sábado, 17 de janeiro de 2015

ONDINHA VAI, ONDINHA VEM...

.
Margarida Cepêda, Ela, o violino e vagas
.
.
As ondas, com maior ou menor amplitude, parecem emanar todas do mesmo filtro, ter o mesmo padrão. Mas não. À superfície denotam cor, impulso e, mesmo na mansidão, ousadia quase indomável. É nos bastidores, contudo, que fermenta aquilo que verdadeiramente as impele, ordem ancestral filtrada no imaculado pêndulo da conjugação de todos os factores, imune a rezas, invocações e crendices. Apenas as acções contam. 
Quando chegaste, promessa de onda avassaladora de todas as muralhas, tudo se parecia conjugar para a perfeita arquitectura. Espantavas enquanto envolvias, prometias novas telas, novas encenações. Esqueceste, no entanto, o essencial. Até para admirar é preciso inventar espaço para respirar.
Ondinha vai, ondinha vem...
.
.

28 comentários:

  1. Onda vai, onda vem... aqui respira poesia... Beijo.

    ResponderEliminar
  2. Lindo, profundo e esse espaço pra respirar é fundamental SEMPRE! abraços praianos,chica

    ResponderEliminar
  3. Mulher-mar, não há melhor! :)

    Beijinhos, AC! :)

    ResponderEliminar
  4. O poder da onda pode ser avassalador, há que respeitar a distância de contemplação em segurança :)

    ResponderEliminar
  5. Tudo que vem do mar é lindo!
    Adorei o texto!
    Lindíssima poesia.
    Beijinhos e um ótimo fim de semana.

    ResponderEliminar
  6. Assim é. Por vezes o fulgor inicial não passa da intenção. E depois... "História do Senhor Mar" - ondinha vai, ondinha vem...

    Gostei muito!

    Um beijo

    ResponderEliminar
  7. Contemplar à distância para ver melhor

    ResponderEliminar
  8. Existem ondas que não parecem surgir com intensidade, acabando por ser avassaladoras, enquanto outras enormes e fulgurantes, se desmancham rapidamente antes de chegar à praia.
    Mas todas acabam por morrer na areia. Como os sonhos e os homens.
    xx

    ResponderEliminar
  9. O mar o grande maquinador da vida e das emoções...por isso instável, por isso atrai, por isso é alma de onde sai a vida...por isso amor...ondinha vai., ondinha vem, as vezes encrespa e vira tudo pelo avesso.
    um abraço

    ResponderEliminar
  10. suspirando teu pensar..
    beijos querido AC.
    saudades saqui.

    ResponderEliminar
  11. Mulher que é onda: umas vezes mata, outras vezes salva.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  12. Boa tarde, Rangel. E nesse vai e bem das ondas tão diferentes em si, ficamos a pensar inúmeras questões sobre a sua poesia.
    A liberdade é uma delas.
    As ondas não aprisionam-se, de modo que nós também não podemos nos deixar cair nesse estado e acabar afogando-nos.
    Os mistérios do mar, de nós, são a profundeza que carregamos.
    Beijos na alma e lindo domingo de paz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Patrícia,
      Não tenho nada contra o Rangel - nem sequer sei quem é - mas o seu a seu dono. :)

      Um bom final de domingo!

      Eliminar
  13. Ondinha vai, ondinha vem... Onda sedutora e/ou perigosa?
    Fosse uma coisa só não renderia letras tão lindas.

    Beijo!

    ResponderEliminar
  14. Seduz-se, esconde-se...Abre a porta ao Mundo; também a pode fechar...
    Nada é igual, tudo se reinventa.... Lindo...
    Obrigada pela visita
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  15. A imensidão e o movimento do mar fertiliza a imaginação, a poesia!
    Lindo "mar de sentimentos"!
    Felicidades para você!

    ResponderEliminar
  16. Poeta , o mar vai e vem e vem e vai ...Neste ondear é sempre bom encontrar seu texto . Obrigada , mais uma vez . Beijos

    ResponderEliminar
  17. Bonito! Cada onda é uma onda que se forma a cada movimento, umas prometem, outras dão... :)

    ResponderEliminar
  18. Ondas enganadoras há sempre e mulheres que enganam também.
    Excelente escolha da imagem para palavras tão belas.

    beijinho e boa semana

    ResponderEliminar
  19. Há ondas assim, sedutoras mas perigosas!
    Bjs

    ResponderEliminar
  20. Não é fácil ser mar! Saber recuar para então voltar mais forte; acalmar-se após a tormenta, envolver, revolver... Talvez seja possível assemelhar-se a uma ondinha atrevida e teimosa, que invade furtivamente e se quebra em espuma: mas para ser mar, é preciso mais, muito mais... Abraços, meu amigo, boa semana.

    ResponderEliminar
  21. Do amplexo de uma onda, ainda que desejado, o que menos se espera é o efeito asfixiante.
    Um texto brilhante.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  22. Olá, AC!

    Está muito bem construída esta metáfora: A da onda poderosa que tudo abafa, sem deixar a quem nela submerge ... espaço para respirar.

    Um abraço e boa semana.
    Vitor

    ResponderEliminar
  23. So intençoes nao bastam... elas se perdem no balanço desequilibrado das ondas...

    ResponderEliminar
  24. envoltas em espuma - as ondas!

    abraço, meu caro Amigo

    ResponderEliminar
  25. O essencial sempre se encontra no verdadeiro, as ações são
    os extratos da essência do ser, a impressão das oscilações
    presente em tudo e todos,"ondinha vai,ondinha vem"...
    Uma leitura que nos captura numa onda de mistério,assim a vida...
    Adorei a prosa e a imagem,ambas belíssimas,AC!
    Beijo.

    ResponderEliminar
  26. Mar, metáfora do EU. Muito bom, AC!
    (De certeza que conheces a obra "Le silence de la mer" - no silêncio quanta resistência e remoinho de emoções! )
    Bjo :)

    ResponderEliminar