sábado, 24 de maio de 2014

OS MUROS DO NOSSO (DES)CONTENTAMENTO

.
Fotografia de AC
.
.
.
A terra, as plantas, a água que, por vezes, apenas se insinua.
Entre o ir e ficar, uma vontade. Dentro da vontade, o desejo de fazer bem. Cumprido o preceito, dialogar. Com elas, connosco.
Com o tempo, imbuídos na alegação, elas vão argumentando, nós vamos cuidando vendo crescer. E também crescemos, apesar dos muros.
O fruto, corolário do envolvimento, é sempre sentença inacabada.
.
.

29 comentários:

  1. Não estou certo se projeto muros (que contenham pedras)... Frutos, espero, firmemente: planto, rego e os espero (às vezes demasiadamente ansioso).
    Grande abraço e ótimo final de seman.
    Gilson.

    ResponderEliminar
  2. Ciclos e semear. um e outro juntos..
    os desejos simplesmente vem.
    e renovam-se.
    Beijos AC.

    ResponderEliminar
  3. A terra sempre renova os ciclos.
    E para que a semente nasça, ela tem de apodrecer e morrer primeiro. Se a humanidade assim fosse teríamos esperanças de um mundo renascido. Porque há tanta podridão por aí.
    Não esquecer que amanhã é domingo de eleições.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  4. Os ciclos sempre se reiniciam... e é assim que tem que ser...

    Que vc tenha um bom domingo...

    Beijos...

    ResponderEliminar
  5. Olá AC!

    E no fim do ciclo, seja ele qual for,sempre esperaremos colher o fruto do que semeámos - e que ele nos saiba bem...

    Abraço e bom Domingo
    Vitor

    ResponderEliminar
  6. Também sofro desse defeito de fabrico, se é para fazer, que seja para fazer bem. Mesmo que custe. Mas os resultados costumam compensar.
    Criei aqui uma imagem mental do AC a conversar com as suas plantas como a minha mãe. Tão cedo não me conseguirei livrar desta imagem, mesmo sem lhe conhecer os traços físicos.
    Beijinho, um doce domingo
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    P.S. Interessante a sua teoria do verraco representar a "pujança" do rei visigodo. Pode muito bem ser.

    ResponderEliminar
  7. Poeta , o lirismo de seu texto nos faz enxergar , com clareza , que a vida é doce apesar dos muros . Obrigada , mais uma vez . Beijos e boa semana .

    ResponderEliminar
  8. O teu texto pleno de metáforas maravilhosas, esse diálogo com as plantas, a terra, a água... ver crescer .... o que se plantou com tanto amor, preocupar-se, desejar o melhor....mas há muros... as flores, as plantas, os filhos trepam a vedação....são ciclos da vida .... prepará-los para o mundo... e se esse "trabalho" for bem feito...eles voltam mais tarde... é bom preparar-se para decepções, chatices...confusões, zangas, atritos. Nem tudo são rosas....pois é....há flores que murcham sem darmos por isso...nem tudo é como queremos, cabe a nós sabermos que "produtos" andamos a usar____ Foi assim que te li e havia outras possíveis leituras, fiz a minha. :)

    Beijo :)

    ResponderEliminar
  9. O importante é "revestir" os muros com plantas, com flores, com vida!
    ...Então, pássaros, borboletas, sorrisos!
    Felicidades para você!

    ResponderEliminar
  10. Um abraço AC, tenha um lindo domingo.

    ResponderEliminar
  11. Elas trepam numa insinuação permanente!
    Que argumentos tão escorreitos!

    ResponderEliminar
  12. O elemento "Terra" é profundamente simbólico. O envolvimento neste processo de crescimento, magistralmente d'escrito, não pode ser tido como força menor.

    Beijo

    ResponderEliminar
  13. Até os mais altos muros podem estar repletos de vida, é só querer que as heras são muito resilientes, e ao crescerem tomarão conta do muro e nós cresceremos com elas.
    xx

    ResponderEliminar
  14. Saltar por cima dele ou caminhar a seu lado, o importante é que ele não seja obstáculo mas receptáculo... a tão bela prosa... ou a devaneios que a outras esferas nos conduzam.
    Gostei muito!

    ResponderEliminar

  15. Tome-se, então, conta dos muros...

    Beijinho

    Obrigada pela presença, apesar da minha ausência.

    ResponderEliminar
  16. colher os frutos. apesar (ou por cima) dos muros.

    gostei do texto. muito

    abraço

    ResponderEliminar
  17. Crescemos juntos com a terra, se assim o quisermos.
    Bonito!

    bjs

    ResponderEliminar
  18. E da interacção pacífica homem-terra, certeza perene de frutos, mesmo sobre muros!
    Abraço, AC

    ResponderEliminar
  19. Palavras que me levam a percorrer tantos caminhos...
    Como sempre belo te ler, AC.

    Beijinho.

    ResponderEliminar
  20. Gosto dessa conversa com as plantas, e no fim acredito que se acaba por colher o fruto.
    Bjs

    ResponderEliminar
  21. Olá Poeta... Amar, crescer e renovar sempre e sempre apesar dos muros.

    ResponderEliminar
  22. Serão também porventura feitos de muros, os sonhos que alimentamos mas tendo como meta uma realidade concretizável. Porém, e apesar dos reveses, o caminho é sempre subir construindo e ajudar a construir.
    maravilhoso como sempre
    Beijinho AC

    ResponderEliminar
  23. Os muros não impedirão as palavras de revelar a beleza da paisagem que percorremos...
    Beijo.

    ResponderEliminar
  24. Nem mesmo os muros mais altos podem impedir os sonhadores de voar.

    Beijos

    ResponderEliminar
  25. AC: passando pra desejar-te um fim de semana de paz.
    abraços querido

    ResponderEliminar
  26. A Terra possui terrenos férteis, pedregosos, insalubres, e mesmo assim, às vezes pode surpreender-nos e ultrapassar muros que supúnhamos intransponíveis.

    Beijos :)
    (saudades; muitas!)

    ResponderEliminar
  27. Gostei muito deste "diálogo" com o(s) muro(s) que em nada se assemelham ao das lamentações. Pelo contrário, neles exaltas a vida!
    Bjo, AC

    ResponderEliminar
  28. Interessante . . . pouco antes de ler este magnífico texto , pensava no pouco que falamos das e com as pedras .
    Há pedras lindas , é só estar atento .Lindas , tolerantes e até con a sua flexibilidade própria .
    E só por isso é que aceito os muros , mas preferindo as pontes ,

    Um beijo Ac ,
    Maria

    ResponderEliminar