sábado, 17 de junho de 2017

CEREJAS

.
Fotografia de AC
.
São elegantes, aveludadas, saborosas, com o tamanho certo para se deglutirem, epicuramente, sem vontade de parar. São viciantes, no seu sabor único, despoletando emoções difíceis de definir, como se cada uma transportasse, dentro de si, a sensualidade dum corpo à medida, envolvente, filtrado em mil promessas.
Durante um mês, mês e meio, a cereja foi rainha, congregando todo o género de atenções e mimos, qual oásis ao estender da mão.
Já se despedem, contudo, as cerejas, abrindo portas aos exageros do estio. Como qualquer ser único, gostam dum tempo só para si.
.
.

12 comentários:

  1. As cerejas, mais que qualquer outra fruta, é tema de muitos escritos poéticos!
    Aguardamos que as “nossas” apareçam no mercado...
    Bom fim de semana

    ResponderEliminar
  2. Isto, que escreveste, é poesia - para (não) variar!...:)

    Os últimos frutos da época são como os últimos amores: mais saborosos, porque se saboreiam lentamente, sabendo serem os derradeiros, mas nada comparável à sofreguidão dos primeiros beijos e do sabor agri-doce, das primeiras cerejas do ano...

    Um beijinho A.C. :)

    ( muito calor por aí?)

    ResponderEliminar
  3. As cerejas...
    Cor de lábios, com o sabor agri-doce dos beijos.
    Revelam-se versáteis, e às vezes... surpreendentes.
    Talvez a sua magia, e a gula luxuriante que despertam, seja exactamente pelo seu caracter fugaz. Deixam saudades ainda em plena abundância, por as sabermos perecíveis e ausentes meses a fio.
    Sorte a tua de as teres aí, ao estender da mão, para as tomares nos dedos, e as saboreares na tua boca, e encontrares assim essas sensações que descreves - difíceis de definir.
    Já diz o povo que os beijos são como os cerejas...
    Por isso não te deixo um beijo
    Ofereço-te antes uma cereja.

    ResponderEliminar
  4. As cerejas são
    como as palavras belas
    tira-se uma
    e agarra-se um monte delas

    ResponderEliminar
  5. Comidas fresquíssimas, colhidas da sua cerejeira devem ser realmente um manjar dos deuses.
    Tão belo o texto, como a sua colorida foto...
    Dias plenos de serenidade e contentamento.
    Abraço, estimado Agostinho.
    ~~~~

    ResponderEliminar
  6. Cerejas são maravilhosas. Havia uma bela cerejeira no jardim da casa de meus pais...

    ResponderEliminar
  7. Cereja é a fruta que mais gosto. Vê-la através de sua foto e senti-la na sua poética descrição alegrou o meu domingo . Obrigada . Beijos , AC .

    ResponderEliminar
  8. Gostam de um tempo só para si, as cerejas... Para se fazerem desejadas. O seu texto, delicado e poético como sempre, leva-nos a outras emoções e prazeres. A fotografia é muito sugestiva.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  9. Oi, AC, como vai? Cereja, uma das minhas frutinhas preferidas! São bem difíceis de encontrar aqui no Brasil! Colocou bem, trazem uma sensualidade ímpar - característica que certamente faz parte desse tempo único que precisam para si! :) Abraços!

    ResponderEliminar
  10. Boa escolha para - poeticamente - degustar.

    É isso que acontece por aqui.

    Beijinho.

    ResponderEliminar
  11. A última frase do texto é magistral!
    Adoro cerejas! São é carotas para o meu bolso.
    beijinhos

    ResponderEliminar
  12. Maravilhosa a foto, e o texto... fazendo um retrato magnífico, deste fruto, que tanto aprecio!
    Mais um post, que é uma pura delícia para os sentidos...
    Beijinho
    Ana

    ResponderEliminar