sábado, 19 de novembro de 2011

AMARRAS

.
Serra do Gerês - Subida no nevoeiro (desconheço o autor)
.
.
.
Pegas na revista, máquina sedutora premiada na venda de paisagens a sorriso. Entras, pagas, sais, durante uns dias fazes por sentir que desbravas novos horizontes.
Tentas prolongar o efeito, esperando dos que te ouvem, na ressaca, um assentimento tácito, mas nem tens tempo de entender o bocejo. O relógio, implacável no garante da manutenção do edifício, emite o sinal de sempre. Transpiras ao som de música repetitiva, monocórdica, o teu passaporte para a próxima montra de evasão. Dormes, corres, comes, os ponteiros são o teu guia. E a promessa do sorriso, à distância de um ano, é almofada onde adormeces os anseios de que já mal te lembras.
Dormes, corres, comes. Dás graças por te sentires a salvo na margem certificada e agradeces. Nem por um momento te ocorre rasgar as amarras e ousar arriscar a subida no nevoeiro. Nunca saberás que as mais belas flores se forjam na luta contra o medo.
.
.
.

67 comentários:

  1. ... e a "aventura" termina como começou - na melhor rotina!

    abraços

    ResponderEliminar
  2. A subida pelo nevoeiro, é um acto de coragem.
    Não sabemos o que podemos encontrar, se bom, se mau.
    Por mais vontade que tenhamos, por mais desejo que possamos ter, a subida poderá ser atribulada.

    Beijo

    ResponderEliminar
  3. E o que saí da rotina, faz com que a pessoa entre em pânico, sem saber como resolver os problemas...
    Mas devemos arriscar....as certezas aprendem-se pelo caminho...
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  4. Subir no nevoeiro pars quê? para me perder? não jamé
    kis :=)
    BOM DOMINGO

    ResponderEliminar
  5. Gosto do seu estilo, AC, mesmo que, às vezes, eu não alcance o cerne do seu pensamento. Outra coisa, o seu comentário, "tédio cósmico", lá no Asfalto das Horas, me fez rir muito. Você acertou na mosca :). Beijos!

    ResponderEliminar
  6. Olá grande amigo AC!
    Deveras não é fácil nos desvencilhar das amarras da tautometria e partirmos em busca de ideais almejados.

    Parabéns pela versatilidade!

    Abraços do amigo de além mar!

    ResponderEliminar
  7. por certo haverá um descortinar-se e um desconcerto,



    abraço

    ResponderEliminar
  8. Passei para te desejar bom final de semana, observar o local onde vais descansar(rs).
    Bom descanso.

    ResponderEliminar
  9. Nem por um instante: apenas dormir, apenas correr, apenas comer. Suba, é só um nevoeiro, ao subir verás o que se vê em todo topo...um céu livre, limpo e sem amarras.

    "Quando não puderes correr, anda. Quando não puderes andar, trota. Quando não puderes trotar, arrasta-te, não pare jamais, os anos se vão, mais a alma permanece jovem, livre e verdadeira. Faça". Teresa de Calcutá.

    5 bjs grandes

    ResponderEliminar
  10. Tocou-me essa nevoeiro húmido a encobrir as amarras, rotinas que prendem os nossos passos aquém do azul.

    Um beijo

    Lídia

    ResponderEliminar
  11. E se ousasse?
    E se fizesse tudo ao contrário?
    E se alguém me seguisse na subida?
    Sabes companheiro
    que o nevoeiro
    se levanta
    ou dissipa se subimos alto?

    ResponderEliminar
  12. É certo: o Gerês é um sítio magnífico para soltar amarras :)
    É claro que a subida do nevoeiro de que fala exige mais do que um passeio pelo Gerês...
    Um abraço! Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  13. Suspeito de que sou parte desses que não encontram coragem de subir ao nevoeiro. Mas nada é definitivo, então qualquer dia a coragem (ou motivação) me convidarão a fazê-lo.

    Tão lindo como escreves, tão lindo!

    Beijo!

    ResponderEliminar
  14. As vezes a gente trava pelos caminhos da vida...por medo? por precaução...abraços de boa semana pra ti meu amigo.

