sábado, 19 de maio de 2012

O INSUSTENTÁVEL TENTÁCULO DOS MODERNOS JARDINEIROS

.
Gustav Klimt, Jardim com girassóis
.
.
.
Gosto de flores. Dos seus aromas, das suas formas, das suas variedades.
As flores são seres sensíveis de forma singular, mas que precisam de quem cuide delas, de quem tire o melhor partido das suas características. São únicas, mas dependentes. Depois há as espontâneas, as mais preciosas. Gostam de ver o jardineiro à distância, apenas carecem de compreensão e respeito pela sua forma única de viver.
Um bom jardineiro gosta de partilhar, de sentir prazer na sua lida, de se identificar com a sua causa. De certa forma todos somos jardineiros, falta-nos é descobrir, ainda, uma causa comum. Nessa impossibilidade, e perante a necessidade de sentir a ramificação, cada um limita-se ao seu jardim. E fecha-se.
As verdadeiras razões das flores, contudo, não são preocupação geral. O observar do seu frenesim pressupõe caminhos vários, e a tentação de produzir flores num só sentido é demasiado premente. É assim que, na sombra, se forjam os novos jardineiros, modernos predadores de quem ninguém conhece o rosto, mas sente o aroma e a opressão. Na forma de poder.
Longos são os seus braços, que nos amordaçam e estrangulam sem nos darmos conta. Longe anda D. Quixote, em eterno entretenimento com moinhos de vento.
.
.
.

61 comentários:

  1. Também gosto das flores e dos seus odores, me fazem ir além e muitas vezes me sinto como um D. Quixote.
    Beijos para ti querido e um belo final de semana.

    ResponderEliminar
  2. cru, directo, olhos nos olhos.
    obrigada AC.

    beijo, com carinho.

    ResponderEliminar
  3. Caro AC, como sempre o que escreves interpela-nos. Acrescentaria apenas que há os jardineiros, dignos desse epíteto, e os "bulldozers" disfarçados de jardineiros, que cerceiam e pisam tudo à sua passagem.

    Um forte abraço e um bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  4. Um texto muito pertinente amigo. Quando eu era menina, havia uma erva daninha, que volta e meia invadia os campos, e que meu pai chamava Galracho. Não sei se era o verdadeiro nome dela, mas ele chamava-lhe assim. Estendia as suas raízes como tentáculos e tudo o que estivesse semeado à volta morria à nascença. Então o meu pai usava uma mistura de cal e cinza para as matar e depois tinha que cavar de novo para evitar que ficasse alguma raíz. O tempo evoluiu e hoje parece que andam por aí umas Relvas querendo ser Galrachos invadindo todos os jardins.
    Um abraço e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  5. Esses novos jardineiros de ideias cinzentas... asfixiam o colorido das flores, restringindo-lhes a luz do sol... desviando-a, única e exclusivamente na direcção que lhes interessa... haja jardineiros que lhe façam frente! Temos que lutar pelas cores de todas as flores, porque todas têm direito à luz do sol, e a serem tratadas com dignidade!
    Beijinho AC!

    ResponderEliminar
  6. Olá Agostinho,
    Gostei da tua reflexão. Onde andam os cavaleiros andantes que não param para nos incentivar à libertação de jardineiros que não cuidam das suas flores?
    Estou convicto de que se houvesse muitos homens que se preocupassem com as flores como tu, tudo seria muito mais fácil e muito melhor.
    Grande abraço
    Caldeira

    ResponderEliminar
  7. como cuidas bem de teu jardim, AC!
    é bom respirar por aqui..

    beijos!

    ResponderEliminar
  8. No jardim da alma de cada um o cuidar das flores nos engrandece, assim como o pisar e arruiná-las nos empobrece. Bom demais A.C.

    Um beijo!

    ResponderEliminar
  9. AC, boa noite!
    Como é bom caminhar por jardins como este. É possível sentir na cor e no aroma das flores a alma do jardineiro.
    Abraço.
    Gilson.

