sábado, 3 de dezembro de 2011

EM BUSCA DO FUTURO

.
Imagem retirada da net
.
Margarida Cepêda, Berço
.
.
.
Eram nómadas por convicção. Traziam consigo, coladas no dorso, conchas de outras eras, medalhas naturais adquiridas no seu viajar.
Vislumbraram há muito o padrão das estrelas, mas continuavam sem encontrar a correspondência nos seus passos.
Sabiam dos limites da explicação do claro-escuro, perpetuadora de fronteiras, e percorriam os caminhos em busca de novas tonalidades. Tentavam de todas as formas geométricas, mas o brilho total, sem eclipse, teimava em não se revelar.
Na sua tentativa de descobrir o futuro, ser nómada tornara-se condição e estado de espírito. E, por entre a carícia do vento, a música e a dança tendem a suavizar o caminho.
.
.
Reformulado. Para Zerafim e as 5 cozinheiras Vurdón.
.


..

71 comentários:

  1. Também gostaria de não sofrer desta condição de ter raízes! :-((

    ResponderEliminar
  2. Ás vezes é tão bom não ter raízes, viver sempre partindo!

    :)
    beijos

    ResponderEliminar
  3. "Vislumbraram há muito o padrão das estrelas, mas continuavam sem encontrar a correspondência nos seus passos".
    Nesta procura nos perdemos e nos encontramos. Haja caminho!

    Um beijo

    ResponderEliminar
  4. Apenas seguir, sem morada, seguindo o rumo apontado pela alma inquieta, entre música, dança e outras particularidades... Apenas seguir.

    Eu bem gostaria de experimentar dessa condição.

    Lindo, AC.
    Beijo!!!

    ResponderEliminar
  5. Ser livres, poder voar, vagar;...Ficou lindo! abração,chica

    ResponderEliminar
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  7. Alma cigana, estado de espírito livre das amarras,
    em busca do futuro que está sempre em algum lugar, mas nunca em lugar algum!
    Um abraço

    ResponderEliminar
  8. Seguir a jornada sem elos com a terra pisada, levando como bagagem a própria vida vivida (medalhas naturais).

    Lindo, AC! Você é um poeta!

    Beijo,
    I.

    ResponderEliminar
  9. vir aqui é sempre uma alegria pois encontro esses belos textos!
    beijo

    ResponderEliminar
  10. (Minha Alma é nómada, assim que nos conta...)

    ResponderEliminar
  11. AC
    Os caminhos que ainda nos esperam para percorrermos que sejam suaves meu amigo.
    Beijo e uma flor

    ResponderEliminar
  12. "Vislumbraram há muito o padrão das estrelas, mas continuavam sem encontrar a correspondência nos seus passos."
    AC:
    Um futuro incerto e difícil, mas ser nómada é percorrê-lo com determinação.

    beijinhos

    ResponderEliminar
  13. Deslumbra-se entre os ventos e a loucura dos passos que estavam sempre em tantos lugares.

    Nômades de si mesmos...

    Beijos querido

    ResponderEliminar
  14. Na ânsia do saber talvez deixem escapar algo que só se conhece juntos.

    Mesmo assim, é um do caminhos a escolher.

    Abraços AC

    ResponderEliminar
  15. A vida tem labirintos escondidos que só se encontram quando vistos com o coração...
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  16. A procura de outros caminhos com novas tonalidades, um fim a perseguir...

    Abraço

    Olinda

    ResponderEliminar
  17. perscrutar o futuro em andanças pelo orbe, caminhos de iluminação



    abraço

    ResponderEliminar
  18. amei.
    foi,mesmo,bom ler este teu texto.
    trabalho há anos com a etnia Romani e gostei de os ver aqui (re)tratados assim.obrigada.
    -voltei ás visitas e comentários :)-
    boa noite, AC.

    ResponderEliminar
  19. "Há um tempo, no alinhamento das três estrelas e a lua nova, há de se revelar o norte. Quando as águas do mar benzerem seu corpo e brotarem estrelas da terra. Quando nas viradas da lua tiver construido sua estrada, será hora de partir. Parta como chegou, descalço e nú, teu vurdon nessa vida será pó, pois nem ele te pertence, entretanto, se preocupe com esmero e cuidado sete vezes mais que em teu coração leve a ciranda cantada, o passo solto e a alma livre."
    J. C. - rhom vitza kalderash - Barô
    Sunto Sara Kalí, amaro dat bharô kayassunela,
    Amarerupide ay te putrel, amare dromá!

    (Santa Sara Kali, que ao Pai Celestial possas levar nossas orações e abrandar nossos caminhos!).

    5 bjs carinhos de todas nós, pois decerto já dispersou para a caminhada em direção a luz que não perece, de volta pra casa.
    Cozinha dos Vurdóns

    ResponderEliminar
  20. º°♥❤ Olá, amigo!
    ❤ Sem tentativas de descobrir nossos sonhos não há futuro...
    º°❤ Boa semana!
    ❤Beijinhos.
    º°❤ Minas

    ResponderEliminar
  21. A.C. ,
    ser nómada . . . desejo de muitos , mas prática de poucos , em todas as suas facetas e implicações .
    Mas ter desejo já é um passo .

