sábado, 7 de julho de 2012

DIÁLOGO COM UBÍQUO PATROCÍNIO

.
Hélio Cunha, Edenbluff
.
.
.
- Porque te afastas? Porque gostas de deambular por zonas sem certificação?
- Eu não me afastei, apenas fui um pouco para o lado de lá. Sabes, gosto de ver as coisas sob vários prismas, as cores dos catálogos sabem-me a pouco.
- Ouve, as pessoas trabalham tanto, que um catálogo de opiniões é preciosa ajuda. Não achas?
- Um catálogo é sempre a visão oficial de algo. Se te encostares a ele, isso significa que estás a delegar o que de mais precioso tu tens: a liberdade de pensamento.
- Mas… espera lá! Um catálogo traz-me mais tempo livre, facilita-me as opções. Ao fim e ao cabo, liberta-me.
- Liberta-te? Para quê? Para estares disponível para trabalhares cada vez mais? Para seres uma máquina produtiva? Um fazedor de opiniões apenas te condiciona, ajuda a acentuar a visão de quem o patrocina. Sabes, o trabalho não pode ser um fim em si mesmo, mas um meio para tentarmos concretizar sonhos, expectativas…
- O que dizes pode ser aliciante, mas preciso de trabalhar para comer.
- Tens razão, mas é com base nessa premissa que eles nos condicionam cada vez mais. Já reparaste que, através desse meio, te criam uma falsa zona de conforto, abrindo-te portas para o sentido de posse, e que, às tantas, já não queres prescindir disso? Se pensares bem, muito do que fazes nem sabes porque o fazes, mas, como toda a gente o faz, isso basta-te. A verdade é que eles condicionam as nossas reacções e comportamentos. Em suma, fazem de nós modernos escravos.
- És doido, sempre foste. Porque sorris? Que trazes aí?
- Um ramo de ervilhas-de-cheiro, que apanhei do lado de lá. São para ti. Gostas?
.
.

51 comentários:

  1. Gosto.Obrigada.
    Um grande beijo querido e "incatalogável" amigo

    ResponderEliminar
  2. Temática ótima. E o ramo de ervilhas-de-cheiro encerra perfeito - o imponderável aos catalogolizados rsrs.

    Saudades de ti.
    beijo grande, querido AC.

    ResponderEliminar
  3. Lindo, como sempre encontro por aqui!! abração,tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
  4. sempre mais além..
    assim como teus escritos..
    beijos querido.

    ResponderEliminar
  5. ‎"Todas as cores concordam no escuro." (Francis Bacon)... Li essa frase numa postagem de uma amiga no Facebook. É bem isso, né? Está tudo tão definido, tão arrumado, pra quê perder tempo tentando fazer diferente, mesmo que o diferente seja mais prazeroso?

    Texto delicioso.
    Mande-me um ramo de ervilhas...
    Beijo!

    ResponderEliminar
  6. Podemos sempre consultar o catálogo que nos pode dar informações úteis, mas depois devemos fazer a nossa leitura, a nossa escolha e seguir o nosso caminho equilibrando as informações colhidas e a nossa liberdade.
    Ninguém consegue ser completamente livre.
    Bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
  7. Amigo AC,

    O trabalho escraviza e aliena o homem, mas não vivemos sem ele, é-nos um mal necessário.
    Se trabalhássemos para nós mesmos, seríamos dignificados, no entanto, dizem que pagamos com o labor um pecado capital cometido pelos nossos precedentes.
    Às vezes, faz-se necessário um catálogo como guia do intuito.

    Magnífico conto.

    Abraços do amigo de além-mar e ótimo fim de semana.

    ResponderEliminar
  8. É alto o preço da modernidade! mas aqueles que ousam podem encontrar uma maravilhosa surpresa por onde não anda o gado.Um abraço

    ResponderEliminar
  9. AC, boa noite.
    Lembrando Borges, nunca leremos a mesma página duas vezes. Na segunda, ela já será outra, mesmo que pertença a um catálogo, eu acho.
    Um grande abraço.
    Gilson.

    ResponderEliminar
  10. Adoro seu blog, adoro seus textos..
    Fazia um tempo que não vinha por aqui!!
    Bjok.

    ResponderEliminar
  11. Um ramo de ervilhas de cheiro , colhidas no outro lado , conciliando as duas formas de estar ...