    ResponderEliminar
  15. A.C. ,

    gosto de nevoeiro e de soltar amarras .

    Óptimo texto .

    Um beijo ,
    Maria

    ResponderEliminar
  16. "El camino se hace caminando" já dizia o poeta...não existem nevoeiros que o impeçam!
    Abraço e bom domingo

    ResponderEliminar
  17. Seguir sempre conforme o coração manda.
    Grande Abraço

    ResponderEliminar
  18. a revista, troca-se por uma mochila

    os bocejos, por umas botas de caminhar

    não corremos, não dormimos,vamos por aí acima contra o medo
    a favor do nevoeiro

    um beijo, AC

    ResponderEliminar
  19. seguir no caminho do coração..
    belas trilhas ..
    beijos querido AC.

    ResponderEliminar
  20. Sobe a montanha o cavaleiro andante
    rompe barreiras e pedras ponteagudas
    acha o caminho que o leva adiante
    nas veredas que circundam o passo.....
    ......................................
    Mas afinal, do caminhar qual é o sentido?
    o que se busca, então, nesse percalço.
    Será talvez a flor que em tudo encanta
    e se supõe, talvez, que seja a vida?

    Ao ler o seu texto e observar a foto lembrei-me
    de alguns versos . Reportei-me também à rotina dos dias em que trabalhava como professora .
    Um abraço

    ResponderEliminar
  21. A intensidade da última frase tocou fundo aqui no meu coração. Arrebatador!

    ResponderEliminar
  22. Perfeitamente de acordo!
    Nada como partir sem rumo.

    beijinhos

    ResponderEliminar
  23. Ac
    Sabe, a cirene , ou o sino aqui no interior é terrivel para mim. Quando estava na sala de aula eu detestava o sino.
    Principalmente se estava falando algo importante e que seria interrompida abrutalmente.
    Mas sabe? Ontem uma adolescente, uma crinaça me viu na porta de minha casa e correu para me abraçar. Era uma das minhas crianças!
    Eu fiquei tão feliz, mas tão feliz que queria que ela entrasse para conversarmos.
    Outro dia encontrei com uma mãe. Fique feliz também de reve-la.
    Pensei então agora como voce.
    Nunca saberás que as mais belas flores se forjam na luta contra o medo.

    Eu tinha medo de não ter sido importante em suas vidas, mas para algumas fui e é isto que importa.

    Eu estou tentando andar pelos caminhos por onde minhas amigas vivem.
    Alguns lugares eu conheci. Outros ainda quero conhecer!
    São Paulo foi um dia triste para mim mas quero rever esta terra que tem tantas pessoas lindas e bacanas.
    com carinho e amizade Monica.

    ResponderEliminar
  24. Seu Texto trata tão bem da faina de quem como sacerdócio encara sua missão de dividir seu saber e acaba por preso ficar na espera das quimeras que acredita acontecerão. Esse tipo de pessoa nada faz por si mesmo, não se atira a nada, a não ser a rotina conhecida e segue nesse círculo, sem saber como pular ou dele se atirar para a vida real... Seu questionamento daria boas reflexões a serem discutidas, em grupo, após e durante um copo de vinho...

    ResponderEliminar
  25. Oi querido amigo...

    feliz por sua visita...muito me honra...

    seu texto emociona...

    amarras essas que não desatamos...seguimos conforme a emoção..como manda o coração...

    grande e doce beijo...

    Zil

    ResponderEliminar
  26. Caro AC

    Belíssimo texto! Amarras que nos tolhem os movimentos e não nos permitem viver a vida na sua plenitude.

    Fui ver o seu post, de Janeiro, com a mesma imagem. Gostei muito.

    Grande abraço

    Olinda

    ResponderEliminar
  27. Uma bela semana pra ti meu amigo...abraços.

    ResponderEliminar
  28. Olá, AC!

    Acho que este é o nosso dilema:Entalados entre a necessidade de trilhar caminho seguro, já conhecido e sem surpresas,e o desejo, bem fundo, de arriscarmos no desconhecido - que sempre nos acena e fascina...

    Abraço amigo; boa semana.

