sábado, 18 de fevereiro de 2012

RESPIRARES DA LUA NOVA - 1

.
.
Aldeia da Luz, Alentejo
Pegou na bilha de água turva, acenou aos guardas e rumou ao acampamento. Sentia-se suja, a carecer de um banho, mas as antigas rotinas eram agora um  luxo. Umas gotas no rosto, outro tanto nos sovacos, e já estava no limite. O líquido, em constante escassez, era demasiado precioso para gastos supérfluos. Até os legumes, cuidadosamente cultivados nos terrenos contíguos, dependiam do gota-a-gota em garrafas de plástico, engenho forjado no esgravatar do apelo da boca. Poupava-se água, ganhava-se esperança.
A nascente que lhes fornecia o precioso líquido era o grande bem do grupo, mas também o seu lado mais vulnerável. Atraía toda a espécie de pessoas, bonecos errantes em busca de sobrevivência. Uns tentavam integrar-se, sabedores que eram da importância de se ligarem a objectivos comuns, mas outros, autênticos predadores, apenas desejavam a sua posse. Ter aquela fonte significava poder, e alguns tudo faziam para a ter. Estava-lhes nos genes. Era por isso que a nascente estava tão bem guardada, era o núcleo essencial da preservação do grupo.
Ana, antes da grande hecatombe, gastava os seus dias a leccionar numa universidade da capital, mas há muito que o prazer do trabalho se esgotara na rotina bafienta dos seus pares. A vida escapara-se-lhes por entre os dedos das mãos, mas teimavam em fazer de conta que eram o centro das coisas. E ganharam mofo. Entre o sair e o ficar, aconteceu o colapso que muitos previam. E viera ali parar, nem sabia bem como, a um local onde tudo se fazia para que houvesse uma nova oportunidade. Era por isso que, apesar da escassez, nunca faltava a água no canteiro, com um variado leque de flores, situado mesmo no centro do acampamento. E, em certas noites, quando o breu da lua nova irrompia, o som do saxofone dum músico poeta ajudava a atenuar os receios. Todos por ali sabiam que, por vezes, o ânimo carecia mais de alimento que o estômago.
.
.

70 comentários:

  1. Um cenário ainda raro por aqui, mas real em muitos outros sítios. Oxalá se extingam estes cenários e se contrarie a tendência, cada vez mais provável, para a sua reprodução.

    Um abraço e um bom fim de semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adoro ler-te!
      Que linda passagem do seu texto:
      "um local onde tudo se fazia para que houvesse outra oportunidade".
      Saudações,
      Emiliana.

      Eliminar
  2. Um mudar de vida em proveito dos outros reverte sempre a nosso favor!
    Muito interessante esta forma de olhar...

    Abraço

    ResponderEliminar
  3. A vontade de mudar pode fazer tomar atitudes inesperadas...Lindo! abração,chica

    ResponderEliminar
  4. Que a última gota de água seja para as flores desse canteiro e entretanto o céu seja atravessado pela desejada chuva.
    O exemplo do grupo ficará para sempre na memória de toda a gente...

    ResponderEliminar
  5. Não sei porquê fez-me lembrar "A vida é bela".

    Aqui, as flores são a esperança e a beleza sem a qual não se pode viver.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  6. Enquanto escrevi o comentário, mudou a pintura.
    Gostava mais da anterior.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Partilho do seu gosto, Isabel, mas entendi preservar a imagem anterior para próximos capítulos. Aguardemos. :)

      Eliminar
    2. Isabel, já mudei novamente a imagem. Creio que desta vez fico por aqui.

      Eliminar
  7. Olá, grande amigo AC!
    Aqui mais um conto magnífico!
    As imagens, pintadas com as mais belas metáforas, engendradas com a chancela AC de qualidade.
    É também uma alegoria perfeita para o nosso despertar da importância do líquido tão precioso para nossas vidas (água).

    Parabéns pela versatilidade!

    Abraços do amigo de sempre e ótimo fim de semana para ti e família!

    ResponderEliminar
  8. Impressionante o fechamento...Passou para mim como a ânsia de viver impera nos sentidos e supera o superficial que antes parecia ser fundamental...O precioso para a sobrevivência terrena pode ser racionalizado...Para o regozijo da alma carece muito mais. Abraços e parabéns pela engenhosidade do conto.

