sábado, 14 de abril de 2018

MENINA AIROSA, TEIMOSA, POR QUE TARDA EM TE BEIJAR A ROSA?

.
AC, Locomotiva do Comboio Real
.
.
Sempre foste menina airosa, senhora das tuas convicções, sempre foste de antes quebrar que torcer. Mas, sem te aperceberes, foste criando uma muralha nos outros, nos resignados, nos que tudo vêem em função do seu quintal. O teu voo, feito em jeito de “o rei vai nu”, inquieta a sua segurança, construída em areias movediças, despoletando a reacção mais básica: a intolerância. 
Nem sempre sabes por onde deves ir, mas tentas. A dignidade está em tentares. A incompreensão, no entanto, vai fazendo mossa, e quedas-te, por vezes, no recolhimento, incrédula por sentires que não há aplausos, dorida por sentires que, no silêncio que se faz, impera a terra queimada. 
Ouve, menina airosa. O ser humano é pleno de imperfeições, mas não gosta que lhe o digam de supetão. A sua imperfeição, para ser assumida, carece de ser regada de adjectivos aconchegantes, de palavras que o façam dormir, tranquilamente. 
Mas tu tens pressa, nunca gostaste de rodeios, sabes que há um mundo por desbravar, por entender. E, apesar de dorida, continuas a tentar derrubar o muro, muitas vezes não sabendo que, quanto mais tentas, mais pedras o muro vai acumulando. 
No final, menina airosa, qual mea culpa, vão-te abençoar. Deixaste um legado, pois deixaste, mas, na tua ausência, eles já sabem com o que contam. E dão-te, por fim, uma rosa.
.
.

22 comentários:

  1. Que raio...!!
    Essa menina airosa, teimosa, construída em areias movediças, a quem te diriges, num monólogo, não pode ser a locomotiva! Sabes quem eu penso que é, A.C., sabes?
    A caprichosa Primavera...Ronceira e irritantemente preguiçosa! Aposto! :))

    Um abraço, bom Domingo e óptima semana, A.C.!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Leitura apressada, Janita. Não é a menina airosa que é construída em areias movediças, mas sim quem a vê passar, desdenhando, ajudando a construir um muro de intolerância à sua volta.

      Abraço :)

      Eliminar
    2. Ah...e esses tais, são aqueles que não aceitam ver a realidade - ou a temem- (“o rei vai nu”), são os de vistas curtas que não enxergam nada que transcenda os quatro muros do seu quintal?
      Se ela está consciente do seu valor, isso não lhe basta para seguir em frente?
      Caramba, A.C., isto sim, é escrever em modo metáfora permanente. :)
      Mas...porque precisa a 'menina airosa' de aplausos?

      :)

      Eliminar
    3. Que se passa contigo, Janita? Estás bem, ou detecto em ti um ligeiro azedume? Deixa lá, quando, a menina airosa passa longe do teu quintal. :)

      Eliminar
    4. Claro que não existe ponta de azedume em nada que aqui escrevi, A.C., que ideia foi essa?
      Talvez espanto, perplexidade...por aí.
      Tu escreves com tanta segurança que, quando não atinjo o sentido das tuas palavras, fico desorientada, parece-me...
      Um abraço! :)

      Eliminar
  2. Hey..."E dão-te, por fim, uma rosa", já veio depois de mim, depois de eu sair, assim...já lhe chamo 'Revolução', ou não!!

    :)
    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estavas tu a comentar, estava eu a colocar essa frase. Coincidências.

      Eliminar
    2. Outra coisa, A.C., manda a sabedoria dos antigos que, na vida, devemos ser flexíveis como o junco e não duros como o carvalho...:)

      Eliminar
    3. Se eu quisesse que a personagem fosse assim, assim seria. Mas isso já era outra história. :))

      Eliminar
  3. Quem é o fabricante da locomotiva? Tenho um interesse todo especial nessas velhas máquinas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Beyer, Peacock & Company, de Manchester.

      Eliminar
  4. Respostas
    1. Ela iria ficar contente.
      Abraço, Eufrázio :)

      Eliminar
  5. Sou eu a menina, rs. Nem sempre sei para onde ir, mas tento. E acredito piamente que a dignidade está em tentar... Espero que as rosas me cheguem enquanto posso beijá-las... e sigo a beijar as que posso. Não me interessam as rosas que não poderei tocar. Beijo&Carinho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostei do comentário, Jussara.
      Deixo uma rosa.

      Beijinho :)

      Eliminar
  6. Também já fui assim, preferia quebrar a torcer, mas a idade abranda os ímpetos. Hoje sei que nem sempre vale a pena quebrar, temos que saber escolher as batalhas, senão não chegamos a velhos.
    Abraço, uma linda semana
    Ruthia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Menina sabedora! :)
      Uma boa semana, Ruthia :)

      Eliminar
  7. Quando se está focado no seu próprio quintal, bem que podem passar quantas e quantas meninas airosas cheias de convicções e até muitas razões que ninguém as vê. Infelizmente.
    Abraço AC

    ResponderEliminar
  8. A vida é tão complexa, GM!

    Um abraço :)

    ResponderEliminar
  9. Mais uma maravilha que sai dessa imaginação sem fim.
    Aquele abraço, boa semana

    ResponderEliminar
  10. Identifico-me com essa menina. Não por ser airosa ou alguém me oferecer uma rosa, mas porque não entendo o mundo e a intolerância me sufoca...
    Um belo texto. A fotografia do comboio antigo é linda e sugere-me que apesar do tempo que vai passando, o mundo continua desumanamente igual...
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  11. Identifiquei-me nas tuas palavras...mas ai de quem no meu "fim e já entre quatro tábuas" me leve uma rosa...fujam:)))

    Maravilha! Parabéns!

    Um abraço

    ResponderEliminar