sábado, 21 de janeiro de 2012

INSTANTE

.
Cotovia, Fotografia de J. Romãozinho
.
.
.
Sentia por perto a envolvência das águas, promessa de refrigério, mas os rochedos que ladeavam as margens eram temperança indesejada no anseio maduro.
O grito do milhafre, lá no alto, despertava os acordes da prudência. Entre o ficar e o ousar, dilema dum seguro de mão cheia de nada com o sonho de grata recompensa, persistiu a vontade de alcançar a dimensão da lição das areias, ainda que em esboço menos que perfeito.
Para lá da curva, no estrebuchar da reinvenção de novos caminhos, a fragrância da giesta insinuou-se na envolvência do canto da cotovia.
.
.
.

64 comentários:

  1. Os pássaros tem uma beleza que me comove... São sublimes. Não haveria de ter um pássaro sem liberdade, não haveria...

    Despertar os acordes da prudência é necessário. Sacolejar a vida, permitir a ousadia... Seguir e voltar, se preciso for.

    Beijos, querido AC.

    ResponderEliminar
  2. Que belo pedaço de prosa!
    Pareceu-me o início de um dos contos de Miguel Torga em "Os Bichos"!

    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Ousar, sempre.
    Um grande bj querido amigo

    ResponderEliminar
  4. Ah vontade de ousar como os pássaros ,sentir-me poderosa rs
    quisera eu...
    são instantes AC e os caminhos nem sempre são perfumados como as giestas.
    meu abraço grande

    ResponderEliminar
  5. Entre a destreza sábia da natureza e o som das aves, procuremos o caminho ou, como dizes, reinventemo-lo ...

    ResponderEliminar
  6. O desafio de um dilema que pode desvendar novos caminhos e surpresas inesperadas.
    Aliciante, quando assim é.

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  7. Olá, amigo AC!
    A natureza tem em seu contexto muito a nos ensinar com sua leis peculiares, porém poucos compreendem sua essência.
    Faz-se necessário abrir outros caminhos nem que nos levem ao mesmo destino.

    Parabéns por essa maravilha de texto!

    Abraços do amigo de além-mar e ótimo fim de semana para ti e família!

    ResponderEliminar
  8. Todos os pássaros têm apeadeiros insondáveis

    mas todos voam para surpresa dos que tentam acompanhã-los - apenas sonhando
    Apenas? Já é tanto.

    Excelente texto como sempre

    ResponderEliminar
  9. Prá lá curva pode estar a natureza de verdade.Parabéns

    ResponderEliminar
  10. estamos dialogando com a água, o pássaro, a margem. belo texto pleno de caminhos.

    um abraço!

    ResponderEliminar
  11. Uma descrição que nos situa em plena natureza e me permite sorrir de uma forma descontraída ... e feliz!

    ResponderEliminar
  12. CONVITE

    Primeiro, eu vim ler o seu blogue.
    Agora, estou lhe convidando a visitar o meu, e se possivel seguirmos juntos por eles. O meu blogue, é muito simples. Mas, é leve e dinamico. Palpitamos sobre quase tudo, diversificamos as idéias. mas, o que vale mesmo, é a amizade que fizermos.
    Estarei grato, esperando VOCÊ, lá.
    Abraços do
    http://josemariacostaescreveu.blogspot.com

    ResponderEliminar
  13. Lindo texto, AC!

    Bom final de semana!
    Bjs :)

    Quem não sonha o azul do voo
    perde seu poder de pássaro.(Thiago de Mello)

    ResponderEliminar
  14. O caminho que está para além do medo. Será sempre o caminho feliz? É coragem ou imprudência? Às vezes não sei.

    Um beijinho, bom fim de semana :)

    ResponderEliminar
  15. O instante da dúvida é o mesmo instante da revelação.
    Demais, AC, meu poeta querido!
    Bj

    ResponderEliminar
  16. É urgente reinventar novos caminhos para se ouvir o canto secreto da cotovia. Como sempre tua prosa muito boa e leva à reflexões profundas. Beijos!

