sábado, 19 de julho de 2014

O PERFEITO IMPERFEITO

.
Pintura de Margarida Cepêda
.
.
.
Ainda me lembro, mãe, quando, nas manhãs de nevoeiro, insistias em desfolhar malmequeres. As flores, em carícia permanente, eram auscultadas em gestos cerimoniais, cada pétala que tiravas era um pouco de névoa que se ia. E continuavas, em gestos de eterno perfil, até os medos se desprenderem. Era então chegada a hora de libertar os barcos, de soprar as velas que enfunavam os sonhos.
Quando partiste, em perfeito alinhavado com o imperfeito, ainda era a delicadeza dos gestos que bordava o esboço do teu eterno desfolhar. Só eu via, mas tu continuavas a sorrir.
.
.

48 comentários:

  1. Lindíssimo momento.
    Uma viagem à infância, ao branco das pétalas dos malmequeres e à inocência.
    Abraço.
    Paulo

    ResponderEliminar
  2. As memórias perfeitas no tempo imperfeito...
    Interessante...
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  3. Mal-me-quer, bem-me-quer, e essa chuva molhando o meu rosto arrasta o perfume das flores que deságuam em meu coração...!

    Beijos :)

    ResponderEliminar
  4. Oi A.C...entre benquereres e malquereres passamos a vida dos sonhos...o perfeito no imperfeito ou vice versa.
    um abraço

    ResponderEliminar
  5. "Em perfeito alinhavo com o imperfeito"... Ler-te é feito ser acariciada por uma pétala. Suave e bom.

    Abraços, AC.

    ResponderEliminar
  6. Um belo equilíbrio justa mente imperfeito

    Abraço

    ResponderEliminar
  7. Belas imagens: a oferecida aos olhos e, claro, as sugeridas em tão poético texto.


    Um beijo

    Lídia

    ResponderEliminar
  8. Muitas mulheres passam grande parte da vida a desfolhar flores e sonhos, sempre a tentar aperfeiçoar a realidade dos que as rodeiam. Até ao fim.
    Muito belo, esse desfolhar de malmequeres que desfaz a névoa.
    xx

    ResponderEliminar
  9. Fica a ternura das memórias floridas.

    Beijinhos Marianos, AC! :)

    ResponderEliminar
  10. Um texto que arrasta recordações ocultas à muito na nossa memória. E a poesia sempre presente em cada pétala, transformada em sonhos.
    Um abraço e bom domingo.

    ResponderEliminar
  11. AC, acredito que na minha imperfeição virei aqui neste post para reler, pois me faltou compreensão. Mas deixo para ti beijinhos e desejo um lindo final de semana.

    ResponderEliminar
  12. Julgo que a vida se resume um pouco ao acto de desfolhar . . . umas vezes sim , outras não . . .

    Belo texto

    Um beijo AC ,
    Maria

    ResponderEliminar
  13. Bem me quer -mal me quer...e era perfeito...quando ainda se acreditava!
    Abraço e uma semana feliz
    Graça

    ResponderEliminar
  14. Arrancar pétalas de uma flor é fácil, porém, arrancar nossas imperfeições...
    AC, um beijo!

    ResponderEliminar
  15. Belíssimo. Mal-me-queres são flores com afecto. Quem não desfolhou ao vento a ver a sua sorte?
    A partida é sempre triste mas há quem saiba planar.
    Beijinho e parabéns.:))

    ResponderEliminar
  16. Boa noite AC,é o imperfeito mais perfeito que já li.
    saudades,um grd e afetuoso abraço!
    Zil

    ResponderEliminar
  17. A lembrança que permanece sempre mesmo quando perdemos tudo...
    Um texto muito belo.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  18. Doces lembranças que nem o tempo pode apagar =)

    ResponderEliminar
  19. Nevoeiro, um dos fenómenos que mais me assusta. A obscuridade não condiz comigo. Tão pouco com uma mãe que já partiu, minha, muito minha.

    Esta parte em que o AC escreve: " cada pétala que tiravas era um pouco de névoa que se ia". Essa é a parte boa de ter mãe, tem dias em que a nossa mãe afasta a névoa por nós. Admito, que tenho saudades da parte em que o mundo me parecia menos pesado porque a minha mãe ainda respirava. Passou...

    A pintura de Margarida Cepêda continua a ser deliciosa.

    Um resto de boa semana, AC :)

    ResponderEliminar
  20. O grande sentir do poeta, proporciona este belo (perfeito) momento,

    inscrito da emoção mais delicada (profunda) ao contacto da perda (morte)

    num imperfeito imprevisto marcado. Mas o sentir aperfeiçoa no

    aprendizado de eternizar ( memória) o essencial dentro de nós...

    Fiquei emocionada com esta belíssima e única (magistral)

    prosa poética, AC!!

    Grata por este momento de leitura...

    Bjo.

    ResponderEliminar
  21. A memória de um desfolhar ternurento!
    Linda imagem.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  22. Das partidas mais terríveis que há.
    Olho pela janela e está uma manhã como descreve em beleza o AC :)
    Beijinhos e que abra o sol!

    ResponderEliminar
  23. Poeta , quanta delicadeza . Gostei muito do texto . Beijos .

    ResponderEliminar
  24. Quanto sentimento emana de seu texto! Delicado e terno. Beijos, bom final de semana.

