domingo, 9 de dezembro de 2012

(OUS)AR

.
Hélio Cunha, A Praia de Sophia
.
.
.
Olho as nuvens, sinto os ventos, e tudo parece conjugar-se para o baixar de braços.
Simples ilusão, dizem-me as feridas, a reformulação sempre fez parte do percurso dos homens. Não estão visíveis, podem até esconder-se, mas há por aí nichos de pessoas que urdem, que cerzem, banhadas em arquitecturas de harmonia. Não estão, aparentemente, visíveis a viveres resignados, mas fiam futuros entrelaçados no bem comum, à espera que o olhar se liberte. Parecem atitudes mínimas, mas são elas o garante de um novo olhar, de um novo respirar.
De que olhar falais? De que respiração?
Falamos das memórias, da eterna (re)construção. Não são elas o nosso eterno guia? Repara no que passaste, no que leste, no que ouviste. Que peso tem isso em ti? Que esculturas queres moldar? A vida em crescendo é um sortilégio com muitas voltas, plena de subterfúgios, mas imune a estocadas de aprendizes. Esses só estragam, não sabem o que é o equilíbrio. E o vento, mais tarde ou mais cedo, acaba por varrê-los.
Que fazer, então?
Ouve, escuta, age em conformidade. A princípio pode até parecer que o pão te falta, mas o respirar do caminho se encarregará de revelar os segredos do gatinhar dos teus filhos, dos desenhos dos seus sonhos. Quando sentires isso, deixarás de sentir opressão no teu pensar. É esse o teu caminho, por mais que doa.
.
.
.

41 comentários:

  1. Quero muito que assim seja.
    Um grande bj querido amigo

    ResponderEliminar
  2. Lindíssimo e como é bom quando ao respirar podemos perceber que tomamos o caminho certo.. abraços,tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
  3. As vagas zangadas do oceano podem alterar o ritmo da viagem mas a persistência e tenacidade ajudarão a fazer crescer o sonho de alcançar o destino do bom porto.
    Fantástico!
    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Olá, preclaro amigo AC!
    Se quisermos a felicidade e a fortuna, jamais poderemos permitir que as Moiras façam de nosso destino sua arte, mas nós mesmos devemos tecê-lo e isso nos requer uma sempiterna ousadia.
    Texto de espetacular beleza e erudição!

    Abraços.

    ResponderEliminar
  5. "Falamos das memórias, da eterna (re)construção. Não são elas o nosso eterno guia?"

    Ousemos. O resto, se adverso, é o preço de ousar...

    (ontem, ocupaste o meu espaço, por minha decisão. Não sei se fiz bem, se não)

    ResponderEliminar

  6. "a reformulação sempre fez parte do percurso dos homens"
    Ainda bem que existe essa possibilidade em nosso percurso - não houvesse e não existiria o reinventar-se, recriar-se... O ser em eterna mutação.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  7. Está me faltando o tempo necessário para visitar os amigos e aprender, como acontece sempre que aqui venho.
    Abraço, AC.
    Gilson.

    ResponderEliminar
  8. Braços caídos não nos permitem um caminhar venturoso. Que se movimentem, como a vida, seja na construção ou na reconstrução das casas desmoronadas. Lindo texto!

    ResponderEliminar
  9. AC querido, um texto belo e lúcido! Reinventar a vida é uma ousadia e tanto, mas vale a pena, sempre.
    bj grande, poeta-amigo

    ResponderEliminar
  10. O equilibrio da aceitação da vida agindo como ela se apresenta e em consonância com ela...deixá-la fluir sem resistência e aí as coisas se encaixam e a mente se acalma.Viver e deixar viver.Parece bom!
    Um abraço

    ResponderEliminar
  11. Renovar a esperança... re(inventar) a fé... e seguir...
    Um dia tudo passa, certo que passa...
    Tenha uma linda semana,
    Super abraços,
    Johanna.

    ResponderEliminar
  12. Enquanto se respira se aprende,se pode aprender muito observando o que vemos ao nosso redor.
    É sempre bom te ler,abraços,bom dia!

    ResponderEliminar
  13. Olá, AC!

    São escuras as nuvens que correm neste céu.E os ventos sopram de proa, o que torna difícil o navegar desta nau (des)governda por aprendizes que não sabem que rumo lhe dar...
    Esperemos então que melhores tempos venham; só nos resta acreditar ...

    Abraço amigo.
    Vitor

    ResponderEliminar
  14. Acho que não existe liberdade mais saborosa que a de livrar-se da opressão!!

    beijos :)

    ResponderEliminar
  15. Quase uma meditação. Aqui é o lugar que me lembra o que teimo em esquecer. É simples, mesmo que doa é simples. Esqueço. Me lembras.
    Beijos,

    ResponderEliminar
  16. Está difícil sonhar nos tempos que correm.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
  17. A reconstrução é urgente antes da destruição do que resta!
    "E em cada braço uma alavanca"
    Boa semana meu amigo

    beijinho e ums flor

    ResponderEliminar
  18. Amei!... cada verso uma verdade...muito significante...
    bjo
    Su

    ResponderEliminar
  19. Ousar é o melhor da vida. Adorei o teu poema que mostra uma verdade.Beijinhos e abraços amigo AC. Boa semana.

