terça-feira, 9 de novembro de 2010

URDINDO O DESTINO

.Margarida Cepêda, Urdindo Universos
.
.
.
Os olhos, habituados à luz, suavizam a tormenta, procurando o fio condutor da construção do labirinto. E, a pouco e pouco, vão bebendo a escuridão.
Quando se insinua o repouso, o horizonte, feito recompensa, parece mesmo ali, o longe tornado perto. É quando, à tardinha, se ouve o murmúrio do regato, e as aves entoam o seu mais belo canto.
Mas de longe chega o rumor da zanga das águas, rumo perdido em torrente impetuosa. Qualquer coisa que se foi, outro tanto que se teima em procurar...
.
.
.

125 comentários:

  1. O texto parece mesmo um riacho a correr..

    Lindo!"

    ResponderEliminar
  2. com uma profundidade q a procura não alcança

    beijo

    ResponderEliminar
  3. Uma luta eterna: o destino e o indivíduo; o indivíduo e o livre arbítrio.

    Um abraço!

    ResponderEliminar
  4. Perfeito, suave e arrebatador!
    Beijossssssssss AC.

    ResponderEliminar
  5. ...Como as águas que jorram pela inspiração de um poeta... Tu és abençoado! Profundamente lindos esses versos!!! Carinhos... Bjsss

    ResponderEliminar
  6. A C, meu querido Poeta, vc é maravilhoso! :)

    Amei sua prosa-poética! Linda demais!

    "Quando se insinua o repouso, o horizonte, feito recompensa, parece mesmo ali, o longe tornado perto."

    Perfeito!
    Beijos, querido. :)

    ResponderEliminar
  7. Olá AC,
    E é muito mais, o que se teima em procurar...que o tanto que se foi...ainda que em sonhos...o horizonte deslumbra-nos...

    Bjs dos Alpes

    ResponderEliminar
  8. AC,

    Fico imaginando o horizonte ao longe, à tardinha caindo tranquila... calma, paz... e o furor das águas em seguida. Afinal, o que as faz magníficas é justo esse furor que arrebata.
    Linda essa construção de imagens que suas palavras vão formando em mim!
    Dizem que uma imagem vale mais que mil palavras. Ouso discordar: no teu caso, uma palavra vale mais que mil imagens.

    Beijos

    Carla

    ResponderEliminar
  9. AC

    Lindo!!! a imagem e as palavras são muito profundas.

    Abraço

    ResponderEliminar
  10. A constante procura urdindo o Universo... ou
    "Onde se encontra o Paraíso?
    - O paraíso na outra esquina" Vargas Llosa.

    Abraço! :)

    ResponderEliminar
  11. AC,


    E a nossa teimosa em estar sempre à procurar ...



    Tenho o privilégio de , de minha janela, viver isso todas os dias ...
    "à tardinha, se ouve o murmúrio do regato, e as aves entoam o seu mais belo canto."


    Obrigada por mais esse momento mágico .


    BjO.

    :)

    ResponderEliminar
  12. O destino não é mais do que o chamamento da natureza que nos envolve... quando estamos atentos a ela e reconhecemos os seus sinais!!!
    Não concorda??
    Bonitas urdiduras

    ResponderEliminar
  13. Vou pensar...
    Voltarei.
    Beijo, Agostinho.

    ResponderEliminar
  14. Num canto de dentro, há um refúgio.
    O minotauro ronda...
    Está lado a lado é melodia bonita.
    Uma gaivota voa sobre o mar.
    Ondas gigantes e ousadias movem aquele querer.
    Mas tudo é o que sempre foi, e nunca deixou de ser.
    Estava ali... Bem ali.
    O seu texto AC é belo e eu amei ler.
    Mas meu coração ditou diferente o que precisou dizer.
    Um abraço meu amigo.
    Fernanda.

    ResponderEliminar
  15. Belos signos, AC!