    ResponderEliminar
  25. a memória que ficou rendilhada de ternura.
    belíssima homenagem.
    ;)

    ResponderEliminar
  26. um perfeito passado - que perdura no presente!

    belo e sensível texto.

    forte abraço

    ResponderEliminar
  27. Uma lembrança primorosa, de um gesto tão simples mas tão singular, da figura materna...
    Enternecedor, AC!

    ResponderEliminar
  28. Agostinhamigo

    Hoje não comento, só informo: já tenho quem me produza o livro de crónicas, é a Chiado Editora

    Mas também venho, de amigo a Amigo que não conto voltar cá. Nunca mais comentaste lá na Travessa - e não sei porquê. Tratei-te mal? Insultei-te? Ofendi-te?
    Estou certo de que não.

    Assim sendo, até sempre, com muita pena o escrevo

    Abç

    ResponderEliminar

  29. Será preciso querer bem para que a ternura desfolhe um malmequer.
    Belo, muito belo!
    Beijinho, AC

    ResponderEliminar
  30. Libertei barcos, soprei velas (tantas),
    mas persistem as manhãs de nevoeiro.
    E a saudade imensa
    desse gesto perfeito de desfolhar malmequeres.

    Obrigada, AC, por estes momentos
    que oferece.
    Abraço:)

    ResponderEliminar
  31. Reli o texto. E voltou a tocar-me.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  32. Muito belo esse desfolhar malmequeres como busca de sentido, de coerência e amor... até o fim.
    Abraço!

    ResponderEliminar
  33. Que estranho é imaginar um AC pequenino, semi-escondido a observar esse desfolhar de pétalas orvalhadas. Uma terna, ainda que agridoce, lembrança materna.
    Beijinho, uma doce semana
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    ResponderEliminar
  34. AC, meu caro. Voltando aqui com um endereço diferente. É lá que vai me encontrar de agora por diante.

    Abraços!
    Milene.

    http://outraletra.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  35. OI AC!
    QUANDO TUDO PERDEMOS, PERMANECEM AS LEMBRANÇAS.
    UM LINDO E SENTIDO TEXTO.
    ABRÇS

    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  36. A amizade é magia sem fronteiras
    que nos une tantas amizades tantos amores,
    num lugar infinito e silencioso,
    palavras, email trocados ,gestos de carinho
    promessa de amizades e de amores eternos.
    Quantas vezes sorrimos ,quantas vezes choramos,
    outras quase morremos de saudades
    sem nunca termos trocado um único olhar.
    Beijos no seu coração.
    Evanir.

    ResponderEliminar
  37. As imperfeições que nos maculam a perfeição.

    Bjs

    ResponderEliminar
  38. AC

    Fiquei com agua nos olhos de tanta delicadeza deste sentimento e saudades...

    Bjs

    ResponderEliminar
  39. A brancura é sinónimo de paz, de tranquilidade, de conforto, de segurança ...há mães com tamanha sensibilidade quando desfolham os malmequeres...a mesma sensibilidade a vida toda.... até à eternidade.

    Beijo AC

    ResponderEliminar
  40. A metáfora como homenagem a um tempo querido, às memórias da doçura..,
    Lindíssimo!
    Bjo, AC :)

    ResponderEliminar
  41. AC, espero que esteja tudo bem!
    Beijinhos, boa semana!

    ResponderEliminar
  42. Que sejam felizes e retemperadoras essas férias.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  43. Que lindo Ac! A nostalgia da beleza e poesia desse eterno desfolhar... MÃE

    ResponderEliminar
  44. Por favor, me perdoe pela copia e cola.
    Mas hoje é por um motivo especial.
    Levar ao conhecimento de todos aos meus amigos o meu mais recente trabalho.
    Desde já agradeço o seu carinho, sua atenção e sua compressão.

    Vem ai Uma Menina Chamada Esperança!
    Em breve comunicarei o lançamento deste emocionante livro! Que ao voltar no tempo dos nossos antepassados, nos faz renascer para a chama da esperança, - olhar para o futuro e ver nossos sonhos realizados!
    Querida amiga, eu ficaria muito feliz se pudessem me ajudar a divulgar meu mais novo trabalho, o qual foi feito com muito carinho e dedicação para todos os leitores que gostam de viajar entre as palavras de um livro. É um livro juvenil, mas que com certeza vai tocar o coração de todos. Assim é o que eu desejo.
    Penso que estou pedindo um pouquinho demais, mas se for possível me ajudar também curtindo Esta postagem na minha pagina e a pagina deste livro no face eu lhe agradeço de todo o coração.
    Muito obrigada!

    https://www.facebook.com/UmaMeninaChamadaEsperanca?fref=nf



    Logo que tiver uma data precisa do lançamento do livro avisarei a todos.
    Conto com o apoio de cada um de vocês, para a Menina Esperança realizar o seu sonho!
    Desde já agradeço o seu apoio e amizade.
    O meu muito obrigado
    Que Que abençoe a cada um e uma de vocês, meus amigos e amigas.

    Maria Alice

    ResponderEliminar
  45. Olá, AC!

    E como já vai longa a ausência, oxalá que tudo esteja bem.
    Um abraço
    Vitor

    ResponderEliminar