    ResponderEliminar
  9. um dia a vida muda

    e tomar banho será um luxo

    mas no acampamento, nem os guardas calam o som do saxofone e é nele que eu encontraria ânimo

    com umas gotinhas de chuva

    a respirar a lua nova

    um beijo, AC!

    ResponderEliminar
  10. Mudanças são sempre cria, cultivar, comovente os legumes dependerem da gota de água das garrafas de plastico.
    Conheço muito bem a Aldeia da Luz

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  11. Hoje está muito indeciso...
    Mas esta terceira imagem está mais de acordo com o texto.
    Aguardemos então os próximos capitulos...

    Um abraço

    ResponderEliminar
  12. É sempre muito pouco o tempo que se passa a deambular por estas palavras/paisagens. Escrita fantástica!

    ResponderEliminar
  13. Um excelente conto. Ou uma metáfora plena de atualidade.
    Um abraço e um excelente Domingo.

    ResponderEliminar
  14. É um cenário familiar, uma amiga comum e flores para uma casa partida. Um sax ... um jazz?

    Nais tukê por compreender.

    ResponderEliminar
  15. escassesz de água...mas se o principal é o ânimo...há que o cuidar...
    te abraço, grata por tua amizade.
    BS

    ResponderEliminar
  16. Mudar é sempre bom e acreditar que isso pode acontecer....
    Acontece, pode acontecer, tem que acontecer...
    Porque a luz é forte....
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  17. A água é um bem essencial à vida!!!! Belo texto, lindo apelo poético!!!

    Beijo:)

    ResponderEliminar
  18. Sempre precisa.

    Que essa água sempre existente no canteiro nos regue e nos faça viver.

    Muito Bonito.

    Grande Beijo!

    ResponderEliminar
  19. A luz a incidir nos potes, que poderiam ser de Margarida Cepêda, mostra como as reservas quer sejam interiores quer exteriores são de extrema importância.

    Lindo o texto e nele sublinho: "nunca faltava a água no canteiro, com um variado leque de flores".
    São as flores que nos fazem viver e respirar, sem elas o mundo era mais sombrio, daí que a imagem escolhida é sublime!
    Beijinho. :)

    ResponderEliminar
  20. Pena que não vi a sua indecisão das imagens rs, acrescentada pela Isabel, mas, esta combinou com o texto.Que esta intenso e me deu algumas visões diferenciadas.
    Um abraço enorme.

    ResponderEliminar
  21. É importante este exercício de trazer uma realidade que nos é, felizmente, longínqua: pensar sobre aquilo que achamos ter por garantido, imaginando a sua ausência, não nos deixa confortáveis, e essa é (também) a virtude do texto.
    Gostei muito do texto, AC, obrigada por ele.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  22. água e ânimo: coisas sagradas e imprescindíveis



    abraço

    ResponderEliminar
  23. Um texto perfeito sobre um bem imprescindível à vida.

    Beijo

    ResponderEliminar
  24. Um texto perfeito sobre um bem imprescindível à vida.

    Beijo

    ResponderEliminar
  25. Tua prosa é envolvente. Gosto.
    Um grande bj querido amigo.

    ResponderEliminar
  26. Oi,
    Criei uma página de fã no facebook para todos aqueles que curtem o blog “Vê se ri um pouco”. Para seguir bastar clicar no link “Curtir” no gadget da página de fã que está lá no blog, o gadget intitula-se “Face”.

    Beijos
    Espero que goste :)

    ResponderEliminar
  27. É bom saber que viu um saxofone, por entre a tristeza... Porque a esperança é um dos bens mais preciosos, tanto ou mais que a água!

    ResponderEliminar
  28. Força ânimo e esperança!!!
    É o que nos ajuda a caminhar no caminho do Bem e para o Bem.
    Desejo-lhe muitas felicidades.E que Deus o proteja, para que encontre sempre a Paz, necessária ao bem estar diário.

    ResponderEliminar
  29. A água, fonte de vida e a força de vontade de alguém, conjuntamente com a beleza da música tiveram o poder de saciar um pouco os corações receosos. Um texto brilhante, como sempre.
    Boa semana
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  30. Olá, AC!