    Belo texto !

    Um beijo ,
    Maria

    ResponderEliminar
  22. Na sua tentativa de descobrir o futuro, ser nómada tornara-se condição e estado de espírito. E, por entre a carícia do vento, a música e a dança tendem a suavizar o caminho.
    Desde tempos imemoriais que se anseia pela descoberta do futuro. E nessa ansia nos perdemos sem presente, sempre presos entre as recordações do passado e o medo do desconhecido futuro.
    Um abraço e resto de bom Domingo

    ResponderEliminar
  23. Num futuro tentavam encontrar um novo brilho, um novo olhar...abraços de boa semana pra ti amigo.

    ResponderEliminar
  24. AC,
    Uma bela homenagem às nossas amigas Zerafim e Cozinha dos Vurdóns. É bem merecida. O espírito é esse, entrou tão bem na profundidade do caminhos e das estrelas que as guiam. Texto muito bonito, parabéns!
    Bjs. :)

    ResponderEliminar
  25. Olá, AC!

    A eterna imagem romântica do espírito cigano, ser errante,aqui como metáfora.Com que muitos sonharão, e poucos de nós se atreverão a pôr em prática.E então, ao corpo entregamos o sedentarismo que nos transmite segurança, e à alma nómada confiamos o sonho e a errância, e assim satisfazemos a ambos...

    Bonito!
    Abraço amigo; boa semana.
    Vitor

    ResponderEliminar
  26. Olá AC,

    Saudades de vc e dos seus lindos textos, cheios de mistérios e magia...

    Beijos carinhosos
    Ana

    ResponderEliminar
  27. Sou frequentadora da cozinha e tenho o privilégio de receber cinco ilustres cozinheiras no meu canto. Acho que esta é uma merecida e digna homenagem. A essência do seu caminhar parece-me estar aqui, neste belo e sensível texto.
    Um abraço de boa semana.

    ResponderEliminar
  28. Meu querido Poeta

    Por vezes queríamos seguir sem morada certa...ir apenas...com o vento.

    Deixo um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  29. Há que suavizar de alguma forma este percurso, senão ele torna-se insuportável!

    ResponderEliminar
  30. Já busquei, alguns futuros, hoje, já não...
    deixo que o futuro venha a mim...serenamente!

    Um beijo,
    da Lúcia

    ResponderEliminar
  31. zerafim é um anjo
    não conheço outro

    agora quero encontrar a correspondência desde seu escrito, palavra a palavra, porque sei que gostei

    antes da reformulação e depois dela

    talvez seja uma desformulação, como ser nómada

    nunca se vêem as mesmas estrelas


    um beijo, Ac

    manuela

    ResponderEliminar
  32. Deve ser fabuloso trazer coladas ao dorso conchas de outras eras... Sempre grata com seu carinho pelas minhas páginas... Abraços

    ResponderEliminar
  33. Lembra-me o poema de Torga, "Só nos é concedida
    esta vida que temos; E é nela que é preciso
    procurar o velho paraíso que perdemos... Em qualquer aventura,o que importa é partir, não é chegar".

    Belíssimo texto e merecida dedicatória!

    Um abraço,

    ResponderEliminar
  34. Ha muitos caminhos a percorrer em busca do futuro desde que nao se perca!

    Lindo!


    Beijos!

    ResponderEliminar
  35. Sonhei um sonho,
    que havia recebido as asas de um anjo.
    Sonhei um sonho sonhado,
    da tão decantada liberdade.
    E a minha forma se definiu: em mulher e rromí.
    Conto os contos que o mundo esqueceu, os contos que a romi bebeu na taça do mundo. Conto os sonhos em forma de contos, são apenas contos, os contos que um anjo contou.

    Libertade pra nós é a nossa religião, não a condição condição. Mais que nômades, somos rromá.

    Devlesa, andro sara, ikama amam cozinha dos vurdóns.

    Ac, treago a concha da sua lembrança cravada no meu ilô. Nais tukê pela honra e pela dedicatória, de ter seus versos gravados no vento, perpetuados na tempestade. Esso é a nossa liberdade, mais que casas e murros, temos as estradas do mundo.

    um beijo carinhoso,

    da rromí Zerafim

    ResponderEliminar
  36. Agostinhamigo

    Fabulástico! Nómadas por convicção é muitíssimo bom. Que mais te hei-de dizer? Bato palmas, muitas

    Abç

    ResponderEliminar
  37. Um dia de paz pra ti meu amigo...abraços.

    ResponderEliminar
  38. Muito caleidoscópico este conto, AC! Muito bom!
    Beijinhos e boa semana, com nomadismos, se entender!
    Madalena

    ResponderEliminar
  39. Sentimo-nos assim, quando viajamos em busca do indizível...Querido AC, um beijo e uma semana bastante inspirada!