    ResponderEliminar
  17. Que nesse mágico instante, a escolha dos novos caminhos seja repleta de paz...abraços de boa semana pra ti meu amigo.

    ResponderEliminar
  18. Entre o ficar e a ousadia, a prudência...e então as consequências do caminho escolhido.

    Afinal, não será esse o insondável segredo da vida?

    Beijos, querido AC,e saudade.

    ResponderEliminar
  19. É preciso ousar caminhar, deixando passear o sonho acordado, realizável!

    Beijinho

    ResponderEliminar
  20. seria bom termos sempre um milhafre por perto para ao caminhar o fosse feito com prudencia
    bjs

    ResponderEliminar
  21. Para lá da curva...como sempre o é.

    bjs nossos

    ResponderEliminar
  22. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  23. Ousar sempre, se por boa causa, ainda que arriscando a imperfeição!
    Beijinhos, boa semana!
    Madalena

    ResponderEliminar
  24. Há sempre novos caminhos para além da curva...
    O nosso voo poderá não ser perfeito como o do milhafre, mas é dessas imperfeições que nascemos mais fortes, mais completos....
    Obrigada pela visita
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  25. Uma bela segunda feira pra ti meu amigo...abraços fraternos.

    ResponderEliminar
  26. Todo caminho é luz
    Todo caminho é paz
    Quando no peito há chama
    do amor
    que verdadeiro faz
    Brilhar a lua e iluminar o sol.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  27. Um belo momento de poética observação.
    Um abraço e boa semana

    ResponderEliminar
  28. um trilho invernoso este

    abraço
    LauraAlberto

    ResponderEliminar
  29. A poesia pousando na prosa. Grande!

    Abraços.

    ResponderEliminar
  30. Esse dilema de ir e ficar é tramado...mas é para lá da curva, num bater de asas que se descobrem novos caminhos; o aroma da giesta infiltrado no canto sedutor da cotovia... Que fazer?

    Beijo :)

    ResponderEliminar
  31. Parabéns! Gostei do teu blog!Estou seguindo teu mosaico de seguidores e agradeço se me seguires de volta em meu mosaico! Seja bem vinda ao meu espaço, nosso espaço! Abraço fraterno e carinhoso!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  32. e no instante em que canta a cotovia, sabemos: não tarda a luz do dia...

    sempre tão intenso, tão imenso...
    tão bom te ler, querido!

    beijos, AC :)

    ResponderEliminar
  33. Ler teus escritos é viajar belamente por entre as palavras...
    Feliz dia, beijos,
    Valéria

    ResponderEliminar
  34. A Natureza está cheia de lições que podemos assimilar. A prudência é necessária, mas sem alguma ousadia nenhum voo ganhará asas.

    Um beijo

    ResponderEliminar
  35. somos assim
    coração de pássaro

    rapina ou cantador, mas se não ousassem morreriam de fome

    um beijo, AC

    ResponderEliminar
  36. Um desses instantes que jamais conseguimos apanhar com as mãos, instantes que voam, mas tão bem reproduzido aqui.

    Beijos,

    ResponderEliminar
  37. Uma lição da Mãe Natureza. Apenas um momento para se captar...tudo!!! Poesia pura e sublime, poeta AC.
    Beijinho amigo.

    ResponderEliminar
  38. Finalmente parece que as coisas já normalizaram.
    Já consegui aceder aqui aos comentários.
    Anteriormente, este era um dos blogues em que não conseguia entrar.

    Entre o ousar e o ficar,
    Entre o sonho e a prudência,
    Entre a razão e o coração...
    Nem sempre escolhemos o caminho da felicidade.

    ResponderEliminar
  39. Finalmente!!!
    AC meu amigo, não sabes da dificuldade
    de fazer paragem por aqui e ir-me a comentário
    sobre teus sempre implícitos textos, mas que acho de uma força tremenda como a dizer para um bom entendedor, poucas palavras bastam. Pois é, não conseguia comentar, a página não abria e agora que abriu, só me resta dizer:

    Os desafios acontecem onde se encontra uma boa
    sintonia...