    Vitor

    ResponderEliminar
  29. "Nem por um momento te ocorre rasgar as amarras e ousar arriscar a subida no nevoeiro. Nunca saberás que as mais belas flores se forjam na luta contra o medo. -
    Amei esse trecho!!!

    ResponderEliminar
  30. Concordo com você, meu grande poeta. É preciso desamarrar todas as cordas, para ver a liberdade da vida.
    Beijos

    ResponderEliminar
  31. Nada mais é preciso dizer..."as mais belas flores se forjam na luta contra o medo."

    Muito bonito, apreciei, levando comigo a mensagem essencial.
    Grata.

    ResponderEliminar
  32. Subir o Gerês mesmo com nevoeiro deve ser gratificante!
    O nevoeiro é sempre romântico ou não esperariamos o Desejado em tais circunstâncias.

    As "mais belas flores" podem ser encontradas no nevoeiro e não há que ter medo. Ousar deve ser a palvra de ordem.
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  33. Belíssimo texto!

    Passeando por aqui também e me encantando com tanta poesia!

    Grande abraço e grata pelo carinho, AC!

    ResponderEliminar
  34. Agostinhamigo

    Subir o nevoeiro: que aspiração e que delícia!...

    Mais um texto de excepção. E disse.

    Abç

    ResponderEliminar
  35. O som do operário... do trabalho.Este, se é certo amarra-nos a um conceito mais seguro.Para já não vale arriscar no nevoeiro. Enquanto isso, sonhamos para que nos seja mais fácil e mais leve toda a corrida.

    ResponderEliminar
  36. Belíssimo escrito!!! Estou muito feliz em conhecê-lo. Foi um prazer tê-lo em meu blog...

    Beijinho!!!

    ResponderEliminar
  37. Uma vida tão rotineira assim nem chega a merecer o nome de vida.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  38. AC
    Existem amarras tão dificeis de soltar, mas mesmo assim caminhamos nesses caminhos com o nevoeiro que os transforma mais fáceis de percorrer.
    Beijo

    ResponderEliminar
  39. ¡Hola!
    Un bonito relato y corto como a mí me gustan, además diciendo mucho... El miedo ay el miedo... Cada cual tiene el suyo.
    Gracias por compartir tus letras. Un besito y se feliz.

    ResponderEliminar
  40. O texto é muito bom!

    Gostei.

    Saudações poéticas

    ResponderEliminar
  41. Querido AC,

    Teus textos são como viagens transcedentais.


    Beijo,
    I.

    ResponderEliminar
  42. Por certo valerá a pena rasgar as amarras e ousar arriscar a subida no nevoeiro, para além dele, só os que arriscam saberão...

    Magnifico texto AC
    Beijo
    oa.s

    ResponderEliminar
  43. A vida se torna mais bela tanto quanto mais transpomos barreiras.
    Teus textos são intensos, AC. E, frequentemente, oferecem subsídios para reflexões e auto-observação.
    Bjo, querido.

    ResponderEliminar
  44. Oii! Me dá uma forcinha?
    Vota na minha foto?
    http://www.eusouinfomaniaco.com.br/image/gallery
    MAIRA FRANÇA DE SOUZA (Clique na foto para abrir, a foto tá lá nas últimas pags)
    Obrigada! Precisando é só falar! =)
    =*

    ResponderEliminar
  45. Uau!... muito lindo isso!

    Li, e reli, pra levar comigo, e enfeitar a minha noite.
    :)

    Grande abraço pra você, amigo.

    Fique bem, fique com Deus.

    Cid@

    ResponderEliminar
  46. Nunca saberás que as mais belas flores se forjam na luta contra o medo.

    Nem tenho o que dizer, fiquei sem palavras.
    Lindo!

    Beijos.

    ResponderEliminar
  47. Olá!!
    Fiquei feliz em te-la em meu blog. Amei o seu!
    Gosto de texto que nos levam a uma reflexão.
    O medo..pode nos proteger..mas ao mesmo tempo nos limite.
    Avante!! sempre...

    Um abraçom

    ResponderEliminar
  48. Seriam obstáculos vencidos?

    Não sei se fiz uma interpretação correta mas gostei do texto.