    ResponderEliminar
  40. Estamos sempre a partir

    e a chegar

    É o ciclo das marés

    Excelente

    ResponderEliminar
  41. AC, meu amigo tão querido, bom sentir o vento da tua poesia nas faces do poeta, novamente e sempre.
    Bj com saudade

    ResponderEliminar
  42. Oi AC,

    Hoje mesmo estava vendo aqui no centro de SP uns ciganos e pensando o quanto eles são bonitos, o quanto a vida de andarilhos que eles tem me atrai,
    Gosto dos nômades em todos os sentidos.

    Beijo meu

    ResponderEliminar
  43. Que os caminhos sejam sempre suavizados por uma parte de nosso ser.

    Beijos!

    ResponderEliminar
  44. Belíssimo post dedicado às minhas princesas cozinheiras.
    Carlota Pires Dacosta

    ResponderEliminar
  45. eu acho que estou meio assim, nao quero ter chão, nem casa fixo, quero ser do mundo...

    ResponderEliminar
  46. Ac
    Eu fico boba com a sua facilidade em dizer as coisas em pequenas palavras. Um texto pequeno e cheio de grandeza.
    com amizade e carinho de Monica

    ResponderEliminar
  47. O ser nómada implica recomeços sucessivos e isso não deixa de ser atractivo para as almas mais irreverentes...:)
    Belo texto
    Abç

    ResponderEliminar
  48. Estou sempre presa ás raizes, por vezes gostava de não ter tantas...
    Gosto tanto dos teus textos!
    Bjs

    ResponderEliminar
  49. Olá, grande amigo AC!
    Podemos buscar um futuro mais promissor, mas descobri-lo ainda não somos capazes, por ser fósmeo e enigmático. A única maneira descobrir é vivenciá-lo.

    Parabéns pela maestria!

    Abraços do amigo de além-mar!

    ResponderEliminar
  50. oi AC...

    AI QUE LINDO!!!!

    eu seria uma nômade em busca do que não conheço...de palavras que nunca li...de versos que nunca vi...poemas que estão por ai...sonetos que sei, que nunca li...

    amei seu post demais....

    bjo querido...

    Zil

    ResponderEliminar
  51. Muito bonito.
    Uma linda homenagem para 5+1 mulheres que lutam por um mundo melhor.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  52. Acabamos por ser todos uns nómades...
    Só paramos quando morremos.
    Gostei.
    Bj
    Irene

    ResponderEliminar
  53. E cautelosamente, tacteando o tempo, os passos seguem em frente, desbravando luz e sombra. O caminho é o lugar onde pousamos os pés e a pele se aveluda.

    Um abraço, AC :)

    ResponderEliminar
  54. em busca do futuro e não do tempo perdido, mesmo porque o tempo perdido não escapa do futuro...
    beijoss

    ResponderEliminar
  55. Um belo dia pra ti meu amigo...abraços fraternos.

    ResponderEliminar
  56. agrada-me a ideia de nómada "como estado de espírito" - para conquistar o futuro.

    abraços

    ResponderEliminar
  57. Nesta prisão onde me sinto, bem gostaria de ser mais minha.

    Bom feriado, ou ponte, enquanto não cortarem tudo.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  58. Criar raízes e depois seguir um período de nomacidade (a palavra existe?) – um período de vida nómada - com a certeza de que há, algures, um local que nos pertence.

    ResponderEliminar
  59. Extremamente colorido e com direito a escolhas! Queria uma vida assim!

    BeijooO*

    ResponderEliminar
  60. Na busca interminável, a jornada continua...

    Agradeço pela visita.

    Bom fim de semana.

    Beijo :)

    ResponderEliminar
  61. o senso de liberdade é algo inerente a mim, não sei se saberia viver sem ele. Fantástico texto.

    F. Otávio M. Silva
    http://otaviomsilva.blogspot.com

    ResponderEliminar
  62. Um belo sábado pra ti meu amigo...abraços.

    ResponderEliminar
  63. meu querido AC,
    não sei se tenho raízes, até porque já estive em tantos lugares..
    mas me ligo a quem amo..onde quer que eu esteja.
    e isso me basta...
    sempre tão bom te ler e sentir..
    beijos..

    ResponderEliminar
  64. oi oi oi que lindo cavalinho que está numa das imagens que postaste. não sei se sabes mas eu sou uma verdadeira apaixonada por cavalinhos e adorava um dia montar um mas jesus com o medo que eu tenho deles duvido que fosse capaz. beijinhos fofinhos.

    ResponderEliminar
  65. Desejo a si e a todos aqueles a quem você ama um NATAL e um ANO NOVO repletos de PAZ, AMOR e muita SAÚDE!
    Grande abraço

    ResponderEliminar
  66. Lindo este texto adoro nómadas. São como vagabundos do Tempo...

    ResponderEliminar