    O homem na tentativa das descobertas dos sentidos, quanta calmaria, quanta tormenta!
    Bjs, meu querido e sempre presente amigo

    ResponderEliminar
  16. Perfeita descrição. Dá vontade de fechar os olhos e imaginar!
    Com carinho MOnica

    ResponderEliminar
  17. por que não conseguimos nem partir nem chegar????
    bjs

    ResponderEliminar
  18. AC!
    Adoro vir aqui e mergulhar nessa interioridade... Essência de alma que transborda em emoção e sempre entoando o seu mais belo canto, e nos encantando. Bjuss

    ResponderEliminar
  19. Seguimos e neste caminho sem ida nem vinda chamado vida, somos sempre refens da duvida.
    Bjos achocolatados

    ResponderEliminar
  20. As águas que se zangam são as mesmas que abraçam e tecem verbos no vento.

    Suas palavras são simplemente encantadoras...

    Beijos

    ResponderEliminar
  21. Quando a vaca sagrada do destino é bem alimentada, creio, sinceramente que ao ser mugida o seu leite quente, seja saboroso e emane um cheiro ancestral... ainda que seja o único alimento que não possa beber quente, é o único que tenho vindo a servir "à temperatura" aos outros...

    Destarte, espero que, em breve também eu possa beber desse leite...

    Em paz, sem pressas...

    Um abraço grande daquela que apesar de andar... "retirada" encontra nos seus escritos novas formas de pensar.

    ResponderEliminar
  22. Lindo texto como sempre!
    "Qualquer coisa que se foi, outro tanto que se teima em procurar..."
    Adorei a frase...quantas e quantas vezes fazemos isso??

    ResponderEliminar
  23. Entre a calma no horizonte e o clamor das águas torrenciais, sempre há essa qualquer coisa que se foi, e outro tanto que se teima em procurar...

    Eterna busca de nossas almas...

    Lindo AC! Simplesmente lindo.
    Beijo

    ResponderEliminar
  24. Fico encantada com a maneira que vc expressa seu sentimento, é Show.

    beijooo.

    ResponderEliminar
  25. E EU Amooooooooooooo
    seu jeito carinhoso de visitar e
    encantar a gente.

    E mais uma BELA Postagem...

    bjs

    VOLTAREI__

    ResponderEliminar
  26. AC,
    perfeito
    esta sumidinho do meu blog
    saudades dos seus comentarios
    abraço

    ResponderEliminar
  27. Me perdi, entre o horizonte e o regato, ouvindo o canto dos pássaros...
    Muito lindo e delicado.
    Gostei demais! :)

    Paz e Bem!

    Cid@

    ResponderEliminar
  28. Há sempre um mistério em suas palavras, que prende, que aperta o coração, parecendo que sempre haverá uma continuação, algo a reverlar-se, algo muito lindo, muito especial, próximo ao sobrenatual.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  29. paradoxo inerente a condição humana...calmaria e inquietação...

    ResponderEliminar
  30. AC,
    Suas palavras ainda que suaves são de um força incrível... fazem pensar, fazem sonhar ao mesmo tempo.
    Bjs

    ResponderEliminar
  31. Tbm gosto dessa suavidade toda, das palavras, das imagens, dá uma paz...

    ResponderEliminar
  32. Oi AC...

    Lindo demais seu texto...não tenho muito a dizer...pq mexe tanto com a alma da gente...que fica dificil escrever qq coisa...principalmente pro poeta,escritor...

    "Os olhos, habituados à luz, suavizam a tormenta, procurando o fio condutor da construção do labirinto."

    bjos AC....!!!!

    Zil

    ResponderEliminar
  33. Tem selos de presente pra você no meu blog, passe lá e pegue, beijos.

    Ventosnaprimavera.blogspot.com

    ResponderEliminar
  34. O seu texto sempre nos remete aoutros pensamentos e imagens que vão se modificando conforme vamos lendo e percebi isto na leitura de outros seguidores... as palavras são mecanismos de abertura para uma introspecção que nos permite a cada um de nós uma interpretação muito pessoal.Durante a leitura, lembrei-me da condição do próprio nascimento, depois do mito do Minotauro, depos do Mito da caverna para finalmente "cair na real" , como se diz no
    Brasil e apenas usufruir da quietude da natureza,mas logo em seguida lá vem tormenta que já nos remete a outras reflexões, etc., etc, etc.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  35. gostei do texto e sim é verdade...as águas também se zangam...

    um beij

    ResponderEliminar
  36. Agostinho,
    Tu és exímio em parábolas. Deixas ao leitor a liberdade da própria interpretação. Gostei da imagem literária e, como é lógico, fiz a minha própria, que se pode resumir num aforismo africano, dos nativos, sempre que se lhe perguntava onde ficava algum lugar, a resposta era sempre: "é perto, mas é longe".
    Um abraço
    Caldeira

    ResponderEliminar
  37. Sempre sensíveis e delicados os seus textos literários.
    Sempre a escolha perfeita da imagem.

