sábado, 20 de outubro de 2012

FRAGRÂNCIAS DE OUTONO

.
Pintura de Margarida Cepêda
.
.
.
Era um navegante da vida. 
O tempo, supremo e decisivo escultor, mostrou-lhe a inutilidade do ruído, ensinou-lhe a moldar o filtro do supérfluo. Com as plantas aprendeu a fidelidade, plena de equilíbrios, no voo das aves percebeu os contornos da liberdade. Das flores, aroma indispensável a qualquer harmonia, entrou no mundo da subtileza. O espreitar das estrelas, sempre tão longe e tão perto, acentuou-lhe a percepção da infimidade. Tudo claro, tudo natural, como que obedecendo a leis do mais puro desígnio.
Lá fora, quais eternos aprendizes de feiticeiro, os homens continuam a manipular as flores à imagem da sua sombra.
.
.
.

59 comentários:

  1. Perfeito, AC. Há tanta beleza além do nosso ego... Beijos!!!

    ResponderEliminar
  2. As regras estão sempre condicionadas à forma como gostamos de viver, de ser, de estar, de amar ou esquecer.
    Mas sempre à nossa forma! E todos somos assim...
    uns têm a noção disso e fingem não ter...outros não têm...outros precisam de comer e de beber, apenas.
    Esses não sabem escrever, não precisam de mentir, ninguém os ouve, só têm de comer quando podem e beber mesmo se não podem.

    Mas vivemos todos olhando nossos umbigos. Eu não duvido!

    Maria Luísa

    ResponderEliminar
  3. Muito bela, esta constatação! Como sempre, uma escrita sensível e pura que dá sempre imenso prazer em ler.

    ResponderEliminar
  4. Amigo AC,
    Por mais que tentemos, não conseguiremos fazer nada contra o cinzel de Cronos, pois é anfótero: cria e destrói sua arte.
    A soberba nos deixa menos humano.
    Magnífico texto, como sempre!

    Abraços e ótimo fim de semana para ti e família!

    ResponderEliminar
  5. Texto perfeito... a natureza tao simples e tao bela...

    ResponderEliminar
  6. Parabéns pela escrita que possui - irrefutavelmente excepcional.

    Sem querer tirar mérito ao enredo que gera nos seus textos, considero que, os mesmos, já prendem o leitor (somente) pela estética da "linguagem"! ;)

    ResponderEliminar
  7. que ser navegante.. perceber como tuas palavras e nelas..
    perfeição querido AC..
    beijos e um belo final de semana..

    ResponderEliminar
  8. Gosto em revê-lo, aqui.

    O homem na natureza livre.

    Não sou sucinta, embora seja do interior.

    Saudações, caro colega.
    Luz.

    ResponderEliminar
  9. A manipulação dos carreiristas e a ausência da convicção!´
    Gostei da sensibilidade do teu grito.
    Bom fim de semana meu amigo.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  10. Impossível parar o tempo mas um dia ele faz-nos parar!
    Um belo texto, como sempre!

    Abraço

    ResponderEliminar
  11. Penso que você descreveu a trajetória da vida...
    quando crianças vivemos como as flores, como os pássaros em consonância total com a natureza; depois, mais velhos queremos construir o mundo dentro dos padrões de valores apreendidos ou criados pelas nossas verdades; depois com a maturidade, na época do balanço das horas começa a depuração e o refinamento dos sabores da vida e de seus prazeres.O viajante se descobre apenas um viajante.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  12. E então vem a pergunta: onde estamos nós? Navegando a vida em harmonia,livres, abrindo mão do que é supérfluo, do que é imediato? Ou estamos do lado de lá, manipulando flores? Abraços, bom final de semana.

