sábado, 22 de outubro de 2011

ETERNA CONSTRUÇÃO

.Hélio Cunha, As diversas formas da matéria
.
.
.
As tuas palavras ganham vida em contornos, esboços de abraço em construção poética, música forjada em nuvens imunes ao ruído. O choro é, em simultâneo, sal e mel, a solidão tem a dualidade fotográfica do positivo negativo. Mas não te basta, não nos basta, queremos respirar por inteiro. Rebobinamos memórias, recordamos babel, o labor da formiga, a beleza fria da estátua. E, dentro da incerteza, uma convicção é possível: queremos calor, queremos horizontes sem muros.
.
.
.

73 comentários:

  1. A.C.,

    queremos , como que paradoxalmente , sal e mel mas também calor , e ,sobretudo , horizontes sem muros .

    É um belo texto .

    Um beijo ,
    Maria

    ResponderEliminar
  2. sem muros e com palavras, muitas, vindas da interioridade de quem as conhece bem :)
    beijosss

    ResponderEliminar
  3. Eu adoro horizontes, ou não fosse eu uma mulher da ilha...horizontes a perder de vista e saber que além desses existem muitos outros...infelizmente, nós muramos alguns!
    Abraço

    ResponderEliminar
  4. [o horizonte, reconstrução interior em cada momento do tempo, a ter muro não é mais que a nossa própria pele, em construção

    a mais eterna, a mais efémera construção]

    um abraço,

    Leonardo B.

    ResponderEliminar
  5. Queremos horizontes sem muros ...calor e um fotografo que saiba clicar:))))

    Beijo

    ResponderEliminar
  6. Sim, queremos horizonte...

    eu os quero como respiro...só não sei se os quero para fora ou para dentro,
    e às vezes, acho que os muros estão todos em mim...

    Beijooo, querido AC!
    Texto belíssimo, como todos os que tenho lido aqui :)

    ResponderEliminar
  7. AC
    disseste e disseste muito bem: queremos calor só com ele podemos percepcionar os horizontes que a chuva teima em tapar
    kis :=)

    ResponderEliminar
  8. o horizonte é uma ilusão, AC

    não está lá, é uma linha imaginária

    há sempre mais além, mais para lá
    é semelhante à eternidade

    as diversas formas da matéria são estas: uma forte convicção, na construção

    um beijo

    manuela

    ResponderEliminar
  9. A escada para a montanha maior é sempre difícil de subir. Deixemos o choro e os muros para trás... talvez o sol entre de novo.
    Bj.

    ResponderEliminar
  10. o choro é sal e mel...talvez seja.

    um texto curto e tão GRANDE...

    horizontes precisamos.

    beij

    ResponderEliminar
  11. Oi AC
    Uma fonte de inspiração aqui bem perto e eu chorando ... rs
    sabe esse choro mais " mel que sal ", numa medida incontrolável,daí a inércia preguiçosa pra viver ...
    Estive lendo "murmúrios " , as promessas de vôos e o sol vem surgindo depois de ler o "quintal da saudade",mesmo tendo um dia nubladíssimo aqui dentro? rs
    vou levando tua inspiração pra minha noite ser feliz.
    obrigada
    deixo abraços

    ResponderEliminar
  12. queremos vida..
    e muito mais AC..
    sempre encantador..
    beijos perfumados de carinho..

    ResponderEliminar
  13. Para respirar melhor e sentir melhor...
    A paixão pela vida...
    Lindo...
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  14. AC
    Horizontes livres com a solidão afastada com convicção.
    Beijo e uma flor

    ResponderEliminar
  15. Olá AC, boa noite! Seguindo seu blog! Parabéns pelos textos. Gostei!

    Sou músico e escritor. Quando puder, passe em minha página http://www.diegoschaun.com.br

    Grato!
    Boas vibes!

    ResponderEliminar
  16. Mais um belo texto, a tua inspiração não tem limites!
    Bjs

    ResponderEliminar
  17. como o universo que está sempre em expansão,


    abraço

    ResponderEliminar
  18. Belo como tudo o que escreves! Estamos sempre a querer que os muros não existam, que as palavras sejam livres e soltas,que o amor seja vivido por nós com intensidade, e que os paradoxos poderiam não existir!
    Um beijo grande, e fique com Deus!
    Tenha um dia de paz!

    ResponderEliminar
  19. Eu também quero horizontes sem muro... Quero o calor. Quero, sobretudo, o sal e o mel das tuas palavras libertas.

    Beijos, querido A.C.

    ResponderEliminar
  20. tanta beleza nas palavras.
    belissimo texto!
    abraço.