    "Qualquer coisa que se foi, outro tanto que se teima em procurar..."

    bjos

    ResponderEliminar
  38. Belissimo !!!

    E como diz o amigo ai acima.
    Uma parábola, para todas as interpretações.

    A imagem e texto primoroso.


    Bjos

    Hanah

    ResponderEliminar
  39. Olá
    Vim te convidar para conhecer uma música maravilhosa que estendo aos amigos!
    Em As Cores que Sou, sob o título: RICAmizade

    abraços

    ResponderEliminar
  40. Profundo, muito belo, e muito reflexivo...e assim caminhamos pelas paisagens da vida,,,tentando encontrar nosso destino...abraços de bom dia pra ti amigo.

    ResponderEliminar
  41. Um labirinto: a vida por um fio...
    Beijos.

    ResponderEliminar
  42. Oi, AC...

    Quando li, há alguns dias , o post GRITO, tive a sensação de que tinha sido escrito para mim...sem pretensão alguma, a escuridão da imagem,mais a densidade do texto casavam-se perfeitamente com o que eu vivia.

    Hoje, volto, e a sensação continua...além da escuridão, o labirinto.

    Impressinante seu talento para dizer algo tão profundo em tão poucas palavras e...ainda poetizar.

    Beijo carinhoso, amigo. E obrigada pelo carinho no Desassossego.

    ResponderEliminar
  43. Assim é a vida nessa busca incessante... às vezes sol, às vezes chuva, tempestade ou esperança, o importante é não parar nunca...

    Muito obrigada por todo carinho que sempre me dedica.

    Tenha um lindo dia!

    BEIJO GRANDE!!!

    Lu

    ResponderEliminar
  44. Oiê,

    Sinto como que uma descrição de um dia com seus altos e baixos e a vida em seu curso natural... Belíssimo!

    Abraços :)

    ResponderEliminar
  45. E eu aprendi a nadar em dia de vento forte. Tô feliz por isso!

    Beijos.

    ℓυηα

    ResponderEliminar
  46. Uma delicia de texto que me fez respirar fundo.

    bjs
    Insana

    ResponderEliminar
  47. .

    . com efeito, dizer em prosa.poética assim dos dias é um feito no limiar do rare.feito .

    .

    . e as águas zangadas um dia urdirão do devido entendimento . até porque foi esse o propósito da Criação .

    .

    . um abraço .

    .

    ResponderEliminar
  48. Olá, Agostinho
    Há um "tempão" que eu não aparecia por aqui. Na verdade... nem por aqui nem por muitos outros lugares.
    Adoeci no dia 28 (c/meu psot de 31/10) e esde então tenho estado pouco tempo no PC.
    Já estou um pouco melhor, e tenho que me pôr completamente boa até sábado. Não posso ir para o lançamento do meu livro a espirrar e disttibuir vírur pelos convidados :)))

    Gostei muito deste seu texto, carregado de poesia.
    Depois de aqui ter estado até parece que me sinto melhor...

    Continuação de boa semana. Beijinhos

    ResponderEliminar
  49. Encantador, simplesmente encantador.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  50. Oi AC,

    Belo pensamento!

    Uma linda semana pra vc!
    Michelle

    ResponderEliminar
  51. Gosto desse bucolismo!
    Da escuridão garantindo repouso aos olhos...
    Dessa descrição que nos leva a imaginar sons e ruídos relaxantes...
    Verdadeira prece seu texto, AC!
    Beijo carinhoso!

    ResponderEliminar
  52. Perdas e ganhos AC, com um tempero de teimosia...
    Adoro teus textos
    Um bj

    ResponderEliminar
  53. é um fio de água

    um labirinto
    é um dia, são todos os dias

    urdindo

    muito bonito AC!

    um beijo

    manuela

    ResponderEliminar
  54. AC

    No regato, onde as águas passam em murmúrio, apenas a terra e as pedras que lhe servem de leito, são a sua circunstância. O resto é rio, ou quem sabe, apenas uma gota de água.

