti meu amigo...abraços.

    ResponderEliminar
  41. a inquietação que nos move..
    intensa escrita AC..
    beijos de carinho.

    ResponderEliminar
  42. AC,

    Belíssimo texto!
    Revisitam-me as histórias de serão, onde se cultivava o respeito pelas eólicas barbas brancas, mas as águas são mais de mil, tornando labiríntico o canto da conformidade.

    Grata por sua visita, eu andei muito envolvida em dois novos projetos poéticos, que necessitavam de muito tempo, agora sim, estou voltando a rotina...rs Saudades!

    Um grande beijo!

    Reggina Moon

    ResponderEliminar
  43. Prosa absolutamente eloquente no que toca aos dias que correm.

    Parabéns pela forma!

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  44. A eterna busca, pelo equilíbrio...
    quanta diferença, na forma de atingí-lo.
    Inquietação, é preciso, sempre...
    Um abraço, AC
    Lúcia

    ResponderEliminar
  45. O bom é que o Eclipse sempre passa, talvez o poeta argumente e sinta mais, justamente por andar livre entre todas conexões.

    Sempre ótimas escolhas de imagens.

    Abraços AC!

    ResponderEliminar
  46. A.C.

    sente - se a inquietação ... mas ainda temos a pomba ...

    Um beijo ,
    Maria

    ResponderEliminar
  47. Olá! Vim conhecê-lo e retribuir a visita.
    Gostei daqui e voltarei mais vezes!
    BeijO*
    Poupée Amélie
    http://poupeeamelie.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  48. A inquietação é própria do ser humano, faz parte de um ciclo e é a partir dela que buscamos restabelecer o equilíbrio com base em novas vivências, até que algo nos perturbe novamente ...

    Sempre gostei do que escreve.Profundo e reflexivo.Não vou mais perdê-lo de vista.

    Beijos e um ótimo restinho de semana.

    ResponderEliminar
  49. Não está facil procurar ou encontrar serenidade no meio da confusão de pensamentos de atitudes de estares, a vida corre veloz e os propeços são cada vez maiores.
    bjs

    ResponderEliminar
  50. Un texto muy hermoso. bello blog.

    si pues poner un traductor, es que a veces no comprendo el idioma.

    besos

    ResponderEliminar
  51. Miríades de sentimentos e de lembranças...Um beijo e um lindo dia para você, AC!

    ResponderEliminar
  52. A inquietação dos tempos actuais inspiraram-no na execução deste belíssimo texto. Somos um povo de bons costumes embora a história relate alguns momentos(poucos) de desespero e acção.
    O desemprego, a fome e a miséria não são bons conselheiros.

    Bem-hajas!

    Abraço fraterno

    ResponderEliminar
  53. Um olhar atento, a antecipar cenários mais que prováveis. Que nestes tempos de angústia, "acendermo-nos nos outros" seja um acto de protecção e apoio :).
    Gostei muito, AC.
    Um abraço!

    ResponderEliminar
  54. Lindo!

    De uma energia mágica e encantadora.
    Fôlego dos despojados... meu fôlego.

    Beijo grande!

    ResponderEliminar
  55. É na inquietação que muitas vezes somos obrigados a reflectir. Não há forma definida para os tempos, é essencial que nos ajustemos a eles.
    As suas palavras sempre de essencia poética, deliciam o leitor.
    bjs
    oa.s

    ResponderEliminar
  56. AC/DC
    (justs a joke)

    Devido à bicheza (vírus) que penetrou no meu sítio fui forçada a mudar...
    este é o meu novo link: avogieaspulgas.blogspot.com

    muitos temkiús e meni kis :=)

    ResponderEliminar
  57. Amei tudo! Especialmente o final!!

    Amigo você me desejou um "estar fora em harmonia", e foi muito mais que isso!
    Foi um estar fora ABENÇOADO!!!

    Quando tiver um tempinho, passa lá pra conferir
    ;-)

    Abraço grande, e fique com Deus.

    Cid@

    ResponderEliminar
  58. AC!
    Saudade, amigo!

    Anda com pouco tempo para o blog e sinto falta dos amigos da blogsfera.
    Qdo sento-me aqui, corro logo para os meus amigos queridos rs.

    Hj, ouvi que a vida precisa de pausas, para q descansemos e nos revigoremos.
    E da msma forma, ela necessita de uns ventos e de umas inquietações, para q de espaço para novidades!

    Lindo!

    Beijos
    Mi

    ResponderEliminar
  59. Redescobrirmo-nos em permanente partilha é algo que é mesmo preciso e duro de praticar, porque partilha não é caridadezinha e andamos mesmo feitos baratas tontas. O apelo da rua, esse já nos vai chegando nos olhos húmidos de algumas famílias. Muito do que existe ainda é invisivel aos nossos olhos, mas não por muito tempo.
    Excelente o seu texto AC. Gostei muito.
    Beijos

    ResponderEliminar
  60. Quando enfrentamos também partilhamos.

    Grande Beijo!

    ResponderEliminar
  61. AC,

    Lindo texto,como sempre um aprendizado e uma reflexão dentro do que leio aqui.
    Obrigada pela visita, como sempre me deixas honrada com sua generosidade e com o carinho que sempre me acolhe.
    Entedi que nesses contrários possa haver muita harmonia sim, é o que buscamos mas acabamos por nos confundir ao perceber que nem tudo é como a gente gostaria, porém façamos disso um exercício para encontrar a forma mais harmoniosa de se viver e ser feliz.

    Bjus meu amigo.

    ResponderEliminar
  62. Não sei se o meu comentário vai ficar: diz-me se ficou. É neste tipo de "caixas" que tenho dificuldade em que o comentário fique gravado.
    Bj

    ResponderEliminar
  63. Ok...burra que sou...já vi que ficou!!!
    Dahhahha...para mim.......

    Beijo

    ResponderEliminar
  64. Saudades estava daqui!
    Tenha uma bela semana AC.

    Beejo,beejo.

    ResponderEliminar
  65. Inquietação,inconformismo, rebelião...espírito combativo!!! O texto está soberbo!!!

    Beijo:)

    ResponderEliminar
  66. Na ágora a vastidão ampla dos ares para planar...
    E a áve decidiu voar...deixando-o para trás...
    Sem desdita, nenhuma...
    Lembra-se das suas palavras?
    " Como se diz em linguagem telepática que se morre de amor?!"
    AC assumir que se Ama e morre de Amor é dignificante, não sabia, não tem que ter vergonha de Amar, isso é um pervilengio de quem tem sentimentos...
    Dizer aos amigos que não está envolvido sentimentalmente e que a paixão reside do outro lado apenas, é ridiculo, revela imaturidade emocional, assuma que Amou e muito, como nunca tinha Amado, porque isso apenas o valoriza como ser humano, a capacidade de sentir é Dignificante...Como já deve ter reparado se existiu desdita ela foi sua apenas sua, nada mais...porque a áve é que o deixou porque desejou outras aragens...

    ResponderEliminar