domingo, 14 de outubro de 2012

ALGO SE PRESSENTE NO AR

.
Hélio Cunha, A Queda de Ícaro
.
.
.
Algo se pressente no ar. 
As aves voam sem rumo, inquietas, buscando o mais improvável abrigo. Os pinhais, renegando suaves melodias, são passadiço de todos os ventos, sem rei nem roque, uivando ao sol e à lua. Nos homens, a despertar da letargia, adivinham-se gritos tumultuosos na multidão dos ventres ao sol, despojados de tudo, até do ar que respiram.
Finda a vindima, no meu país o vinho não será néctar, será sangue em constante fermentação. Até a dignidade retomar.
.
.
.

53 comentários:

  1. E há corações que não vão aguentar este ritmo alucinado e alucinante! :-((

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Solidarizo-me a você e à sua brava gente, neste sentido lamento, AC, desejando que a dignidade retome brevemente...

    Beijo, com amizade e afeto,
    da Lúcia

    ResponderEliminar
  3. Sim meu amigo, algo se pressente no ar. Atravessamos dias dificeis, e já bem perto mais nuvens escuras e carregadas de tempestade se avizinham, para abater sobre nós.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  4. Sinto a dor e a tristeza que expressas. Recebe minha voz para teu coro. Meus pensamentos estão com vocês.
    Um grande bj querido amigo

    ResponderEliminar
  5. Sim, as aves voam sem rumo, inquietas...mas acredito que o sol voltará :)

    Bjinhos

    ResponderEliminar
  6. Bela metáfora poética usada pra definir um momento conturbado que seu país está passando,mas que se reflete em maior ou menor proporção em toda a Europa.Abraços,bom começo de semana!

    ResponderEliminar
  7. Pairam no ar fumos de tragédia. Gritos mudos rasgam a madrugada dos tempos, num tsunami de raiva, pelo monstro que nos tira tudo até a dignidade.
    Gostei do seu lamento e se me permite faço dele o meu lamento.
    Um abraço e continuação de bom Domingo

    ResponderEliminar
  8. Tem calma que a paz retorna sempre e com ela os pássaros e os bons vinhos!
    Sei que é apenas desabafo de um poeta desalentado e mesmo assim achei lindo!
    Grata
    Abraço!

    ResponderEliminar
  9. Tempos difíceis os que vivemos. E difícil está cada vez mais o manter a esperança.

    ResponderEliminar
  10. De quem escreve, espera-se uma certa forma de desocultar as coisas invisíveis. Aqui é o que encontro sempre. Poesia que tudo sugere sem nada revelar.

    Um beijo

    ResponderEliminar
  11. Que retorne já a dignidade e que a esperança nunca se vá, eis o posso, solidário, desejar, amigo AC. Grande abraço e ótima semana.
    Gilson.

    ResponderEliminar
  12. AC meu amigo
    como eu entendo teu desalento!
    Tal como as aves também eu me sinto sem rumo e muita inquietação!
    Dor tristeza, não foi por um País sem rei nem roque que tanto lutei, tanto gritei nas ruas e tanta pancada levei da policia.
    Bom resto de domingo

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  13. um perfeito oráculo, nada mais a acrescentar, bravo!

    beijo

    ResponderEliminar
  14. . . . até a dignidade regressar . . .


    Um beijo , AC , e boa semana ,
    Maria

    ResponderEliminar
  15. Não sei, meu poeta... Não sei...
    Sinto um ligeiro e suave odor do mosto
    Talvez haja vinho novo, a gosto
    Talvez tal odor acorde o povo

    ResponderEliminar
  16. Depois de tanto estrago. Com a continuação que se adivinha e se sabe, quando começaremos a recuperar a dignidade?...

    Boa semana

    ResponderEliminar
  17. Algo "se" pressente no ar, ou... Algo "de" pressente no ar? Belíssimo texto para reflexão. Deixo um abraço. Bjs!

    Enigma.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rsrs: ) Tenho que rir... Agora que notei o verbo transitivo: PRESSENTIR.

      Adivinhar, augurar, auspiciar, conjecturar, fadar, imaginar, julgar, predizer, pressagiar, pressupor, presumir, profetizar, prognosticar.

      Li algo muito interessante, não deixa de ser um pressentimento...

      "O que me impressiona, à vista de um macaco, não é que ele tenha sido nosso passado: é este pressentimento de que ele venha a ser nosso futuro."

      Mário Quintana

      Eliminar
  18. Um belíssimo texto para reflexão.
    Deixo um abraço. Bjs!

    Enigma.

    ResponderEliminar
  19. Sem dúvida puderei dizer com todo o orgulho que este blog é, além do meu preferido, a minha inspiração! Parabéns :)

    escrevendoquandochove.blogspot.com

    um beijo

    ResponderEliminar
  20. Amigo AC,
    A vida é composta de tempos bons e ruins, mas vivemos em virtude da premissa de que depois da tempestade virá a bonança.
    Dizem para não nos preocupar com as fases sombrias da vida, pois é das nuvens negras que vem a água límpida e fecunda.
    De nada adianta voarmos tão alto desengonçadamente, uma vez que o tombo será maior. Temos que voar conforme nossa capacidade e limite.
    Bela pintura poética, amigo.