    Água e ânimo, dois bem preciosos e por vezes escassos, sobretudo em terras áridas e estranhas, quando longe do aconchego de casa...
    Bonito texto, com é timbre cá da "casa".

    Um abraço
    Vitor

    ResponderEliminar
  31. Mesmo em circunstâncias adversas, a alma teima em acreditar, mas há uma música que diz "nada muda se você não mudar" e o meu temor é que se não nos educarmos para proteger os mananciais e os rios
    teremos quadros sombrios... o futuro nos dirá .O homem é ainda uma criança e se faz preciso o amadurecimento de uma nova consciência.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  32. a ana que se reforme como eu.- nao foi tarde nem cedo que esta vida de leccionar nao chega avelho
    kis :=)

    ResponderEliminar
  33. Apenas excelente. Esse tracinho -1 deixa-me com um gostinho de quero mais. Não vou perder, não vou. não. Vou ver como ânimo, nem que seja do músico vai conseguir superar. Já suspiro por mais respirares.
    Abraço.

    PS. Linda foto.

    ResponderEliminar
  34. Se há música e flores, é porque ainda existe a esperança por dias melhores...

    Prosa envolvente, querido.Gostei muito.
    Aguardo a segunda parte.

    Um beijo.

    ResponderEliminar
  35. Que texto lindo. Uma narrativa carregada de significados e ensinamentos sobre valores. Queria te convidar para ler o meu ultimo post. Gosto demais de receber a sua visita em meu Blog e de encontrar lá um comentário seu para enriquecer meu texto. Um abraço.

    ResponderEliminar
  36. Muito belo meu amigo, é justamente o que precisamos da vida, entender os verdadeiros valores das coisas,,,abraços fraternos de bom dia.

    ResponderEliminar
  37. enquanto houver flores e um pouco de musica, é sinal que existe a esperança.

    um beij

    ResponderEliminar
  38. Nada se consegue sem sacrifícios e para se ter um futuro belo e cheio de luz é preciso saber optar. O ser humano é muito egoísta e poucas vezes faz a escolha certa, poucas vezes escolhe o que beneficia os outros. Beijinhos

    ResponderEliminar
  39. se a bilha não partir e a fonte não secar, tudo vai bem...

    belas metaforas. as tuas.

    abraço

    ResponderEliminar
  40. Sempre um belo texto, belas metáforas e uma dose de poesia.
    Grande grande abraço.

    ResponderEliminar
  41. Texto rico em essência. A palavra "bilha" para mim é novidade, mas julgo que seja termo antigo, palavra que faz parte de um léxico particular de determinada região. Creio que o objeto a que ela se refere seja similar a "talha", que é um vasilhame bastante comum no Nordeste do Brasil. Há variações de nome, a depender do tamanho e da forma: moringa, purrão, pote ... Meu abraço, AC.

    ResponderEliminar
  42. A esperança é a água da vida .
    Daí a necessidade de lutarmos para preservar uma e outra .


    Um beijo A.C. ,
    Maria

    ResponderEliminar
  43. "Todos por ali sabiam que, por vezes, o ânimo carecia mais de alimento que o estômago." Assino embaixo!
    AC, passo por aqui sem pressa. Tuas linhas são tracejadas com detalhes precisos de quem da vida conhece os segredos. Vez que outra, vim depressa e tive que volta a "ler-te", pois tuas palavras ficaram dançando em minha mente, soltas, inquietantes.
    Agora, degusto de tudo devagar e levo comigo ingredientes que faltavam em meu cotidiano.
    Bj

    ResponderEliminar
  44. Que bem escrito texto meu amigo, toda carência não nos é bem vinda, mas com certeza quando nos carece o animo, todas as demais, ficam ainda mais comprometidas.
    Beijinhos,
    Valéria

    ResponderEliminar
  45. Estou passando mais cedo para desejar um feliz final de semana.
    Meu fim de semana se Deus quiser será muito feliz e com certeza Deus quer.
    Na sexta se casa meu neto logo serei bisa que benção não é mesmo?
    Com alegria vendo minha terceira geração.
    Um lindo e abençoado final de semana.
    Fique com Deus e os carinhos meus.
    Como sou feliz em saber que és uma amizade fiel!!!.
    Evanir.