    Um beijo , AC ,
    Maria

    ResponderEliminar
  12. Encontra-se sempre uma porta, uma janela aberta para divagar nos sonhos...
    Lindo...
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  13. Saudade daqui.
    Vim colher esse ramo de ervilhas-de-cheiro,do 'lado de lá'
    Retribuo com ternuras , 'do lado de cá'
    Texto como sempre, belo!
    um abraço AC

    ResponderEliminar
  14. Os teus textos sempre nos dão algo mais e nos fazem reflectir. Perfeito!

    beijinhos

    ResponderEliminar
  15. Gostei dessa imagem dos fazedores de catálogos, é de facto muito tentador enconstarmo-nos a eles... Mas por vezes há quem precise de mais do que isso, e ainda bem, como o prova o ramo de ervilhas de cheiro...!
    Um texto sobre o qual vale a pena reflectir!
    Beijos

    ResponderEliminar
  16. Sempre haverá uma porta de saída pra tudo nessa vida meu amigo...abraços de boa semana pra ti.

    ResponderEliminar
  17. Encontrei um oásis e levo comigo um ramo de ervilhas-de-cheiro. Obrigada, AC!

    Ótima semana!

    Beijos :)

    ResponderEliminar
  18. Entre linhas e ervilhas de cheiro...te abraço...forte,
    BShell

    ResponderEliminar
  19. Um diálogo que responde a questões essenciais que se vão perdendo na floresta de afazeres cada vez mais serrada, menos gratificante.
    Não houvesse um outro lado com cheiro a ervilhas-de-cheiro e tudo seria demasiado pesado.

    Um beijo

    ResponderEliminar
  20. Agostinho;
    Magnífica metáfora sobre o trabalho e o lazer. Só um mestre das palavras consegue esta maravilha de texto.
    Grande abraço

    ResponderEliminar
  21. excelente! excelente. invejavel texto...

    os catálogos são "fast food" da cultura.

    abraço

    ResponderEliminar
  22. Adoro ervilhas de cheiro que este ano não tenho no jardim.
    Também sempre que por aqui passei gostei de tudo o que li, por isso e mesmo agora ausente da Blogosfera, farei por vir visitar esta casa que me deixa saudades.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  23. Um belo dia pra ti meu amigo...abraços.

    ResponderEliminar
  24. Bjs nossos para que fique a lembrança do quanto é bom vir aqui e ler, e sonhar, e acreditar e saber que é possível...

    ResponderEliminar
  25. a liberdade é um gosto de brisa nos olhos, há que ser



    abraço

    ResponderEliminar
  26. Um texto muito belo!
    com carinho mOnica

    ResponderEliminar
  27. ervilhas de cheirogosto mas por cá damos outro nome mas de momento nao sei qual
    kis :=)

    ResponderEliminar
  28. Querido AC...
    Não há catálogos que vendam ou ensinem a liberdade.Ela nasce da vontade que a gente tem de escolher o que é sempre a mesma coisa...Imposição do sistema????
    saudade de você.
    beijo.

    ResponderEliminar
  29. indefinível - seria um catálogo mais próximo da essencia do homem, mas nem por isso descreve sua inteiridade

    um beijo

    ResponderEliminar
  30. Que nunca se perca a consciência de que podemos viver aprisionados, julgando-nos livres.
    Que nunca se perca a consciência de que se não soubermos erguer velas, seremos sempre barcos à deriva nas marés que nos são alheias e, perdidos,nunca saberemos do prazer imenso de navegar.

    Mais uma vez, AC, a sua escrita a estimular as viagens que precisam ser feitas. Obrigada!

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  31. O ramo de ervilhas de cheiro deu uma fragrância interessante ao texto, com o qual não concordo inteiramente.
    Um catálogo vale por aquilo que é, não é necessariamente uma vontade imposta. Pode ser um dos prismas com que se vê a realidade. Quantos mais prismas houver mais completa pode ser a desconstrução da realidade ou o seu inverso.
    Quem se deixa sugestionar pela força de um catálogo e não o vê como outra possibilidade é que pode limitar a sua escolha.
    Beijinho. :)

    ResponderEliminar
  32. A liberdade está sempre em primeiro lugar.

    ResponderEliminar
  33. Interessante, com uma mensagem significativa.