    Abraços

    Livinha

    ResponderEliminar
  40. Um perfeito instante AC.
    Que asas, não nos faltem.

    Beijo meu

    ResponderEliminar
  41. Um leve e rápido espreguiçar-se, um cantar de cotovia ao longe e já lá se foi o instante carregado por ela em seu longo voo em busca de
    sua sobrevivência, de seu sonho!
    A água corre, escoa, escorre entre os dedos, pedras, rochedos, montanhas e vai deitar-se no
    leito dos rios que seguem caudalosos até encontrarem o mar. Não há prudência nem ousadia,
    apenas seguem o seu curso natural abrindo as mãos
    que se bifurcam para talvez, quem sabe um novo dia!

    Eita! que falei demais! Quem sabe foi pra compensar o tempo que não vinha por aqui, não é?

    Um beijo :)

    ResponderEliminar
  42. Nas lições da areia, minhas palavras desaparecem antes que eu as escreva e como as sinto quando se vão...
    Beijoss :)

    ResponderEliminar
  43. A.C. ,

    a vida com seus caminhos . a necessidade de escolhas , as aves que , por vezes , nos insinuam o voo .
    Tudo isto transmitido duma forma poética e admirável .

    Um beijo ,
    Maria

    ResponderEliminar
  44. Olá, parabéns pelo seu blog.
    Te convido a conhecer o meu,
    http://carmasepalavras.blogspot.com/

    ;)

    ResponderEliminar
  45. felizes são os campos floridos de giestas e suave canto da cotovia...

    abraços

    ResponderEliminar
  46. Entre a prudência e o arriscar, entre o voo de Fernão Capelo Gaivota e o ficar em terra, há sempre uma escolha de pássaro, que sonha voar por muitos e novos caminhos.

    Beijos
    Branca

    ResponderEliminar
  47. Olá!
    Maravilhoso acordar e encontrar sua página.
    Adorei seu texto.
    Grande abraço
    se cuida

    ResponderEliminar
  48. ALELUIA ALELUIA já consigo aqui entrar.

    AC
    Excelente!

    Adoro os pássaros eles têm uma beleza fora de vulgar, eu vivo no campo onde tenho o prazer de estar em contacto com a natureza e onde existe muita espécie de pássaros, onde existem bastantes milhafres às vezes perco-me nas horas a apreciar os seus movimentos é lindo quando andam a planar.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  49. Que os pássaros o envolvam, na leveza do ar e voe, voe e sobrevoe o mundo, para um novo mundo encontrar... E que os momentos de prazer desse esvoaçar sejam inefáveis pois nascerá mais inspiração, para novas escritas e gaúdio dos seus/suas admiradoras. Dessa forma nunca se sentirá sozinho e poderá continuar a recriar...

    ResponderEliminar
  50. Sempre assimilei o "ousar" com a expectativa do sucesso. Parece que o ousado nunca anda de cabeça baixa, mesmo após a grande queda.

    ResponderEliminar
  51. porque entre o ficar e o ousar há sempre um canto de cotovia...

    lindas e densas as tuas palavras...

    beijo !

    ResponderEliminar
  52. Adoro observar os pássaros,perco-me no tempo apreciando os seus movimentos. Tu transmites tudo de uma forma poética!
    Bjs

    ResponderEliminar
  53. "persistiu a vontade de alcançar a dimensão da lição das areias,ainda que em esboço menos que perfeito."

    Perfeito!!! Gosto tanto da sua maneira de juntar as palavras e com elas conseguir fazer com que eu viaje, é tão gratificante.

    Sinto-me honrada sempre que me visita, obrigada meu amigo.

    Bjus

    ResponderEliminar
  54. Um belo sábado pra ti meu amigo...abraços fraternos.

    ResponderEliminar
  55. Um excelente texto...mais um, claro.
    Obrigada.
    BS

    ResponderEliminar
  56. AC,

    Há sempre uma cotovia que aflora nos teus versos, pode ouvir, basta ler um poema teu!

    Um abraço, Marluce

    ResponderEliminar