    ResponderEliminar
  21. Olá; AC!

    Grande verdade:Não há palavras nem poesia, saibam elas a sal ou a mel, que substituam o sabor do calor de quanto se está perto.
    Bonito!

    Bom domingo.
    Abraço amigo.
    Vitor

    ResponderEliminar
  22. Queremos e merecemos respirar por inteiro...

    Beijo

    ResponderEliminar
  23. Querer já é bom:) É toda uma arte.
    Como tu, aos escreveres:=)

    ResponderEliminar
  24. OI AC,

    Poema rico em palavras e sentidos
    Queremos e queremos...

    Beijo meu

    ResponderEliminar
  25. de infinitivos também se vive.
    nos infinitivos nos constuímos.
    bj AC

    ResponderEliminar
  26. Que essas palavras construam desejos de alma e paz no coração...abraços de boa semana pra ti amigo.

    ResponderEliminar
  27. Porque para lá dos muros o horizonte expande-se!

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  28. AC
    Neste domingo quero ver no meu horizonte um tantão de coisas boas!
    com carinho e amizade de Monica

    ResponderEliminar
  29. Perfeitíssima construção, AC!

    Presente, pra mais uma vez, refletirmos.

    bjo grande pra vc!

    ResponderEliminar
  30. "Queremos horizontes sem nuvens.
    Um desejo cada dia mais urgente.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
  31. Queremos as pontes que nos levam ao infinito.

    um abraço,
    zerafim

    ResponderEliminar
  32. Um horizonte, que seja belo, de preferência!
    Mas, como o sonho, depois que o realizamos deixa
    de existir. Por isso, melhor apenas vislumbrá-lo
    sem perdê-lo de vista para que continuemos a
    buscálo, sempre!

    beijo :)

    ResponderEliminar
  33. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  34. Quiz dizer, buscá-lo, sempre!

    outro beijo :)

    ResponderEliminar
  35. Horizontes sem muros nesta eterna construção do viver.

    Boa semana, AC.
    Bjs :)

    ResponderEliminar
  36. "Há sol
    muito sol
    mas os olhares
    teimam em fixar-se
    na sombra.
    Respiram-se memórias
    algumas delas bolorentas
    mas não se descobre
    o segredo da seiva renovadora.
    O meu país
    é um sonho permanentemente adiado
    tecido em oportunidades perdidas
    consumidas em balofas vaidades.
    Há sol
    muito sol
    mas a tristeza mora no coração das pessoas.

    O meu país teima em ser o quintal da saudade, embalado em lendas de manhãs de nevoeiro."


    TÃO LINDO!


    IBEL

    ResponderEliminar
  37. "Há sol
    muito sol
    mas os olhares
    teimam em fixar-se
    na sombra.
    Respiram-se memórias
    algumas delas bolorentas
    mas não se descobre
    o segredo da seiva renovadora.
    O meu país
    é um sonho permanentemente adiado
    tecido em oportunidades perdidas
    consumidas em balofas vaidades.
    Há sol
    muito sol
    mas a tristeza mora no coração das pessoas.

    O meu país teima em ser o quintal da saudade, embalado em lendas de manhãs de nevoeiro."
    AC

    TÃO LINDO!
    Beijo. Ibel

    ResponderEliminar
  38. Penso que no dia em que nos sentimos completamente construidos podemos morrer pois nada mais há que se acrescentar à nossa existência. Um abraço.

    ResponderEliminar
  39. AC,

    Claro, isso que nos move, nunca podemos parar de sonhar e de reconstruir nosso presente, fazer assim do nosso futuro um caminho melhor!

    Bela postagem!

    Beijos e boa semana!

    Reggina Moon

    ResponderEliminar
  40. Construçoes de vida...de paz da alma...abraços de boa semana.

    ResponderEliminar
  41. Horizontes sem muros... Nada como caminhar sem barreiras, abraçar o horizonte dos sonhos, sem reservas, sem medos... Tão bom quando podemos caminhar de mão dada e vislumbrar esse mesmo horizonte, sem barreiras!

    Beijo de mar

    ResponderEliminar
  42. é isto, queremos CALOR....e horizontes sem MUROS...

    maravilhoso o que escreveu!

    Bárbaro!

    beijos com carinho,

    Bia

    ResponderEliminar
  43. Os horizontes serão cada vez mais, pejados de muros intransponíveis.
    Bonito texto que nos obriga a reflectir um pouco.

    Beijo

    ResponderEliminar
  44. Olá, grande amigo AC!