    Abraços.

    ResponderEliminar
  21. Nunca a vindima foi tão dolorosa, nem o vinho tão pouco perfumado. Não pela vontade da natureza mas pela má gestão dos que superintendem a colheita.
    Os homens cansados emergem do sono com gritos extremos dignos da sua humanidade. Até que enfim.
    Beijinho e os meus parabéns!

    ResponderEliminar
  22. Será sem dúvida. Muito belo!
    Abraço.

    ResponderEliminar
  23. Poeta , seu texto sempre me emociona .
    Solidarizo-me com a dor de todos vocês .
    Beijos e boa semana .

    ResponderEliminar
  24. A.C que saudades de sua sonoridade poética.bjs

    ResponderEliminar
  25. não sei se eu não queria perceber por uma série de razões, mas há uma atmosfera ganhando asas tentando cobrir cada grão de chão desse mundo tão parecido e tão diferente em todos os lugares.
    beijoss

    ResponderEliminar
  26. E que o sangue nunca arrefeça e que a indignação nunca adormeça! Belíssimo e poderoso texto!

    ResponderEliminar
  27. tão estrangeiro o meu lugar em qualquer lugar,


    abraço

    ResponderEliminar
  28. Os ventos trazem a realidade que nós mesmos criamos.

    ResponderEliminar
  29. Um furacão que percorre o mundo.estamos todos no mesmo barco.Nunca a humanidade foi tão una.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  30. E depois...que tudo renasça...Seja mais justo...
    Obrigada pela visita
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  31. (pres)sinto esse verso ancorando distâncias, deixando um beco sem sol por entre as plumas brancas daquele pássaro. Devolvo-me o voo e vou, nesse embargo que minha voz acrescenta por entre os meus dedos, pra fazer viver o poema, em qualquer intuição e vento.

    Que belo,
    Sam.

    ResponderEliminar
  32. Inquietudes do mundo que refletem na alma...abraços amigo e uma bela semana pra ti...

    ResponderEliminar
  33. É meu bom amigo, infelizmente as incertezas pairam pelos ares do seu país. Que os bons ventos retornem logo, trazendo não só a dignidade, mas todas as bençãos, à todos vocês.
    Boa semana, beijos,
    Valéria

    ResponderEliminar
  34. Quando será que se retoma a dignidade? é muita a inquietudo...
    Bjs

    ResponderEliminar
  35. Nada é certo nesta vida, abraço Lisette.

    ResponderEliminar
  36. Parece a escrita de Aquilino.
    "Todo o mundo é composto de mudança", diz a canção.
    Mudar, não significa, necessariamente, melhorar.

    Saudações.

    ResponderEliminar
  37. Muito , muito triste o que está acontecendo aí, AC.

    Minhas orações para que o sangue seja só uma imagem poética e tudo se resolva sem violentar os mais humildes.
    Beijos e coragem!

    ResponderEliminar
  38. que venha uma bela enxurrada - que lave em cânticos praças e ruas...

    abraço

    ResponderEliminar
  39. Uma bela noite pra ti meu amigo...abraços...

    ResponderEliminar
  40. Que essa angustia passe logo... Belíssimo texto, AC.Beijinhos.

    ResponderEliminar
  41. Pressente-se algo no ar, só não sei que ventos se levantam...

    Beijos, AC, uma boa semana!

    ResponderEliminar
  42. Meu amigo

    Eu escrevi um poema...É noite no meu País, e acho que é mesmo treva.
    Como sempre o teu texto vai para além das palavras.

    Um beijinho com saudades
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  43. Que esse pressentir passe logo e que a paz fique! Belo texto!

    ResponderEliminar
  44. Entao que a dignidade retorne, para que o vinho nao se torne em sangue... mas antes continue sendo a bebida com que se possa brindar o renascer do bem...

    ResponderEliminar
  45. não tarda nada até a dignidade nos roubam
    beijos

    ResponderEliminar
  46. Contra a indiferença

    porque não basta ter razão

    ResponderEliminar

  47. "... pesa-me a angústia desabrigada dos pássaros..."
    e essa ausência de dignidade.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  48. Ainda assim, a poesia torna belo o lugar que anda seco. Este é o espaço do lirismo, e venho porque faz uma diferença enorme te ler.
    Abraços,

    ResponderEliminar
  49. sim, e temos de re-nascer...

    um texto tão curto e tão completo!

    um bom fim de semana.

    um beij

    ResponderEliminar
  50. E há-de chegar o momento...e que seja breve...para que possamos ..enfim...respirar!

    ResponderEliminar