quinta-feira, 1 de julho de 2010

MURMÚRIOS

.Paul Klee, Jardim de Rosas
.
.
Chamei-te. Queria partilhar contigo o voo das borboletas. Cansado de esperar que viesses, segui o rumo alado, efémera quimera de fim de tarde. No regresso, já feito lua, senti o perfume das rosas que levava ao teu quintal. Foi então que percebi a promessa do teu voo, enquanto murmuravas as palavras que encantavam a noite.
.
.
.

32 comentários:

  1. Que encanto este momento... na volta, percebeu que sempre estivera ao teu lado adormecida, e só quando tu a despertou, deu o sinal, exalando o perfume, aquele aroma divinal. ;)

    Beijos.

    ResponderEliminar
  2. Emoções aladas que... eternizam quimeras!
    Abs

    ResponderEliminar
  3. Murmúrios que são promessas! Gostei!

    ResponderEliminar
  4. Chamei-te....Que bonito este chamamento.....
    Para ver........borboletas.......
    Esperei por ti..........no sonho que seguiu a viagem .........

    ResponderEliminar
  5. É tão agradável chegar a casa depois de um dia de cansaço e sentir o doce embalo deste poema disfarçado de texto corrido...

    ResponderEliminar
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  8. De Paul Klee aprecio os quadros pontilhados, mas a sua obra acompanhada de um poema romântico, que dupla! irresistível!!!
    Bjs

    ResponderEliminar
  9. O teu texto também me chamou! Como QUERO partilhar o meu voo, vesti asas de borboleta (porque a graciosidade só a elas pertence), sobrevoei esse quintal e "rebobinei" o teu texto.

    ...................................

    Noites encantadas
    Mil palavras murmuradas
    Em voos prometidos
    Nas roseiras perfumadas.
    No regresso fantasiado
    Breve e idealizado
    A espera em lua adiada
    Ficou nas asas de borboleta
    Em partilha desejada.
    No sussurro do seu nome
    Fiz esta chamada
    Ouvida nos murmúrios
    De noites encantadas.

    ....................................

    Devolvi as asas, mas trouxe o perfume das rosas!
    É o que chamo escrever com graciosidade e muita elegância! Bonito texto, um voo efémero mas profundo! :)

    ResponderEliminar
  10. Um "Texto corrido", prosa poética pura que fala de poesia. Pode ser um poema de amor. Também. Mas não é a poesia esse chamamento partilhado com voos de borboletas e de encantamentos, um acto de amor líquido?

    ResponderEliminar
  11. palavras pinceladas de prosa poética.

    muito. muito belo.

    beij

    ResponderEliminar
  12. Olá "Vizinho"...que sublime poesia com cheirinho a rosas e a Primavera...
    Parabéns...adorei! Bjo

    ResponderEliminar
  13. 'Queria partilhar contigo o voo das borboletas.'
    Queria a pureza do voo das borboletas também.
    Poesia e delírio querida AC.

    Um óptimo fim de semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  14. É muito bom termos lguém com quem partilhar o voo das borboletas.
    Obrigada pela visita
    tulipa

    ResponderEliminar
  15. Peço-te desculpa querido..ehehe . :) :)

    ResponderEliminar
  16. Lindo seu poema/prosa, AC.
    "Não haverá borboletas se a vida não passar por longas e silenciosas metamorfoses".(Rubem Alves)
    Deixo esse pensamento para você.

    Um beijo e obrigada pela gentil visita. Adorei!!!

    ResponderEliminar
  17. AC,
    assim você mata meu pobre coração!!!!!
    LINDO o que escreve, o que dilacera em nós, pobres mortais petrificados...
    E quanto ao meu "Murmúrio" , se tenho que fazer o caminho, que eu possa ter o seu como exemplo.... se bem que o que você escreve, já me escreve...
    mil beijos!!!!!

    ResponderEliminar
  18. Uma combinação perfeita: um jardim de rosas e um jardim com borboletas.
    Gostei!
    Boa noite.Beijinhos

    ResponderEliminar
  19. "Queria partilhar contigo o voo das borboletas"

    Também eu queria partilhar algo assim tão leve, tão suave, tão doce...

    Gostaria de ter escrito este texto! Mas já está escrito. Não cheguei a tempo.

    Um beijo

    ResponderEliminar
  20. MEu querido colega: ...de PORTUGUÊS????
    O seu chamamento é um convite tão ternurento, que todas as mulheres gostariam de ser donas dele...
    Adorei e já estou a segui-lo, porque o SINTO!
    Beijo amigo de
    LUSIBERO- MEALHADA

    ResponderEliminar
  21. A um chamamento destes diz-se, presente. Partilhar emoções é sempre um passo em frente rumo à transcendência.
    Na vida tudo é efémero, menos os momentos que partilhamos com os amigos. Estes eternizam-se nem que sejam em memórias futuras. Deixam marcas indeléveis que nem a morte consegue apagar.
    Grande pensamento. Proveitosa reflexão.
    Abraço amigo
    Caldeira

    ResponderEliminar
  22. Tão serena esta "roda" do tempo de ser voo e certeza.

    Obrigada pela visita.

    ResponderEliminar
  23. Bela união , de duas artes !

    Um beijo ,
    Maria

    ResponderEliminar
  24. ESSES MURMÚRIOS QUE ENCANTAM A NOITE....ORNAMENTAM A NOITE...A ORLA DA NOITE ...POEMA FANTÁSTICO ...ATÉ LHE SINTO O SABOR ,O AROMA...

    BEIJO

    ResponderEliminar
  25. Farfalhei daqui.

    Lindo.

    Sou fã.

    Beijo, beijo

    ResponderEliminar
  26. Murmúrios em gesta de 15 meses de alternância apontam para voo em signo de delicadeza e tolerância às diferenças; e a natureza mostra-nos uma cria que nasce com 2 metros ...e rumina arbustos de acácias - valor intrínseco.

    ResponderEliminar