    A leitura do que escreve, é sempre para mim um momento especial.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  55. Olá, AC!

    Caso para dizer que sempre há lago para estragar um momento que se desejaria perfeito...

    Um abraço.
    Vitor

    ResponderEliminar
  56. "Urdindo o destino": luz e escuridão... perto e longe... presente vivo entre passado e futuro... Em ambiente vivo, entre o tumulto das águas turbulentas e o murmúrio do regato, ao som das aves... profético, amigo, este percurso a jorrar poesia!
    Abraço

    ResponderEliminar
  57. Olá A.C,
    Agradeço as palavras deixada lá em meu recanto.
    Eu só tenho que acrescentar, que sempre que aqui venho, sinto a sensação de que estou a fazer leitura de um filme que já conheço.
    Sensibilidade é como um fio invisível, onde somente através d'alma capta-se ondas pelo universo e isto tenho conferido em tua predisposição de ser.
    Ler, pensar e discernir, através da razão, somente quem está de fora com real sentimento é capaz de tão belo desenvolvimento de palavras...

    Parabéns você pelos teus tão profundos e sentidos textos.

    Abraços

    Livinha

    ResponderEliminar
  58. a zanga das águas...que imagem mais bela. vejo que há um fio condutor aqui também, que me leva para onde há vida pulsando na literatura. ela está viva!

    beijos, ana karina

    ResponderEliminar
  59. é isso..., uma continuidade... uma história que desenrolas, como um diário, sempre um passado mais ou menos próximo...
    um sentimento com raízes bem profundas
    gosto de te ler, sabias?!
    beijos;-)

    ResponderEliminar
  60. Sinestésico é o teu texto.
    Abraço literário!

    ResponderEliminar
  61. ...( É quando, à tardinha, se ouve o murmúrio do regato, e as aves entoam o seu mais belo canto.
    Mas de longe chega o rumor da zanga das águas, rumo perdido em torrente impetuosa. Qualquer coisa que se foi, outro tanto que se teima em procurar...)
    Romântico e revelador. Interessante, visualizei rosas , mas senti também o perfume de "Rosa",o grande Guimarães:
    "Tudo é recado. Coisas comuns comunicam, ao entendedor, revelam, dão aviso".
    (Ave palavra)
    Parabéns, amigo AC!

    Um beijo :)

    A imagem é lindíssima.

    ResponderEliminar
  62. AC
    são momentos deliciosos ler sua prosa e dos seus leitores porque há toda uma complementação da beleza que voce derrama sobre todos.
    inspira-nos !
    obrigada, boa quinta feira

    ResponderEliminar
  63. Conseguir ouvir a música do regato e a dos pássaros faz qualquer teimosi ficar linda!

    beijos,ótimo dia,chica

    ResponderEliminar
  64. Suas palavras parecem uma conversa, com a Deusa do destino, que esta sempre nos olhando. Belas palavras carissimo.

    ResponderEliminar
  65. A busca do desejo...eterna busca.

    ...."o horizonte, feito recompensa, parece mesmo ali, o longe tornado perto."

    um abraço

    ResponderEliminar
  66. Oi Ac,

    Essa procura, talvez de nós mesmos, em tuas palavras intensas, profundas e carregadas de beleza!

    Beijo meu

    ResponderEliminar
  67. Belas palavras!

    Obrigada pela visita! =)
    Com certeza estarei aqui mais vezes!

    Beijos!

    ResponderEliminar
  68. Agostinhamigo

    A zanga das águas é expressão lindíssima. Lindissimárrima. Sempre que aqui venho, deslumbras-me. Da próxima vez, tenho de trazer os óculos escuros, tal a claridade que me enche os sentidos. És, realmente, um gajo bué da fixe, kunkaneco.

    Abs

    ResponderEliminar
  69. Estas intensas palavras carregadas de poesia, deslumbram-me! tão profundos e sentidos estes textos!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  70. Tranquilo, apesar da torrente...
    Apesar de tudo, há um momento em que nos encontramos....
    Adorei....
    Obrigada pela visita
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  71. 'Urdindo universos' com as palavras também. :)

    ResponderEliminar
  72. Andava à procura de um cantinho para descansar. Cheguei aqui e aqui fiquei... : )

    ResponderEliminar
  73. Um belissimo final de semana pra ti amigo,,,abraços fraternos.