    Concordo, somos modernos escravos.

    Gostei muito

    Bjs

    ResponderEliminar
  34. Liberdade vem antes de trabalho, já aprendemos isso com o alfabeto?
    Magnífico texto, meu amigo querido!
    bj imenso, com admiração

    ResponderEliminar
  35. Fascinante...é verdade, ainda acreditamos no que não precisaríamos acreditar, fazemos o que os outros dizem ser o melhor a ser feito, o que nos torna escravos modernos e iludidos...feliz daquele que vê muito além e se faz livre.
    Beijos,
    Valéria

    ResponderEliminar
  36. Zonas de conforto tem uma boca tão grande, nos engolem com tanta facilidade...
    beijoss :)

    ResponderEliminar
  37. Uma análise lúcida e denunciadora da actual situação!
    Tenho a noção que me vendo... cum grano salis!

    Um abração amigo.

    ResponderEliminar
  38. Amiga como você eu nunca vou esquecer porque esse tipo de amiga
    o lugar dela é no coração e tudo que está no coração para mim é eterno, inesquecível!

    Cada novo amigo que ganhamos no decorrer da vida aperfeiçoa-nos e enriquece-nos,
    não tanto pelo que nos dá, mas pelo que nos revela de nós mesmos.
    Miguel Unamuno;
    Tive que ficar ausente por 3 Dias recuperando
    das fortes dores que ando sentindo.
    Agora aos poucos tentarei visitar todas minhas lindas amizades.
    Ficarei feliz e tremendamente agradecida se puder adquirir um livro meu
    talves nunca saberá o quanto você estará me ajudando.
    Mais certamente verá o quanto ,Deus vai te abençoar.
    Em breve vou postar a data da Bienal no meu blog será uma alegria imensa receber você
    em SP.
    Creia a vida é breve demais para deixarmos para amanhã aquilo ,
    que imaginamos não poder fazer hoje.
    Obrigada de todo coração por
    me amar da forma que sou,
    Beijos no coração e na sua alma,Evanir.

    ResponderEliminar
  39. AC, quanta verdade encerra o seu conto! Caímos constantemente nessa armadilha e ainda achamos que, assim, somos bem sucedidos...
    Beijinhos, boa semana com repouso e lazer!
    Madalena

    ResponderEliminar
  40. Por muito que nos imponham um catálogo, há sempre uma pequena falha na ordem das coisas.Por vezes essa pequena e frutífera falha pode revelar-se num simples ramo de flores.

    ResponderEliminar
  41. Achei seu blog na blogosfera.
    E adoreii!

    Já estou te seguindo..
    Me visite tbm
    http://lidiepaulo.blogspot.com.br

    Beijocas
    Ótima Noite \º/

    ResponderEliminar
  42. Uma análise bem feita, com tanta verdade sobre a actual situação! Magnífico texto, que as ervilhas-de-cheiro nos salvem...
    Bjs

    ResponderEliminar
  43. Estamos cada vez mais, seguindo sem pensar e os que pensam são taxados de loucos, mas pensando bem, sempre foi assim.

    Abraços poeta!

    ResponderEliminar
  44. Um belo final de semana pra ti meu amigo...abraços.

    ResponderEliminar
  45. Pois é, amigo, às vezes penso que somos vaquinhas de presépio...AC, um beijo!!!

    ResponderEliminar
  46. Como sempre, um texto interessante e atraente! Muito legal AC!

    ResponderEliminar
  47. Fiquei a criar inspirada em teu texto. Viajei em tuas palavras, AC.
    Sempre muito bom respirar os ares desse teu espaço!
    Bj

    ResponderEliminar
  48. há o trabalho que não dignifica o homem. afirma sentidos que nos afastam da Vida, do bem comum, da solidariedade... esse trabalho é ilusoriamente necessário.

    amei ler teu texto, AC.

    grande abraço!

    ResponderEliminar
  49. É bom se questionar...não ser apenas escravo ...um fazedor de coisas, um servo obediente...não se revoltar, não pensar... não se indignar...é horrível!!!

    BeijOOOO:)

    ResponderEliminar
  50. ir ao outro lado buscar ervilhas de cheiro, só tu te lembrarias disto, adorei

    Às vezes dá vontade de ficar no outro lado...

    Beijinho

    ResponderEliminar