    ResponderEliminar
  10. Existem também as flores carnívoras! e as mal cheirosas.O bom jardineiro escolhe suas espécies com cuidado.Uma vez lendo Fernando Pessoa pensei: o que o poeta me diz sobre a Pátria... e abri o livro ao acaso: o poema começa assim:"Prefiro rosas, meu amor,à Pátria" Levei um susto com a sincronicidade.Foi assim que se sucedeu.Um abraço

    ResponderEliminar
  11. AC meu amigo
    Excelente!
    Também eu gosto imenso de flores e, tenho um jardim enorme, neste caso sou eu a jardineira.

    Mas se entendi bem o texto as flores e o jardineiro a que o meu amigo se refere, será de referir que necessitamos de requisitar novos jardineiros para não acabarem de destruir estes jardins.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  12. Tens razão. Apanhas-me num momento em que não encontro solução... abençoadas as flores selvagens por pouco carentes de jardineiros.

    Nem eu sou exemplo. Rego flores da vizinha
    e deixo as minhas à mingua... Antes fosse D. Quixote. Me desculpariam, por Cervantes me explicar

    ResponderEliminar
  13. As que eu mais gosto são flores humílimas
    dos campos...
    bjsss

    ResponderEliminar
  14. lindas palavras querido,
    teu jardim encanta..
    beijos de carinho.

    ResponderEliminar
  15. Olá, AC!

    Estes novos falsos jardineiros são mais do tipo colher do que plantar; e ao contrário da maioria das flores não exalam odor que se cheire...

    Bonita metáfora dos tempos que correm.

    Um abraço
    Vitor

    ResponderEliminar
  16. Gosto da sinestesia que cultivo. Do perfume doce e do sabor aveludado de seus aromas, respingados de cor, de toda dor, de guardar amor, de florescer horários por entre as horas que não germinaram ainda.
    Gosto quando em agosto, elas se abrem e dançam ao vento, suas singelezas evidentes, suas profecias de serem sementes, seja lá qual for a sua estação.

    Lindo texto, AC.
    Um beijo,
    Sam

    ResponderEliminar
  17. Fabuloso título.
    Eu também gosto de flores. Exceto as de plástico. Não gosto de vidas imortais.
    Imortais tem de ser as ideias e os bons autores como você :)
    Beijoss

    ResponderEliminar
  18. Meu querido Poeta

    Como sempre há nas entrelinhas deste texto tantas flores por colher.


    Beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  19. AC

    bela observação das delicadezas...

    um beijo.

    ResponderEliminar
  20. Fosse eu um flor, faria uma seleção, para escolher o mais amoroso dos jardineiros.

    Bom domingo, AC,
    Beijos,
    da lúcia

    ResponderEliminar
  21. Eles só querem podar e podar, espectacular sua reflexão.

    Feliz sábado à noite e brilhante domingo!

    ResponderEliminar
  22. Foram sentidas essas entrelinhas...

    São as flores feito nós, frágeis, sensíveis, desejando zelo e afeto. Queremos sempre o jardineiro mais amoroso.

    Beijos, querido A.C.

    ResponderEliminar
  23. Encantos da vida...a semente nos dá a flor!
    Abraço Lisette.

    ResponderEliminar
  24. Com alma....essas flores que falam connosco...
    São poucas, no entanto e raros também os moinhos de Vento...
    Como sempre, brilhante...
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  25. Grande alegoria, AC. Concordo inteiramente. Há uma subversão da lógica do cuidado pela lógica do poder. E esta subversão existe onde menos seria de esperar.

    Um abraço, um bom domingo e uma óptima semana.

    ResponderEliminar
  26. AC,
    Gostei das metáforas utilizadas, da beleza das flores e do(s) jardineiro(s) menos atento(s) à humanidade das flores, à secura em que as coloca e dirime.
    Também me detive em cada jardim fechado e nas portas que são preciso abrir...
    Bj. :)

    ResponderEliminar
  27. puxa, o título é um esplendor e a imagem do Quixote e os seus moinhos nos reinventa,


    abraço

    ResponderEliminar
  28. o jardineiro à procura de uma flor...
    o D. Quixote a cuidar dos seus moinhos...

    é preciso, mais do que procurar, saber ver

    beijo

    ResponderEliminar
  29. as razões das flores são silenciosas, como elas

    estes seus jardineiros são segadores parecendo polvos
    e Quixote sonha

    um beijo, AC

    ResponderEliminar
  30. Uma alegoria de um tempo cego, mau. Sobretudo para as flores desprotegidas.

    Um beijo

    ResponderEliminar
  31. ..."cada um limita-se ao seu jardim. E fecha-se".

    ... e os novos jardineiros transformam-se me predadores - esse o drama.

    excelente. abraço

    ResponderEliminar
  32. Todos somos jardineiros e também flores...à nossa maneira...

    ResponderEliminar
  33. Caro AC

    Texto forte, interventivo, que transmite a imagem de um mundo em completa subversão de valores que, infelizmente, ameaça engolir-nos . Realmente, o bom jardineiro cuida do seu jardim e mima as suas flores.Fez-me recordar uma máxima bíblica : 'O Bom Pastor cuida das suas ovelhas'. E é nesse ponto que teremos de envidar os nossos esforços tendo em vista um mundo melhor.

    Grande abraço.

    Olinda

    ResponderEliminar
  34. Assim como as flores bons sentimentos devem ser cuidados sempre e compartilhados sempre.

    Abraços.

    ResponderEliminar
  35. Meu querido amigo...

    Você é um excepcional jardineiro de palavras..." os seus aromas, das suas formas, das suas variedades."

    Nada e ninguém consegue desfolhar seu jardim.

    Beijos...boa noite!

    ResponderEliminar
  36. Amigo AC,
    A flor é como uma obra-de-arte: temos que apreciar e cuidá-la com cuidado, pois o toque pode fazer com que perca sua esplendor.
    A beleza alimenta nossa alma, e se bem tratada, dará-nos bons frutos que alimentarão nosso corpo, no entanto, há sempre um alienado que não entende sua importância e ternura.
    Muitos jardineiros se tornam predadores.
    Brilhante texto!

    Abraços do amigo de além-mar!

    ResponderEliminar
  37. AC, saudades de suas palavras tão vivas!
    Adoro flores e seu post... belo!

    ResponderEliminar
  38. E matam qualquer jardim... não se mostram, são covardes, por isso todo cuidado é pouco.
    As flores vencerão e o jardim ficará lindo, florido!É preciso acreditar.

    AC, tenha uma boa semana e com muitas flores.
    Bjs :)

    ResponderEliminar
  39. Precisamos cuidar das ervas daninhas presente em todos os jardins.
    Mas quanto ao seu jardim, é bom respirar o aroma das tuas flores!
    Abraço,
    Mariangela

    ResponderEliminar
  40. Tocando as pétalas destes versos teus, não foi difícil perceber o perfume de Quixote.
    Salve! Salve, jardineiro! O que sabe ver
    bj, meu querido amigo-poeta

    ResponderEliminar
  41. AC
    Eu tambem gosto de flores.
    Flores de todo tipo me fascina.

    com carinho Monica

    ResponderEliminar
  42. Pobres de nós, flores desprotegidas e impreparadas para a modernice destes jardineiros.
    Excelentes metáforas!
    Beijinho

    ResponderEliminar
  43. Amo flores... Fico querendo cuidar e até super proteger as minhas. Meus lirios, orquideas, minha Sofia Satake...
    Tb quero imitá-las, entende-las...

    São todas lindas, diferentes e perfeitas!

    Um beijo e saudds!

    ResponderEliminar
  44. klint fez coroar o texto com a atmosfera de sonho.

    um beijo, AC

    ResponderEliminar
  45. tocante.
    faz o vento suspirar...

    beijos querido

    ResponderEliminar
  46. E há imensa flor murcha por aí...porque há jardineiros irresponsáveis...negligentes...tão estúpidos que andam mesmo a matar as suas flores !!! calo-me porque estou num jardim...com uma enorme cratera....um poço sem fundo!!!

    Beijinho:)

    ResponderEliminar
  47. Flores são vida, alegria, poesias, perfumes do mundo, serenidade, oxigênio....e um bom jardineiro sabe moldar o mais belo jardim...abraços de bom dia pra ti amigo.

    ResponderEliminar
  48. Quadro muito adequado ao tema das flores...que só precisam de uma vigilância pouco apertada por parte do jardineiro...ou mesmo nenhuma!

    Abraço

    ResponderEliminar
  49. Maravilha e como é lindo vê-las bem tratadas pelos "jardineiros"... abração,chica

    ResponderEliminar
  50. prefiro as silvestres, que dispensam jardinagem. no entanto admiro os jardineiros que constroem jardins de sonho:-))

    ResponderEliminar
  51. Que blog bacana. Temos algumas coisas em comum: música, cinema, arte, literatura e flores, especialmente flores... troco qualquer diamante por flores...

    Obrigada pelo comentário e pela visita!
    Abraços

    ResponderEliminar
  52. AC, esplêndido texto, pleno de verdade e sentido! Somos, de facto, todos jardineiros, devíamos era trabalhar numa horta comum, mas isso, infelizmente, é uma utopia!
    Beijinhos,
    Madalena

    ResponderEliminar
  53. Há jardineiros, que não sabem de flores, mas de ervas daninhas. Não têm, por incompetência, qualquer dom para a delicadeza dos gestos, não possuem códigos que lhes permitam ver beleza na multiplicidade de cores e aromas. Preferem a germinação rasteira e a invasão de espaços alheios.Sentem-se grandes, sendo proliferação vazia de calor, brilho ou luz. Mas fazem parte deste enorme jardim, em que cada jardineiro, procura, apenas, preocupar-se com a sua própria plantação.

    Um abraço, AC

    ResponderEliminar
  54. Olá, vim lhe convidar para visitar meu blog. Talvez goste, assim como gostei do seu! Aproveito para lhe desejar um final de semana magnífico.

    ResponderEliminar
  55. Um belo final de semana pra ti meu amigo...abraços.

    ResponderEliminar
  56. "Se contarem às pessoas crescidas: «Hoje vi uma casa muito bonita de tijolos cor-de-rosa, com gerânios nas janelas e pombas no telhado...», as pessoas crescidas não conseguem imaginá-la. Precisam de lhes dizer: «Hoje vi uma casa que custou cem mil contos.» Então já são capazes de a admirar: «Mas que linda casa!»" O Pricipezinho
    Hoje li sobre flores :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  57. Ah, meu querido amigo,como escreves bonito!

    Rubem Alves escreveu: "Eu acho que Deus, ao criar o universo, pensava numa única palavra: Jardim! Jardim é a imagem de beleza, harmonia, amor, felicidade. Se me fosse dado dizer uma última palavra, uma única palavra, Jardim seria a palavra que eu diria."

    Basta assim. As tuas palavras são jardins floridos.

    Meu beijo,
    I.

    ResponderEliminar
  58. Sempre tocante te ler, querido.Uma linda metáfora dos tempos que se seguem...

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  59. Um belo sábado pra ti meu amigo...abraços.

    ResponderEliminar
  60. " cada um limita-se ao seu jardim. E fecha-se. "
    Na maior parte das vezes só reagimos quando entram no nosso jardim e pisam as nossas flores .
    E assim eles vão entrando e pisando , enquanto D.Quixote sonha .
    Quando acontecerá a tão urgente e necessária união ?

    Belo texto e óptima imagem .

    Um beijo AC ,
    Maria

    ResponderEliminar