    ResponderEliminar
  74. Que poema visual! Consegui ver a paisagem descrita por vc. Muito bom.

    ResponderEliminar
  75. A cada texto lido aqui é como se fizéssemos uma viagem... Linda, poética, romântica.

    Adoro isso.

    Beijos, querido...

    ResponderEliminar
  76. AC, linda prosa. Vc escreve de uma maneira tão delicada, que é um doce te ler. Bjks.

    ResponderEliminar
  77. Perde-se o aprumo das asas, mas se cai em colo e aconchego. É a tal contra-luz... :)

    BeijooO'

    ResponderEliminar
  78. Agostinhamigo

    Kunkaneco! Volto cá só para te confidenciar, baixinho ao ouvido, pra que ninguém ouça, que tenho uma inveja bué da má de tu...

    As admiradorAs que te dás ao luxo de ter, são realmente um harem; eu, infelizmente, não posso dizer a mesma coisa... A minha goesa Raquel não deixa...

    Bom, como hoje faz 41 aninhos o meu mais pequeno e terceiro, jurista e etc., fico-me por aqui com este desabafo. E felizmente que algumas das tuas boas Amigas já vão sendo também minhas, depois, claro, de invocar o teu insigne nome, pois és quase um Deus.

    Espero-te, com sempre, lá no meu covil. E, quando te arregimentas como meu (per)seguidor?

    Abs

    ResponderEliminar
  79. Um texto que pede silêncio...
    Gostei de o ler.
    Dde estar aqui.
    Voltarei.
    Saudações/Irene

    ResponderEliminar
  80. AC,

    Passando para te desejar um lindo final de semana!!

    Beijos!!

    Reggina Moon

    Visite:

    http://regginamoonpoemas.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  81. Belo. Perfeito. Há sempre qualquer coisa que se (es)vai e mais, muito mais, que se teima em procurar.

    beijo :)

    ResponderEliminar
  82. Abram-se as portas que dão para dentro. Uma por uma, dentro do apartamento...!? Que seja.

    Beijoooo : )

    ResponderEliminar
  83. Entre o que se foi e o que se espera, fica o momento, o presente, a única certeza.
    Beijos

    ResponderEliminar
  84. Ac,

    Ums mistura de fogo e água numa prosa magistral.

    bj

    ResponderEliminar
  85. AC,

    Sua escrita é coisa muda.

    Sinto "longe tornado perto" e isso mostra: vivo.

    Entre altos e baixos está o ser, tudo muda e muda. O sentido é amar.

    Beijos!
    E vamos confiar na vida! :)

    ResponderEliminar
  86. Gostei imenso, deste teu texto-poético... não se lê só, ouve-se!

    Beijinho e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  87. Belíssimo o texto, poético, bucólico também, fez-me lembrar o cântico das águas na minha infância, que corriam à noite nas bermas da estrada em declive, num murmúrio que só terminava na rega dos campos, onde morava o cheiro da terra molhada, que nunca esqueci.
    Era um cântico tranquilo e mesmo quando a água ganhava a velocidade do terreno inclinado a sua música era redentora e suavizava todas as inquietações da alma.

    Lindo, senti-me bem aqui.
    Beijos
    Branca

    ResponderEliminar
  88. Oi amado... Estou aqui para agradeçer seus comentários tão profundos e sábios, adoro te ter no meu blog!!
    Você é uma pessoa encantadora, e um ótimo escritor! Adoro você :)

    Beijos doces e um bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  89. Obrigada querido amigo.
    Amei tuas palavras.
    A voz do coração, não precisa estar junto ao outro, para ouvir.
    Basta um carinho e o inexplicável acontece.

    Beijo AC.
    Fernanda.

    ResponderEliminar
  90. Vim retribuir seu carinho com meu blog te presentenado com um selinho. Obrigada e espero que goste!

    Bjus

    http://daniellesou.blogspot.com

    ResponderEliminar
  91. Meu amigo, obrigado sempre pelas visitas e pelas palavras de amizade, é muito importante pra mim...abraços de bom sabado .