    =)

    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  49. Agostinho, como já te disse no meu espaço perder-te ou, mesmo que seja afastar-te, é deixar passar a oportunidade de enriquecimento pessoal. Maravilhoso texto. Sensata mensagem.
    Grande abraço
    Caldeira

    ResponderEliminar
  50. AC,

    A aventura da vida, não está apenas em viver mas em aventurar-se, essa subida me chamou achei linda!!

    Beijo meu

    ResponderEliminar
  51. "...nem por um momento te ocorre rasgar as amarras e ousar arriscar a subida no nevoeiro..."

    Doloroso processo, tão necessário.

    Beejo,beejo.

    ResponderEliminar
  52. Meu querido Poeta

    por vezes é tão difícil cortar as amarras e subir a montanha...como sempre adorei ler-te.

    Deixo um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  53. Venho retribuir a sua visita ao meu humilde espaço e agradecer por ter gostado do soneto.

    Há uma frase que se diz na gíria" Nem tudo o que parece é"! :)

    Quanto ao seu excelente texto e tão realista que é, fez- me imaginar a subir uma encosta, cega pelo nevoeiro... mas, por mais dificil que seja, o ser humano é quase sempre aventureiro.
    E eu sou!

    Meu amigo poeta, obrigada pelo bom momento de leitura.

    Beijo meu.

    Maria Valadas

    ResponderEliminar
  54. Belo AC. Esta sua prosa poética "Para lá das nuvens" é na minha opinião a mais bela de todas que já escrevestes. E é interessante hoje, lê-la sob outra perspectiva... Hoje percebo de outra forma este nevoeiro. Esta coerência entre um texto e outro ficou fantástica e elucidativa. Captar esta grandeza em um escritor é raridade.
    Parabéns amigo! Beijos poéticos!

    ResponderEliminar
  55. "Subir no nevoeiro" requer uma boa equipagem de
    proteção e muita coragem, porque o caminho é
    cheio de brumas, de imprevistos, e é uma longa
    caminhada!!!
    Teus textos sempre me fazem visualizar o que escreves, e simplesmente me transporto, vou seguindo junto com eles, seja para onde for :)

    beijos e bom final de semana!

    ResponderEliminar
  56. Eu adoro ficar folheando revistas e ver o tempo passar.
    As vezes nem leio, mas pareço ser analfabeta.
    com carinho e amizade de Monica

    ResponderEliminar
  57. Um belo sábado pra ti meu amigo...abraços.

    ResponderEliminar
  58. É salutar esse lado desconcertante...da subida às nuvens...e tanta gente presa às amarras quotidianas!!! Que tédio!!!com imenso medo de arriscar...(é assim que interpreto o teu texto)

    AC , vim cá várias vezes mas o teu espaço encontrava-se fechado...

    Beijo:)

    ResponderEliminar
  59. "Nunca saberás que as mais belas flores se forjam na luta contra o medo."

    E corres o risco de te deixar morrer no panico de todos os cansaços sem perfume que te dê alento.

    Belíssimo texto!!

    Um abraço

    ResponderEliminar
  60. subir e ainda por cima com nevoeiro é sempre difícil.

    todo o texto tá muito bom mas cito esta frase que achei sublime

    :"Nunca saberás que as mais belas flores se forjam na luta contra o medo."

    um beij

    ResponderEliminar
  61. AC, querido, e este texto diz tanto...
    andar por entre névoas requer a coragem de dar o passo sem a certeza de que o chão é seguro, é como saltar sobre o abismo sem ter certeza se pode voar,
    mas há vezes em que este é o único caminho que vale a pena.

    beijos :)

    ResponderEliminar
  62. Ousar ir além e desfrutar da paisagem é para poucos.

    Continue andando amigo, sempre!

    ResponderEliminar
  63. Sabe AC as flores são seres sem medo porque sabem que a vida delas é efémera, como tal as suas pétalas são como dedos litigantes e gostam de libertar o seu perfume, mesmo em dias de nevoeiro. E são muitas vezes o refúgio de transeuntes que estão apenas habituados a atravessarem os cardos. Elas transportam apenas uma levissima aragem de flor meiga e dócil, como se fosse a pulsão de um maravilhoso destino...

    ResponderEliminar