    ResponderEliminar
  20. Poeta ,
    Seu texto é belo , como sempre .
    Gostei demais .
    Beijos e boa semana

    ResponderEliminar
  21. Espero que estas sejam palavras proféticas, precisamos recomeçar!

    Um momento de esperança e de reflexão, este, ambos necessários...

    Beijo, boa semana

    ResponderEliminar
  22. É bom que se aprenda, antes que o vento volte e leve tudo pra onde nem se sabe...

    Ler teus versos em prosa, me causa sempre reflexão.
    Beijos, querido AC.

    ResponderEliminar
  23. O que dizer-ti depois de tuas palavras... Não sei.
    Você disse tudo em cada linha.
    Então meu caro poeta somente espero o recomeçar de tuas novas palavras.
    bjs

    ResponderEliminar
  24. AC

    às vezes é tão difícil seguir esse caminho, parece que o melhor mesmo é baixar os braços. Se ele for árduo, então talvez não importe, pois afinal é esse o caminho, o único.

    beijinhp

    ResponderEliminar
  25. às vezes é tão difícil...parece que se perde o rumo e voltam os pensamentos em voltas e mais voltas, e tantos desassossegos.
    mas é esse o caminho que falas, sem dúvida!

    beijinho, AC!

    ResponderEliminar
  26. E olhando bem dá para seguir o caminho. E bem olhando o equilíbrio vem.

    Lindo e tem vezes que de tão lindo o que escreves que fico sem o que dizer. Prá quê? Já diz tudo.

    Beijos, AC!

    ResponderEliminar
  27. Sabe AC, gosto sempre muito de tudo o que escreve.
    Dá sempre tanto que pensar, que pouco deixa a dizer.

    Ousei entrar e deixar um beijo :)

    Sónia

    ResponderEliminar
  28. Esta mensagem e’ para todos aqueles que vivem com desejos de ajudar alguém, nem que seja com uma simples presença. Gostaria que visitasse e seguisse este bolg, onde o autor precisa de publicidade para o seu trabalho. Vale a pena ver. Este seu gesto pode ajuda-lo. Obrigado.
    Desenh.ar.te
    dsnharte.blogspot.com

    Muito obrigado
    Fernanda

    ResponderEliminar
  29. "Não estão, aparentemente, visíveis a viveres resignados, mas fiam futuros entrelaçados no bem comum, à espera que o olhar se liberte..."

    teu texto inscreve-se nesse trama de fiar o futuro.

    abraço

    ResponderEliminar
  30. De acordo.
    as nossas memórias, são o êmbolo da eterna (re)construção, das nossas vidas!

    Saudações poéticas!

    ResponderEliminar
  31. As memórias que carregamos e que nos leva a ter determinados comportamentos , e que na maioria das vezes , senão sempre , não entendemos .
    Está tudo em nós . É necessário estar aberto e atento , pois o necessário está a acontecer .
    Belo texto AC .

    Um beijo e bom fim de semana ,
    Maria

    ResponderEliminar
  32. Com o passado aprendemos, para viver melhor o presente e tentar preparar o futuro.
    Como a minha próxima semana vai ser muito dificil em termos profissionais, e como não sei se terei tempo de passar pelas casas virtuais dos amigos, passo hoje especialmente para desejar um Natal muito Feliz.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  33. o caminho faz-se caminhando, na verdade.

    um enorme obrigada por este e muitos momentos de leitura não comentada.

    Feliz Natal, AC.
    Fraterno abraço

    Mel

    ResponderEliminar
  34. Olá Caro Agostinho,

    A nossa curva de aprendizagem tem na memória, um reservatório de saberes acumulados.Os erros, se os houve, cimentaram serenidade e moldaram a nossa maneira de ser.
    Excelente lição!
    Abraço,

    ResponderEliminar
  35. Hoje passo para te desejar um Feliz Natal eum 2013 em GRANDE!
    Beijo Graça

    ResponderEliminar
  36. ★ ♫♫

    Aceitar a si mesmo é equilíbrio.
    Aprender a conviver com as diferenças, também.
    Bom fim de semana!
    Beijinhos.

    ❊..(
    ✿.(,)
    ❊|::::|.☆¸.¤ª“˜¨
    ✿|::::|)/¸.¤ª“˜¨˜“¨
    ❊|::¸.¤ª“˜¨¨˜“¨
    ✿%¤ª“˜¨¨☆☆☆☆
    ❊#ª“˜¨ ☆☆☆☆☆

    ResponderEliminar
  37. As palavras podem ser nascentes que alimentam. Um grande abraço caro Agostinho, pela partilha.

    ResponderEliminar