    ResponderEliminar

  13. Navegantes somos muitos de nós. À deriva, por vezes; outras, com rumo definido. Em busca de beleza onde quer que ela se encontre. Na esperança de um mundo melhor e de enriquecimento interior. Às vezes, esquecendo a beleza do mundo natural, porque escravizados pelas rotinas e obrigações. E como é belo este Outono! As suas fragrâncias outonais quase passam para o lado de cá.
    Belíssimo texto como todos os outros!
    abraços e bom fim de semana.
    mtn

    ResponderEliminar
  14. Poeta , o texto nos encoraja em direção às pequenas e grandes verdades , ao ato de vasculhar o que de fato vale a pena nesta vida .
    Gostei demais . Parabéns .
    Beijos e bom final de semana

    ResponderEliminar
  15. Basta um olhar sensível e a poesia na alma e encontramos a grande Mestra: a Natureza! Belo e belo texto.
    Beijos,

    ResponderEliminar
  16. Todas as pessoas são navegantes da vida ...nem há sequer a possibilidade de o não ser.

    Bom domingo

    ResponderEliminar
  17. o homem a natureza e o seu equilíbrio.

    muito belo.

    beijo

    ResponderEliminar
  18. AC,
    Um texto belíssimo, como sempre...
    A propósito do comentário que deixou nas Searas da Lídia, digo-lhe apenas que sim, faça essa terapia de choque. Se nos conhecessemos, eu mesma lhe levaria um cachorrinho que pudesse amar. O amor não se substitui, eu sei, mas também não se esgota. Algures, neste mundo enorme, há um animal que o espera. Procure-o...
    Desejo-lhe um bom domingo :)

    Beijo

    ResponderEliminar
  19. vale a pena mesmo assim... navegar...
    quando temos consciência do que somos
    beijinho grande

    ResponderEliminar
  20. Quando as flores devem ser apenas elas próprias, o cheiro e as cores que as definem...
    Lindo...
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  21. Um navegante tal como o que aqui é descrito , o ideal . Porém , tem que estar preparado para a factura que lhe é entregue , pelos homens que manipulam as flores .

    Belo texto , como sempre .

    Um beijo , AC ,
    Maria

    ResponderEliminar
  22. este Ulisses navegante do tempo carrega as vestes do assovio, o sábio delinear das auroras,



    abraço

    ResponderEliminar
  23. Um belo e sereno mundo de sutilezas...abraços amigo e uma bela semana pra ti.

    ResponderEliminar
  24. Se ao menos fosse assim tão simples. Se ao menos toda a magia, beleza, generosidade e bondade do mundo pudessem moldar o ser humano... Mas andamos todos cegos e surdos, alheios à maravilha que nos rodeia!

    Obrigada por este momento de encantamento.
    Abraço
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    ResponderEliminar
  25. Sopram ventos de melancolia
    Transparente é o cinza que a tua alma encerra

    A minha pobreza é a falta de um par de asas
    Encontrei um lugar de reinvenção das sombras
    Pensei virar as costas ao tempo e ao deslumbramento
    E aí houve estranhamente o amanhecer das minhas palavras

    E passei para te deixar


    Um mágico beijo

    ResponderEliminar
  26. Tão junto à raiz!
    Assim me sinto [pequena] como viajante, neste tempo neste espaço de estreitos limites.

    Um beijo

    ResponderEliminar
  27. Corro o risco de me repetir, mas só me ocorre: PARABÉNS PELOS EXCELENTES TEXTOS! Abraços

    ResponderEliminar
  28. a grandeza das coisas simples...
    um beijinho de outono! :-)

    ResponderEliminar
  29. Será que algum dia deixaremos de ser aprendizes de feiticeiros assim...?
    Um belíssimo conjunto de reflexões neste texto, reflexões que não devemos deixar de ter.

    Beijos

    ResponderEliminar
  30. os jardins seriam mais perfumados, os seres humanos seriam mais jardins se apreendessem a fidelidade.
    adorei o texto.
    inteligente e sensível.
    muito!

    beijoss

    ResponderEliminar
  31. Você pega um punhado de palavras e as transforma em textos grandiosos assim, que nos põem a pensar e se deixar ir... Gosto de me deixar ir através das tuas palavras.

    Beijo, AC.

    ResponderEliminar
  32. "Lá fora, quais eternos aprendizes de feiticeiro, os homens continuam a manipular as flores à imagem da sua sombra."_ Sublinho essa frase...mas todo o texto está como sempre...a tua marca!!! Pena tenho eu de não ter disponibilidade para te visitar mais vezes...

    :) Beijo

    ResponderEliminar
  33. Embora semelhanças na forma, somos o blog que somos. Adorei seus textos. Bons ventos!

    ResponderEliminar
  34. Um dia seremos de novo crianças

    a beber nas fontes

    com mãos de sol

    ResponderEliminar
  35. Poesia sensível e cativante.. Muito linda meu amigo AC. Uma boa semana para você, beijos!!

    ResponderEliminar
  36. Dá pra voar nas tuas palavras de tão leves...Lindo! beijos,chica

    ResponderEliminar
  37. tudo é tão simples, tão puro livre da manipulação humana
    beijinhos

    ResponderEliminar
  38. Presenteias-nos sempre com belíssimos e reflexivos textos! São lindos os momentos que aqui passo, obrigada.
    Bjs

    ResponderEliminar
  39. Quando mergulhamos na natureza,deixando-nos absorver pelos seus mistérios tornamo-nos seres melhores.Abraços,

    ResponderEliminar
  40. há que fazermos ao mar, navegantes da vida...

    belo texto.

    abraço

    ResponderEliminar
  41. AC obrigada por mostrar essa leveza que acalma a alma.

    Beijos!

    ResponderEliminar
  42. As fragrâncias cheiram sempre.
    Sou, também, de interioridades, porque sou Alentejana.

    Sei que já comentei este seu texto, mas peteceu-me voltar e marcar "território".

    Abraços da Luz.

    ResponderEliminar
  43. Acredito que serão as flores um dia a dar justiça de sua graça... tudo a seu tempo!

    beijo na alma!

    ResponderEliminar
  44. Lindo poema, amo a natureza como ela é, com toda a sua beleza!
    Abraços!

    ResponderEliminar
  45. Olá, parabéns pelo blog!
    Se você puder visite este blog:
    http://morgannascimento.blogspot.com.br/
    Obrigado pela atenção

    ResponderEliminar
  46. Meu querido Poeta

    Como sempre um texto que vai além das palavras, adorei.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  47. Podemos aprender tanto com a narureza!
    Adorei este texto e a sua mensagem.

    Abraço

    ResponderEliminar
  48. Mas as flores não se deixam manipular daí a sua persistente beleza.
    Boa noite, AC!

    ResponderEliminar
  49. Olá, AC!

    Diz-se que a idade nos torna mais sábios: ajuda a melhor compreender a vida, e a valorizar mais o essencial que o acessório - e eu tendo a concordar. E também acho que todos estes pressupostos funcionarão como que uma forma de "consolação" para o facto de nos sabermos mais velhos...
    Bonito texto; convite ao pensar!

    E obrigado pelo esclarecimento sobre o mail.
    Abraço amigo.
    Vitor

    ResponderEliminar
  50. esses homens que não percebem quanto destroem do perfume das flores quando as colocam em um vaso mesmo que seja um belo vaso de cristal...

    beijoss

    ResponderEliminar
  51. Essa verde estrada da foto do perfil sempre me atraiu, AC, mas a falta de tempo me restringe a vinda por aqui com maior frequência.
    Os manipuladores não conseguirão perverter a beleza das flores...gostei da mensagem e da pintura.

    Um ótimo final de semana!

    ResponderEliminar
  52. E assim o homem se perde... quer entender a lógica, a razão... perde-se... a explicação de tudo é simples... é puro sentido.. sentimento.
    Lindo... encantador...
    Bom fim de semana,
    Johanna.

    ResponderEliminar
  53. Trago encantada na alma as fragrâncias do outono.
    Belíssimo!

    Boa semana, AC!

    Beijos :)

    ResponderEliminar
  54. Aa plantas sabem. E os verdadeiros sábios observam a sabedoria da natureza.

    ResponderEliminar