segunda-feira, 9 de abril de 2018

GRAAL

.
AC, Ribeira
.
.
Para onde vais, fio de água, sem vontade de parar? 
Vou em prol do meu desígnio, tenho pressa em chegar. 
E que ganhas tu, fio de água, com tanto calcorrear? 
No reflexo do meu esforço, todos temos a ganhar. 
Que mais desejas, fio de água, para conseguir serenar? 
Soubessem todos, como eu, ocupar o seu lugar.
.
.

25 comentários:

  1. Soubessem todos e o mundo não andaria tão mal.
    Abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo, Elvira.

      Abraço e uma boa semana :)

      Eliminar
  2. Um diálogo maravilhoso ! :))

    Era bom que sempre corressem, mais ou menos depressa e que conseguissem sempre ocupar apenas o seu lugar ! :)

    Muito bom, amigo AC !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rui,
      Uma questão aparentemente simples mas de tão difícil concretização.

      Abraço

      Eliminar
  3. Eu acho que esse 'fio de água' é muito sábio. Longas barbas brancas, é o que é.

    Boa semana, AC. Aceite um beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maria,
      Que sejam barbas fáceis de pentear. :)

      Um beijinho :)

      Eliminar
  4. Que chova na boca das sementes
    Abraço poeta

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Haverá sempre um desabrochar, por mais sombrias que sejam as telas.

      Abraço, Eufrázio

      Eliminar
  5. Todo o fio d’água que corre nascido em fraga do monte
    Tem um destino sagrado; jorrar na bica d’a fonte
    Matar a sede de todos; seja pássaro ou passeante…

    …Indo a outros se juntar
    e mais forte se tornar
    Para mais rapidamente
    ao Mar imenso chegar.

    A Natureza ditou e esse
    caminho traçou:
    lá será o seu lugar… :)

    Um beijo e boa semana, A.C.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :)
      Boa, Janita, gostei muito.

      Um beijinho :)

      Eliminar
  6. Nem eles, nem os fios de água, ocupam sempre e apenas o seu lugar mas, saberão sempre, aonde têm de desaguar.

    Boa noite AC

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Saber ocupar o seu lugar, sem ser por submissão, é um desígnio muito nobre, Noname.

      Um beijinho :)

      Eliminar
  7. Respostas
    1. Há tanto nessas breves palavras, Rogério.

      Abraço

      Eliminar
  8. O problema surge quando o fio de água resolve sair do seu lugar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois...
      Como diz o ditado, não vá o sapateiro além da chinela. :)

      Abraço, Pedro :)

      Eliminar
  9. Acho essa história de sabermos o nosso lugar e mantermo-nos lá um pouco redutora. Porque está na nossa natureza evoluirmos. Um dia esse fio de água vai chegar ao mar...
    Abraço amigo AC
    Ruthia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sempre assim foi, sempre assim será: cada um interpreta a seu modo, de acordo com o contexto em que se situa. É óbvio, Ruthia, que nos situamos em contextos diferentes. Para mim, no patamar em que me situo, saber o seu lugar é navegar pelas ondas da harmonia. Será isso redutor, ou forma de elevação?

      Abraço :)

      Eliminar
  10. Esse fio de água parece a minha vida AC. A minha e se calhar a de muitos.
    Abraço :)

    ResponderEliminar
  11. Imagem e palavras, num todo sublime!...
    Um santo graal, por aqui... e precioso, como tal...
    Beijinho! Continuação de uma boa semana!
    Ana

    ResponderEliminar
  12. Temos todos um desígnio a cumprir, e é em busca desse "graal" que navegamos. Saber manter-se em seu rumo, a partir de suas convicções, do mais puro ideal, não é ficar "preso" às margens, mas ser fiel ao sonho e transformar-se sempre a cada nova paragem para encontrar, em êxtase, quem sabe, o mar... Abraços.

    ResponderEliminar
  13. Admirável e acutilante manifesto sobre o sentido primeiro dos homens, encorpado numa forma poética a lembrar-me as cantigas de amigo. Aplauso!
    Bjinho, Ac

    ResponderEliminar
  14. Espetacular AC!! Em poucas palavras transmites sabedoria em profundidade. Minha prosa preferida esta desse espaço regado a prosas. Um beijo.

    ResponderEliminar
  15. Sempre em busca é o desígnio do ser humano. Este poema agrada-me sobremaneira, AC. Parabéns.

    Abraço.

    ResponderEliminar
  16. Assim fosse o homem capaz, como o fio de água que "tem a lição estudada": contornar as dificuldades do leito em que se deita.
    Abraço.

    ResponderEliminar