    ResponderEliminar
  46. Ah que linda prosa AC
    comentar como? está tudo dito lindamente! interioridades essas que me tomam por inteiro!
    obrigada

    ResponderEliminar
  47. Volto para deixar uma flor e algumas notas de um saxofone...perdido no tempo....

    ResponderEliminar
  48. Quem dera a escassez de água fosse apenas tema fantasioso dos filmes e escritos geniais feito o teu... Lamento pelas futuras gerações.

    Ah, que o ânimo carece bem mais de alimento que o estômago, tu bem o disseste, AC, como bem o dizes em tudo.

    Beijos de admiração.

    ResponderEliminar
  49. deixo-te ficar um sorriso, :), por causa do "portar-nos"
    as bolachas são a minha perdição...

    beijinho
    LauraAlberto

    ResponderEliminar
  50. E quando irrompe o som do sax
    atenuam-se mesmo todos os receios...

    Abraço daqui!

    ResponderEliminar
  51. Será que caminhamos para uma situação igual?
    Aqui não chove desde antes do Natal.

    ResponderEliminar
  52. Ontem tive uma experiencia terrivel com o Secretário municipal de educação de Natal (o tb vice-presidente do PV no RN) o senhor Walter Fonseca. Não me recordo de ter conhecido alguém tão mal educado, triste, frio e desumano. Se ele foi, como sempre conta, uma pessoa humilde, com certeza se perdeu pelo caminho do poder. Talvez pense ser eterno e inatingível para sempre.

    ResponderEliminar
  53. Um metáfora preciosa que desperta consciências.

    Um beijo

    ResponderEliminar
  54. Uau!!!

    Julgo que enquanto avistarmos as flores, e ouvirmos o som de música podemos vislumbrar a esperança...
    :)

    Na certa que o ânimo precisa mais de alimento que o estômago (pelo menos no meu caso é assim).

    Belíssimo texto e imagem.

    Fico no aguardo de mais, okey?

    Amigo, te desejo um lindo, feliz, e reconfortante final de semana.

    PAZ & BEM!

    Fique com Deus.

    Abraço afetuoso,

    Cid@

    ResponderEliminar
  55. Só para complementar: ontem à noite, minha netinha Bruna (4 anos), passou o tempo a desenhar aquarelas. No final, minha nora pegou todos os pincéis, foi para a pia, e ficou minutos seguidos a lavá-los. Bruna, com uma carinha muito preocupada, virou-se para a mãe e disse apontando para a torneira: "mamãe, desse jeito vai-se acabar toda a água do planeta!"

    :))

    Viu como essa nova geração já está consciente?

    ResponderEliminar
  56. Um texto em que as palavras alimentam a alma e o ânimo, por certo, fica totalmente reposto.
    Beijo
    Graça

    ResponderEliminar
  57. Lindo o texto! a água e o ânimo são imprescindíveis...a água está escasseando, que não nos falte o ânimo...ainda mais.
    Bjs

    ResponderEliminar
  58. Coisa linda e profunda que acabei de ler. Saudades do seu blog.

    Um beijooO*

    ResponderEliminar
  59. perfeição de leitura..
    muito bom estar aqui querido..
    beijo

    ResponderEliminar
  60. Um poeta disse que ao homem carece pão e poesia, eu acredito no contrário, pois só assim haveria mais pão.
    Lindo demais o texto poético, meu amigo tão querido

    ResponderEliminar
  61. Um belo sábado pra ti meu amigo...abraços.

    ResponderEliminar
  62. O passado e o futuro a tocarem-se em realidades ficcionadas, (mas realistas), sendo a água o fio condutor da história,através dos tempos. Tudo isto numa escrita fantástica, a pedir mais.
    A imagem (esplêndida) como ponto gatilho para a fantasia.

    ResponderEliminar
  63. O quanto pode caber na preciosidade de uma gota de água.

    Excelente texto!
    Reconheceria a sua escrita em qualquer lugar, AC.

    Obrigada!!

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar