sábado, 9 de junho de 2012

O REGRESSO

.
.
.
.
Chegou ao cume do pequeno outeiro e parou, deixando-se invadir pela sinfonia de cores e aromas. Era uma zona xistosa, propícia a estevas e giestas, com o rosmaninho, aqui e ali, a impor a sua presença, amaciando o ar mais agreste das suas vizinhas.
À medida que descia a encosta sentia que, naquele ermo, tudo parecia ter o tempo certo. A passarada era abundante, mas esquiva, como que a estranhar a visita. Sorriu. Apesar de se integrar, de imediato, naquela corrente de energia, ainda não fazia parte da paisagem. Tinha tempo.
Mais abaixo corria a ribeira, ladeada de salgueiros, com água suficiente para aliviar as agruras do pó do caminho. Uma lontra, curiosa, levantou o olhar, mas depressa se enfiou na sua toca. Um estranho é um estranho, seja em que recanto for.
Quando chegou junto da velha casa, rodeada de silvas, viu que havia ali muito que fazer. A marca dos antigos habitantes há muito que se escondera, escorraçada por políticas de gabinete sem qualquer nexo. Ainda se viam assomar, no meio da alta vegetação, meia dúzia de árvores de fruto de tronco já carcomido, memórias de outras eras, mas pouco mais parecia indiciar, à primeira vista, que por ali já houvera uma fértil quinta, que respirara azáfama ao ritmo das estações. Isso fora há muito, num tempo em que aprendera como ninguém a descobrir ninhos de pintassilgo. Entretanto outros ritmos se impuseram.
Aproximou-se dum enorme bloco de granito e elegeu o seu reduto para primeiro poiso. Limpou a área circundante e, com vagar, começou a montar a tenda. A seguir foi explorar o local. À medida que avançava foi reconhecendo uma parede aqui, uma rocha ali. E às tantas, quase sem se dar conta e com a ansiedade de permeio, viu-se a procurar vestígios de antigos recantos.
O fim da tarde aproximava-se. Sentou-se no bloco de granito e olhou em volta, pensativo, enquanto roía uma maçã. Tinha uma semana para preparar o local para a chegada dos outros. Viriam munidos de ferramentas e sementes, risos e esperança. Talvez reencontrassem ali o seu lugar.
.
.
.

63 comentários:

  1. Maravilhoso texto, AC.
    Você escreveria romances, fácil, fácil, como quem caminha na juventude, quase a dançar. Isso se já não os escreve.
    Abraço.
    Gilson.

    ResponderEliminar
  2. Engraçado! tb estou roendo uam maçã!
    vai uam trinca?
    kis :=)

    ResponderEliminar
  3. Lindíssimo texto, imaginação incrível!
    Abraços e ótimo final de semana!
    Mariangela

    ResponderEliminar
  4. Haverá sempre um reencontro de cores e aromas quando se está em paz....
    Obrigada pela visita
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  5. Uma mão aberta
    de terra
    daquela
    que se ama e lembra
    Um punhado de
    gente
    que se espera
    E um vontade que se tem...

    Resultará o sonho?
    Não sei...

    (um texto que me comove)

    ResponderEliminar
  6. procuro o meu lugar há tantas épocas que acho que o tempo até já se esqueceu de mim... :)

    texto maravilhoso!!!

    ResponderEliminar
  7. também a imagem merece uma palavra, que a minha é pobre para tamanha mensagem

    a VIDA na palma da mão!
    que coisa linda

    ResponderEliminar
  8. Parei na foto, essa que tanto encanta a nós, especialmente as romí.
    Vestígios de alguem que já está prestes a encontrar uma bifucação. A roda da vida AC, não tem como escapar dela.

    Sigamos confiantes nos novos ventos.

    um beijo e um abraço,,
    há, e uma cesta de maças.

    romí zerafim

    ResponderEliminar
  9. Faço uso das palavras do anonimo acima, realmente não encontro um lugar. E este seu regresso me fez olhar para o horizonte e suspirar.
    bjs carissimo tenhas um belo final de semana.

    ResponderEliminar
  10. reencontrar-se seja onde for que haja um significado latente da existência que floriu,


    abraço

    ResponderEliminar
  11. Não queria terminar a leitura viajei nesse lindo texto !Parabéns amigo AC que lindo!
    CADA VEZ QUE LEIO POR AQUI ME ENCANTO
    BEIJO

    ResponderEliminar
  12. Um contador de hisórias nato! parabens por mais este conto encantadaor.Abraços.

    ResponderEliminar
  13. Espetacular teu texto..Lindo e me fez muito bem!! abração,chica

    ResponderEliminar
  14. Caro Ac,al sabato aspetto le tue parole misteriose perchè il traduttore è "misterioso".Ma il senso arriva.
    Sarebbe da fare in tanti luoghi di questa nostra Bella Terra il tuo Ritorno!Con semi e risate e una nuova mela da mordere per ciascuno di noi!
    Un abbraccio,Rita.

    ResponderEliminar
  15. Um novo recomeçar onde a esperança se encontra na palma da mão. Sempre brilhante a escrever.
    Bom restinho de sabado e um excelente domingo.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  16. Tão bonito e sereno... a espera e a reconstrução quando se destinam aos outros, o sabor é um deleite.
    Parabéns, AC!

    ResponderEliminar
  17. Bom o sabor do regresso.
    Um grande bj querido amigo

    ResponderEliminar
  18. A sensação é a de estar presenciando a cena, feito fosse num filme. E aqui me posto a esperar a chegada dos outros, com suas sementes e sorrisos, prontos para colherem frutos e alegria.

    Beijos, meu caro A.C.

    ResponderEliminar
  19. Ac ,saudades dos seus contos por isso passei por aqui.bjs

    ResponderEliminar
  20. Busquei meu banquinho e aqui sentei. Quero esperar com ele os outros. Quero ver que chão trazem, que paredes vão erguer.
    Esse post não é um só. Ele é um começo, não é?
    beijoss :)

    ResponderEliminar
  21. Todos os regressos trazem à tona lembranças... Beijos.

    ResponderEliminar
  22. Preparar o terreno para os outros... alisar, limpar alindar!
    Temos que ser sempre uns para os outros e se lhes pudermos facilitar a vida... melhor!
    Um abraço,

    ResponderEliminar
  23. Texto inebriante, AC! O regresso a alguma coisa que já se foi pode assustar inicialmente, mas é tb um encontro íntimo com todas as possibilidades do viver.
    bj imenso

    ResponderEliminar
  24. Amigo AC,
    O conto está uma pintura.
    A exímia narrativa, a linguagem colorida, a descrição singular tornam a ambientação em um paraíso.
    Regresso é sempre um recomeço, por isso laborioso e carente de readaptação.
    As "Políticas de gabinetes" são sempre um estorvo para nossas vidas.
    Parabéns pela maestria!

    Abraços e ótimo fim de semana para ti e família!

    ResponderEliminar
  25. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  26. Uma belíssima narrativa! Bem escrita e muito apelativa... quase participamos in loco!

    Regressar é recomeçar... e coisa tão deliciosa, o 'roer a maçã' fruindo da paisagem.

    A metáfora implícita na imagem. Muito bonita!

    ResponderEliminar
  27. você leva a gente pelo cheiro de terra e de nostalgia... linda prosa, AC.

    beijos!!

    ResponderEliminar
  28. Um belo regresso com perfume de vida,,,de estrada percorrida,,,de sentimentos jogados pela trilha,,,e uma nostalgia guardada no peito...abraços de boa semana pra ti amigo...

    ResponderEliminar
  29. Todo começo é um eterno recomeço...assim acontece com as famílias e com as nações.Linda descrição da vida sendo traçada.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  30. AC
    Existirá sempre um reencontro de coisas belas,poderá demorar, mas exite.
    A beleza da foto tirou-me a respiração por momentos.
    Boa semana meu amigo.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  31. ... O azul subirá à flor do dia
    e, rio, voltarás a correr soletrando no poema,
    sílaba a sílaba, regressos à nascente.
    Fonte inalterável onde sempre te encontrarás.
    L.B.

    Um beijo

    ResponderEliminar
  32. Olá AC, excelente descrição deste "mundo virtual"... em que cada pássaro contribui com o seu colorido, para a conjugação desta imensa tela de aromas e cores. Por aqui, sinto o agradável aroma do rosmaninho e, atrevo-me a plantar um sorriso de satisfação pela linda paisagem que vejo na palma da sua da mão... o " vizinho esmerou-se... parabéns pelas belas metáforas :) Um grande beijinho... é sempre um gosto respirar estes ares!

    ResponderEliminar
  33. Puxa AC, agora você saltou do computador para a sala da Maylê, quase deu pra sentir o gosto maça e a brisa que passava.
    Parabéns, ficamos felizes, estamos reunidas hoje e acabamos por ler em voz alta.

    bjs nossos

    ResponderEliminar
  34. Bonito! Sinto a magia e a paz do lugar.
    Mais palavras para quê?

    Bjs

    ResponderEliminar
  35. e quando os outros chegarem, escreva AC

    a procura dos pintassilgos e faça a história desse lugar escolhido

    às vezes dá vontade de continuar, a ler

    um abraço

    ResponderEliminar
  36. Olá, AC!

    A infância revisitada, ou o constatar triste de como este Portugal interior mudou tanto; como definhou e vai definhando por obra e (des)graça de mentes "inteligentes" que não o consideram como parte do território...
    Muito bem relatado o encontro com esse tempo passado, e que esperemos volte a ser presente.

    Abraço amigo
    Vitor

    ResponderEliminar
  37. Parabéns AC!
    Conseguiu que todos esperem juntos, pelos "outros"!

    Um beijo
    Sónia

    ResponderEliminar
  38. Uma semana de paz e poesias pra ti meu amigo...abraços fraternos.

    ResponderEliminar
  39. Pela sua descrição do lugar, eu juro que já lá estive. Belo sítio!

    Um beijo, AC,
    da Lúcia

    ResponderEliminar
  40. Adorável AC...viajei em cada recanto que suas palavras me levaram...
    Boa semana amigo, beijos,
    Valéria

    ResponderEliminar
  41. Olá meu querido!
    Vim te ler e deixar meu carinho.
    E que bom encontrar um lugar pra se acalmar, quando perdido se está.
    Beijos

    ResponderEliminar
  42. lindo demais A.C!

    cuida do teu jardim

    um beijo

    ResponderEliminar
  43. Agora que vi, que show lindo este do Sting! Não? Combinou bem com o Interioridades.

    outro beijo

    ResponderEliminar
  44. O ser humano tem alma inquieta. Constrói, abandona e saudoso, volta... Linda imagem escolhida para esse texto. Um beijo, AC!

    ResponderEliminar
  45. Quanto melhor o texto, melhor enxergo o cenário. E eis-me aqui a conseguir tocar-lhe com a mão! Mas, cuidado, "Um estranho é um estranho, seja em que recanto for.!
    Beijinhos,
    Madalena

    ResponderEliminar
  46. o Escritor na paisagem...

    envolvente texto. no ritmo certo. e na palavra.

    abraço

    ResponderEliminar
  47. Querido Poeta

    Foi tão bem descrito que quase me senti lá...nesse lugar mágico da natureza...adorei como sempre.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  48. Que poesia linda emforma de narrativa romanceada.
    Um deslumbramento.

    ResponderEliminar
  49. Uma descrição perfeita, visualizei tudo!
    Parabéns!

    beijinhos

    ResponderEliminar
  50. AC você tem uma habilidade com as palavras que encanta! lindo texto!

    ResponderEliminar
  51. diz-me se encontrares um lugar assim, tão perfeito como o que descreveste...

    beijinho

    ResponderEliminar
  52. Nossa muita novidade poe aqui, voltarei com mais tempo pra ler ecomentar...
    sdds amigo
    Su

    ResponderEliminar
  53. Um texto poético que se le com o maior agrado do mundo.
    Abraço
    Graça

    ResponderEliminar
  54. Seus escritos sempre mostram uma grande espiritualidade, uma navegação além, viagens.

    Grande Beijo!

    ResponderEliminar
  55. Viajo em suas palavras e também para para descansar sentindo o cheiro do campo ao redor...Adoro vir aqui.
    Abração.

    ResponderEliminar
  56. Há uma linguagem própria nestes regressos.
    A cada passo, à medida em que se desbravam silvas e se sorvem os aromas, a cadência lenta da vida em redor, aconchega-se na alma, como um abraço do tempo. Um outro tempo recuperado que, muito muito embora nunca tenha deixado de nos pertencer, quase permitimos que morra, não fosse a emoção necessária e urgente de o procurarmos do outro lado do abandono.

    É sempre tão agradável encontrar no que lemos, as emoções que conhecemos...

    Obrigada!

    Um beijinho ;)

    ResponderEliminar
  57. Aqui temos mais uma prosa das boas! Passadinha breve devido ao atraso forçado...

    Abraços.

    ResponderEliminar
  58. "E a cadência das coisas
    Vai muito para além de nós..."

    Prosa-poética que adorei!

    Maria luísa

    ResponderEliminar
  59. Encontrarei tempo para vir ler-te...:))) queria retribuir o abraço e acrescentar que o sentimento é recíproco!:))) "Bué"__gostei!:)))

    ResponderEliminar