sábado, 19 de abril de 2014

VARIAÇÕES COM CAROÇOS DE LARANJA

.
Pintura de Kazuo Wakabayashi
.
.
.
Para lá do templo, onde tudo se vende, no vale se cultiva, no mar se afere, na montanha se infere. 
.
.

24 comentários:

  1. Que lindo trabalho e palavras! FELIZ PÁSCOA!! bjs,chica

    ResponderEliminar
  2. Interessante a pintura!

    Que a sua Páscoa seja assim...cultivada de muita generosidade, esperanças e renovações!!

    Abraços, AC

    Lígia e =^;^=

    ResponderEliminar
  3. AC, você está muito enigmático rs. Arrancarei os véus que encobrem minha perspicácia e voltarei depois, para decifrar o conteúdo dessa frase.
    Beijo e feliz Páscoa!

    ResponderEliminar

  4. Hoje venho desejar uma:

    P░Á░S░C░O░A ...•°✿...✿º°。... F░E░L░I░Z

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. ✿⊱°•
    Para cá do templo da alma: ressureição!!!

    F░E░L░I░Z

    P░Á░S░C░O░A !!!
    ¸.•°✿✿º°。

    ResponderEliminar
  6. Querido Poeta

    Hoje passando para desejar uma Feliz Páscoa , plena de amor e paz, junto de todos que te são queridos.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  7. Poeta , hoje venho , também , para desejar a você e família uma alegre e abençoada Páscoa . Beijos

    ResponderEliminar
  8. Um texto/pensamento profundíssimo pleno de sentidos, simbologia e referências. E eu diria que continua a vender-se cada vez mais e em qualquer lugar. A interioridade trabalha-se com o tempo da sapiência ...
    Um ótimo domingo de Páscoa.
    Bjo, AC

    ResponderEliminar
  9. O horizonte é vasto e nos oferece muito mais do que enxergamos. Um abraço, linda Páscoa!

    ResponderEliminar
  10. Sempre há interferência, mudança, atribulações, complicações, e muito mais, enfim tudo isto faz parte das variações da nossa vida para o nosso próprio crescimento.Beijos caríssimo poeta.

    ResponderEliminar
  11. Ficarei com essa sentença a passear-me no cérebro durante as próximas horas, certamente. Em busca de múltiplos significados. E porquê caroços de laranja?
    Um abraço, um doce restinho deste domingo pascal, se possível com a família reunida
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    ResponderEliminar
  12. Para lá de tudo . . . a semente . . .

    Lindíssima a imagem .

    Um beijo , AC ,
    Maria

    ResponderEliminar
  13. Olá, AC!

    Coisas que não faltam nos dias de hoje: nem templos, nem vendilhões que pouco produzem...

    Uma boa semana
    Abraço
    Vitor

    ResponderEliminar
  14. A montanha exerce sempre atracção. Parabéns.
    Beijinho. :))

    ResponderEliminar
  15. Vá lá que há lugares onde nada se vende tudo se oferece...
    Abraço.

    ResponderEliminar
  16. Deixe-me que lhe confesse que quase apetece roubar o título. É delicioso :)

    ResponderEliminar
  17. É no alto da montanha, para lá do templo, e independentemente de todas as sementes que lançamos à terra ou ao mar que os ajustes e as contas finais se farão.
    Inventei um sentido, AC...!...:-)
    xx

    ResponderEliminar
  18. Confesso que fiquei a fazer variações com caroços de laranja, "ébria de rotas sem fim".
    Beijo.

    ResponderEliminar
  19. Ficou-me uma pergunta: quem comeu a laranja e deixou os caroços?...

    Beijos :)

    ResponderEliminar
  20. Chega uma altura na vida em que o desalento é tanto que se começa a duvidar da existência do próprio Templo.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  21. Por ter estado ocupada e pelo Norte, nestes dias já distantes, este teu «post» escapou-me...e hoje andei por aqui e parei para reflectir nesta sábia afirmação.
    Bj

    ResponderEliminar