    ResponderEliminar
  92. AC ,
    e é nesta teima de deixar ir , mas continuando buscando , que vivemos crescendo .

    Um beijo ,
    Maria

    ResponderEliminar
  93. Belo texto, vivo.

    Amo vir aqui, mas, estou numa correria só, não estranhe viu? não sumi, e nem vou deixar de vir, de jeito nenhum... adoro teus textos. bjssssss

    ResponderEliminar
  94. COMO SEMPRE A POESIA É UM LIVRO ABERTO...TÃO ABERTO QUE EU VEJO A VIDA CHEGAR AO FIM...O LABIRINTO...UM VERDADEIRO LABIRINTO...DE LINHAS CURVAS,RECTAS,MASTIGADAS,QUEBRADAS...SEGUINDO NAS MAIS DIVERSAS DIRECÇÕES...E SENTADOS À BEIRA DA TARDE PROCURAMOS AINDA ALGUM SENTIDO PARA CONTINUAR... MESMO QUE A NOITE SE APROXIME...E ESSA ZANGA DAS ÁGUAS ...HUMMMMM

    BELO COMO SÓ TU SABES URDIR...

    GOSTEI DO ASSALTO AOS MEUS CANTOS:)

    BEIJO DOCE

    ResponderEliminar
  95. Obrigada pela visita, seguindo-te também.

    Beijo meu.

    ResponderEliminar
  96. Alguma coisa sempre nos falta, amigo AC.

    Beijo.

    ResponderEliminar
  97. Que profundidade nas palavras...ADOREI!

    bjinhus, AC!

    ResponderEliminar
  98. Estamos sempre procurando nos conhecer... Um cheiro.

    ResponderEliminar
  99. E vivemos assim: de procurar algo que parece perdido.

    beijos

    ResponderEliminar
  100. Passando pra desejar um lindo fds. BJks

    ResponderEliminar
  101. urdiduras do destino: quis as velas que aqui chegasse em tuas águas, estou mergulhando aos poucos,


    grande abraço

    ResponderEliminar
  102. Sempre a temática da dualidade ambivalente da existência; por um lado o apaziguamento, suavizado pela luz que vem do labirinto de nós mesmos; por outro lado, a inquietação e o desassossego. Mas como diz a Gizelda,é ele que nos mantém vivos.
    Um abraço, Agostinho. Por tudo!!!

    ResponderEliminar
  103. Seremos asas na eterna procura do céu correcto?...

    ... Palavras profundas e belas... OBRIGADA...

    Um abraço

    ResponderEliminar
  104. .

    Depois de tanto tempo venho agradecer o carinho das tuas palavras. Com todo gosto sigo-te também.

    Mesmo ouvindo o mais belo canto das aves,
    às vezes a zanga das águas fala mais alto,
    à procura do que se perdeu... do que o tempo levou...


    Deixo beijos. Levo encanto.

    .
    .

    ResponderEliminar
  105. Muito interessante, um texto para refletir.

    ResponderEliminar
  106. Verdade! eU ESTOU PRECISADO SER SURPREENDIDA...
    GOSTEI DAQUI HEIM!
    um beijo

    ResponderEliminar
  107. Olá, amigo!
    Gosto da sua prosa poética... estamos sempre procurando mesmo quando pensamos que já encontramos...
    Aguardamos novo post.
    Boa semana.
    Beijinhos.
    Brasil

    ResponderEliminar
  108. Com uma profundidade bela que encanta o caminhante exausto e dolorido e ainda aquele que passa correndo, para os muitos afazeres.

    Parabéns por tudo e pela enorme afluência ao que
    escreve.

    Beijos,

    Mª. Luísa

    ResponderEliminar
  109. AC,

    Que seu Domingo se faça em Paz e Poesias ...


    BjO.


    :)

    ResponderEliminar
  110. AC, meu querido,
    Passei pra te deixar um beijo e desejar-te uma semana mt linda.

    ResponderEliminar
  111. Passei para deseja-te uma noite cheia de bons sonhos
    Beijos no coração
    Precosa MAria

    ResponderEliminar
  112. Gostei do seu blogue, dos textos e dos quadros. Fiquei curiosa sobre a autora de uma grande parte dos quadros, Margarida Cêpeda. Vou procurar saber mais sobre ela no Google.

    Gábi

    ResponderEliminar