    Há coisas que, deveras, nunca se terminam, o homem, por exemplo, é construído durante toda sua vida e, quando pensamos que já está concluído, vem Cronos lhe destruir paulatinamente.

    Esse é mais uma maravilha poética cinzelada com grande sabedoria.

    Parabéns pela virtuosidade!

    Abraços do amigo dalém mar!

    ResponderEliminar
  45. ...porque os braços foram feitos para abraçar infinito!

    Adorei!

    Beijos mil!

    ResponderEliminar
  46. Lindo...inspiradíssimo...
    Com toda certeza... "queremos calor, queremos horizontes sem muros."
    Beijinhos...
    Valéria

    ResponderEliminar
  47. Sublime, poeta AC! « Mas não te basta, não nos basta, querermos respirar por inteiro...» Se o homem conseguisse construir-se...Belíssimas imagens num painel de palavras.
    Saudações poéticas.

    ResponderEliminar
  48. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  49. Lídia Borges disse...
    A necessidade intrínseca de superação. A viagem sempre por terminar como quem tem por meta o próprio horizonte, ignorando que ele se vai afastando a cada passo que damos em sua direcção.

    Uma prosa produzida a partir de num laboratório de poesia.

    Um beijo

    ResponderEliminar
  50. saltar muros e soltar amarras...

    poesia genuína, aqui. sempre.

    abraços

    ResponderEliminar
  51. queremos, sim...

    o que é feito de nós sem querer - desejar?

    abraço

    ResponderEliminar
  52. Meu querido Poeta

    Por vezes é tão difícil saltar os muros e cortar as amarras...como sempre adorei ler-te.

    Deixo um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  53. Horizonte sem muro cabe muitos sonhos.

    BeijooO*

    ResponderEliminar
  54. Sim, é disso que precisamos, com isso nos encontramos. No entanto, viver é conviver com a incerteza.

    Abraço, AC.

    ResponderEliminar
  55. Lindíssimo, AC. Gosto do seu estilo. Beijo!

    ResponderEliminar
  56. Gosto da música forjada em nuvens imunes ao ruído...e absorvidas de solidão.
    Muito bom, as usual

    ResponderEliminar
  57. Olá, AC

    Texto precioso,em que se saboreia cada palavra, com um mundo de significações.

    Abraço

    Olinda

    ResponderEliminar
  58. E sómente com "horizontes sem muros", podemos "respirar por inteiro"...

    Lindo! muito lindo!!

    Abração pra você, amigo.
    Fique bem.

    Cid@

    ResponderEliminar
  59. Muy buenas tus reflexiones AC, que sigamos siempre teniendo un horizonte infinito en nuestras ilusiones.
    feliz semana.

    ResponderEliminar
  60. Oi AC,

    E são belas as palavras e além dos muros é bem melhor.
    E é tão bom te ler.

    Beijo meu

    ResponderEliminar
  61. Sempre que venho aqui visita-te saio com a alma leve pela leveza de tuas palavras obrigado pela visita um abraço Erica

    ResponderEliminar
  62. AC, suas palavras tem uma força sublime.

    Tudo muito lindo *.*

    Que esses horizontes sem muros fiquem em nosso caminho.

    Grande Beijo!

    ResponderEliminar
  63. °º♪♫
    °º✿♪♫
    º° ✿♫ ♪♫°
    Olá, amigo!
    No fundo do coração todos querem horizontes sem muros...
    Bom fim de semana!
    Beijinhos.
    Brasil°º♪♫
    °º✿♪♫
    º° ✿♫ ♪♫°

    ResponderEliminar
  64. .

    .

    . pela palavra . somos testemunho . testamento e destino .

    .

    . um bom fim.de.semana .

    .

    . um abraço .

    .

    .

    ResponderEliminar
  65. A multiplicidade do ser, nunca respeitará linhas verticais.

    Acima e abaixo se repetem sem fim.

    Muito profundo AC, para refletir-se.

    ResponderEliminar
  66. A solidão tem sua dualidade, feito tudo na vida
    e quando desejamos horizontes sem muros ele já passa a existir dentro de nós: teu texto prova esta proximidade.

    Abraço daqui!

    Marlene

    ResponderEliminar
  67. Nada nos bastará.
    O horizonte está sempre além, e é para lá a direcção dos olhos e das palavras.
    É sempre esse o caminho que encontro na sua escrita.

    Obrigada!

    Um abraço

    ResponderEliminar
  68. Muros...
    Muros de água de um mau sentir...
    Ilusões, pura ilusão, recriação de um passado e de um provir...

    ResponderEliminar